15 fatos sobre alimentação que uma nutricionista quer que você saiba

31 de agosto, 2021

Hoje (31/08), a data é da profissão que busca sempre cuidar de nós: Dia do Nutricionista! E nunca se falou tanto da importância de uma alimentação balanceada para manter a saúde em dia e a imunidade lá em cima, não é mesmo? Por isso, para comemorar, a nutricionista Dayse Paravidino elencou os principais fatos sobre alimentação que nem todo mundo conhece. Ficou curioso? Então, não perca:

1 – Dia do Nutricionista: Para emagrecer, não é preciso fazer jejum intermitente

Mesmo sendo chamado de dieta, o jejum intermitente é, na verdade, uma estratégia nutricional caracterizada por períodos alternados de jejum e alimentação regular, a fim de melhorar a composição corporal e saúde geral.

“Apesar de uma opção estratégica no manejo da obesidade, o jejum intermitente não é indispensável ao emagrecimento, sendo inclusive de difícil prática caso não haja a devida adaptação ao uso dessa ferramenta”, explica a profissional.

Ou seja, se você sente que ficar muitas horas sem comer não é a sua praia, não precisa se desesperar: existem inúmeras opções para uma perda de peso saudável e sem sofrimentos. E sabe quem pode te ajudar com isso? Um nutricionista, é claro!

Leia também: Jejum Intermitente para iniciante: Como fazer

2 – Suco detox não desintoxica!

Que ele é saudável e aliado de quem deseja emagrecer, isso a gente não pode negar. Mas de nada adianta tomar o seu suco detox toda manhã, se o restante do seu dia é repleto de alimentos industrializados e processados, não é mesmo?

Além disso, Dayse lembra que o fígado é o responsável pela desintoxicação do organismo. Portanto, apostar em um cardápio balanceado a fim de melhorar o funcionamento desse órgão é a melhor pedida.

3 – Sucos e chás não emagrecem sozinhos

Aqui, é a mesma lógica. Apenas um alimento sozinho não é capaz de promover milagres. É preciso, então, adotar hábitos mais saudáveis.

Leia também: Chás: Conheça os benefícios e diferentes tipos da bebida

4 – Dia do Nutricionista: O glúten não faz mal à saúde

O glúten é uma proteína vegetal, presente no trigo, na aveia, no centeio, na cevada, no malte, e em todos os produtos que utilizam um desses ingredientes em seu preparo, como é o caso de bolos, pães, pizza e bebidas fermentadas (cerveja).

O consumo dessa proteína por pessoas com alergia ou celíacas desencadeia uma reação autoimune que danifica o revestimento do intestino delgado, causando, então, diarreia, gases, inchaço e outros sintomas como irritabilidade, cãibras musculares, erupções na pele, anemia, além de um risco de desenvolver câncer intestinal. Mesmo quem nasce sem a doença, pode vir a enfrentar problemas mais tarde.

Mas a profissional explica que o glúten só precisa ser removido da dieta caso haja alguma intolerância a ele, não sendo imprescindível a ausência dele no emagrecimento.

5 – A água ajuda pode ser uma grande aliada da perda de peso

Isso mesmo! Se você não tem o costume de tomar água durante o dia, vale começar. “O líquido ativa o funcionamento celular, turbinando, assim, os processos metabólicos”, diz Dayse.

E por que não tentar o nosso desafio da hidratação?

Leia também: Água: Você sabe quanto deve tomar todos os dias?

6 – Cozinhar a beterraba junto com o feijão não aumenta a quantidade de ferro

Na verdade, preparar os dois juntos diminui a biodisponibilidade (capacidade de absorção do organismo) de nutrientes, principalmente do ferro, devido à presença do ácido oxálico na beterraba.

7 – Dia do Nutricionista: Produtos diet/light nem sempre são os melhores

Isso porque muitos deles concentram gorduras, sódio, corantes e conservantes.

Leia também: Light, diet e zero: Entenda a diferença entre eles

8 – Dormir mal contribui para o ganho de peso

“O sono de má qualidade desequilibra importantes processos hormonais — muitos deles reguladores da saciedade”, explica Dayse.

Uma pesquisa realizada na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), por exemplo, decidiu avaliar a relação entre sono e obesidade. Dessa maneira, os pesquisadores coletaram dados sobre a qualidade de vida de 120 crianças e adolescentes com idades entre 10 e 14 anos. Os participantes foram divididos em dois grupos: obesos e com o peso ideal.

Os resultados mostraram que há uma prevalência de perturbações ao dormir e, consequentemente, pior qualidade do sono, nos integrantes do grupo obeso.

9 – Fazer dietas muito restritivas pode fazer mal — e contribui para o efeito sanfona

Restrições calóricas severas costumam mais atrapalhar do que ajudar o emagrecimento. Isso porque numa dieta muito restritiva, o organismo dispara alertas hormo-enzimáticos, levando o metabolismo a ficar mais econômico e a poupar a gordura em vez de queimá-la.

Leia também: Emagrecer: Dicas para se livrar do efeito sanfona

10 – Dia do Nutricionista: Você não precisa, necessariamente, cortar o carboidrato para emagrecer

Assim como o jejum intermitente, a dieta low carb é apenas uma das possíveis estratégias que prometem enxugar alguns quilinhos. Mas o carboidrato é um macronutriente importante para o corpo, uma vez que ele fornece energia para nós.

Por isso, se você ama esse tipo de alimento, não precisa tirá-lo completamente da sua vida. Basta buscar ajuda de um profissional, que vai te indicar as opções mais saudáveis e as porções adequadas.

11 – Comer maçã nos lanchinhos pode aumentar a fome

Já tentou saciar o estômago com uma maçã entre as refeições, mas sentiu que a fome de leão aumentou ainda mais? Existe uma explicação para isso: a fruta possui uma acidez que estimula a produção de ácido gástrico, o que acelera a digestão e provoca a sensação de “barriga vazia”.

12 – Quem sua muito não emagrece mais

“O suor é um mecanismo do corpo que ajuda na regulação térmica. Ou seja, ele é composto por água e sais minerais, não gordura”, afirma a nutricionista.

13 – Dia do Nutricionista: As carnes auxiliam a cicatrização

As proteínas contidas nas carnes são importantes para a cicatrização por ajudarem na reconstrução celular, sabia? Contudo, consumir o alimento em excesso não é recomendado. “Priorize cortes mais magros e fontes variadas — peixes e frango, por exemplo”, recomenda Dayse.

14 – Não é preciso banir a gordura da dieta

A nutricionista explica que apenas as gorduras “ruins” devem ser evitadas no dia a dia (principalmente as presentes em alimentos refinados, doces, sorvetes, enlatados, empacotados e frituras). Já as gorduras boas, por outro lado, podem (e devem) fazer parte do seu cardápio com frequência.

Leia também: As melhores opções de gorduras boas para colocar no prato

15 – A vitamina C ajuda no pós-operatório

Os cítricos (laranja, limão, kiwi, morango, brócolis, espinafre e couve, por exemplo) ajudam na absorção do ferro, mineral muito importante na prevenção e no tratamento da anemia.

Fonte: Dayse Paravidino, nutricionista (CRN4 -18100765) e membro da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN) e da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ASBRANMI).