Guia das farinhas: principais características de 25 tipos

Alimentação Bem-estar
21 de Março, 2023
Leticia Ramirez Naper de Souza
Revisado por
Nutricionista • CRN-3 63183
Guia das farinhas: principais características de 25 tipos

Quando falamos em farinhas, por mais que a gente conheça vários tipos, acaba usando somente um na maioria das receitas, não é mesmo? Contudo, variar as opções é uma ótima forma de evitar a monotonia alimentar e garantir mais vitaminas e minerais para o corpo.

Se você ainda não sabe como usar todos os tipos de farinhas no dia a dia, aqui vai um guia completinho com as principais alternativas (bem como seus benefícios):

O que são farinhas?

Farinha nada mais é do que um pó usado na alimentação humana há milhares de anos. Ela é obtida por meio da moagem de grãos crus, raízes, feijões, nozes e/ou sementes.

Pensando na palavra, farinha vem do francês fleur ou flour, que significa flor, ou “a parte mais fina”. Assim, a expressão fleur de farine pode ser traduzida como “a parte mais fina da moagem”.

Há indícios da fabricação de farinhas desde, pelo menos, 6000 a.C. Os registros mais antigos apontam que ela era feita a partir dos grãos de trigo — uma possível explicação para o tamanho sucesso desse tipo até os dias atuais.

No fim do século XIX, foi criado o processo de refinamento da farinha. Isso porque o alimento tinha uma vida útil limitada, ficando amarelado e rançoso em pouco tempo. Por isso, a indústria começou a retirar o farelo e o gérmen dos grãos, gerando um produto mais branquinho, fino e resistente — a chamada farinha refinada, que também é menos densa em nutrientes.

Leia também: Melhores substitutos para a farinha de trigo

Confira, a seguir, tudo sobre os principais tipos encontrados no Brasil:

1 – Guia das farinhas: de trigo

farinhas

Do que é feita?

Obtida a partir do trigo, ela talvez seja a mais famosa ao redor do mundo. Possui glúten em sua composição, o que faz com que seja perfeita para receitas como pães, pizzas e bolos — já que esse ingrediente dá força e elasticidade às massas, deixando-as com aquela textura fofinha que a gente tanto ama.

Por outro lado, por conter glúten, a farinha de trigo não deve ser consumida por quem tem doença celíaca, alergia ou sensibilidade ao ingrediente.

Por aqui, podemos encontrar os tipos refinado (cujos gérmen e o farelo do trigo foram retirados) e integral (que contém o grão inteiro).

A farinha refinada é fonte dos chamados carboidratos simples, ou seja, de fácil absorção pelo corpo. Isso quer dizer que ela aumenta rapidamente os níveis de glicose (açúcar) no sangue, o que pode ser importante para quem precisa de energia de forma mais instantânea (como antes de treinar); mas não indicado, por exemplo, para pessoas que convivem com o diabetes, pois pode desequilibrar a glicemia (nível de glicose no sangue) se não for estrategicamente inserida na dieta.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de trigo refinada, podemos encontrar:

  • 360 calorias;
  • 75,1g de carboidratos;
  • 9,8g de proteínas;
  • 1,4g de gorduras (sendo 0,2g saturadas);
  • 2,3g de fibras;
  • 1mg de sódio.

Por outro lado, em 100g de farinha de trigo integral, encontram-se:

  • 339 calorias;
  • 72,6g de carboidratos;
  • 13,7g de proteínas;
  • 1,88g de gorduras (sendo 0,32g saturadas);
  • 11,55g de fibras;
  • 5mg de sódio.

Lembrando que muitas marcas enriquecem as suas farinhas de trigo com nutrientes como ferro, vitaminas (B12, por exemplo), ômega-3, cálcio, fibra e ácido fólico. Por isso, esses valores podem se alterar.

2 – Guia das farinhas: de milho

Do que é feita?

O milho é um dos alimentos que constituem a base do cardápio brasileiro. Em algumas regiões (Nordeste, por exemplo), ele é o protagonista de diversos pratos — do cuscuz à farofa. Por isso, a farinha de milho também está presente na casa da maioria das pessoas.

São tantos os produtos existentes no mercado que é normal ficarmos em dúvida sobre eles. A farinha de milho, o flocão e o fubá, por exemplo, têm a mesma matéria-prima: o milho.

Contudo, você já deve ter percebido diferenças entre as texturas de cada um. Isso porque enquanto o fubá é bem fino, a farinha é um pouco mais grossa e o flocão, como o próprio nome já diz, vem em flocos e é bem amarelo.

Sobre a cor amarela dos produtos, quem garante é o betacaroteno, um antioxidante poderoso. E assim como os tipos de farinha de milho são inúmeros, as possibilidades de receitas com eles também são: polenta, mingau, empanados, sopas, bolos, farofas, cuscuz, broas… E por aí vai!

O milho é um cereal rico em nutrientes como proteínas, vitaminas do complexo B, fibras, e amido (carboidrato).

Apesar de carregar volumes significativos de fibras, a farinha de milho também é digerida e absorvida rapidamente pelo organismo, aumentando a glicose no sangue de maneira rápida. Por outro lado, ela não tem glúten (verifique o rótulo, pois muitas marcas podem estar contaminadas com a proteína por conta do processo de fabricação).

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de milho, podemos encontrar:

  • 351 calorias;
  • 79,1g de carboidratos;
  • 7,2g de proteínas;
  • 1,5g de gorduras totais (sendo 0,4g saturadas);
  • 5,5g de fibras;
  • 45mg de sódio.

3 – Guia das farinhas: de mandioca

farinhas

Do que é feita?

A farinha de mandioca é feita por um processo de ralar e secar o vegetal. Ela é livre de glúten, grãos e nozes.

É mais parecida com a farinha branca, e pode aparecer como substituta da farinha de trigo em receitas, uma vez que tem um sabor neutro e é facilmente digerível.

A farinha de mandioca consiste principalmente de carboidratos. Semelhante à farinha de tapioca, fornece amido resistente, que oferece diversos benefícios ao sistema digestivo. Sem contar que carrega triptofano e vitamina B6, que contribuem para a produção de serotonina; e é pobre em gorduras, ou seja, uma boa opção para quem está tentando equilibrar o colesterol.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de mandioca crua, podemos encontrar:

  • 355 calorias;
  • 88,4g de carboidratos;
  • 1,7g de proteínas;
  • 0,3g de gorduras totais;
  • 0g de fibras;
  • 0mg de sódio.

Leia também: Farinha de Einkorn: o que é, propriedades e benefícios

4 – Guia das farinhas: de aveia

farinhas

Do que é feita?

A farinha de aveia é feita moendo a aveia integral. Dá aos assados ​​mais sabor do que a farinha de trigo, e resulta em uma textura mais crocante.

Assar com farinha de aveia provavelmente tornará o produto final mais úmido. Além disso, devido à falta de glúten do alimento, alguns ingredientes precisarão ser ajustados nas receitas para criar produtos de panificação leves e macios.

A aveia contém um tipo de fibra solúvel chamada beta-glucana, que possui vários benefícios à saúde.

Essa fibra pode ajudar a diminuir o colesterol LDL, bem como os níveis de açúcar no sangue e a insulina (já que ela faz com que o alimento seja digerido lentamente). Além de aumentar a sensação de saciedade. Além disso, concentra boas doses de proteínas e é fonte de gorduras boas.

Essa farinha também é rica em nutrientes como proteínas, magnésio, fósforo e vitaminas do complexo B.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de aveia, podemos encontrar:

  • 380 calorias;
  • 66g de carboidratos;
  • 12,8g de proteínas;
  • 7,6g de gorduras totais (sendo 1,6g saturadas);
  • 4,6g de fibras;
  • 0mg de sódio.

5 – Guia das farinhas: de arroz

Do que é feita?

O arroz também integra a lista de ingredientes que são utilizados para fabricar farinhas sem glúten. Esse tipo é feito a partir do arroz moído (podendo ser o refinado ou o integral). O alimento tem um sabor de noz e pode ser usado para engrossar molhos ou preparar alimentos à milanesa, como peixe, carne e frango.

Além disso, é uma boa base para o macarrão sem glúten e pode se misturar com outras farinhas na preparação de pães, biscoitos e bolos.

Também é fonte de ferro, vitaminas B, magnésio e manganês, além de compostos vegetais chamados lignanas, que ajudam a proteger contra doenças cardíacas.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de arroz fortificada, podemos encontrar:

  • 363 calorias;
  • 85,5g de carboidratos;
  • 1,3g de proteínas;
  • 0,3g de gorduras totais (sendo 0,2g saturadas);
  • 0,6g de fibras;
  • 17mg de sódio.

6 – Guia das farinhas: de quinoa

Do que é feita?

Feita com a quinoa, uma semente nativa da Cordilheira dos Andes, na América do Sul. Esse cereal é utilizado para o preparo de alimentos e até como acompanhamento. Sendo um alimento bem versátil e muito rico em nutrientes, acaba se tornando um ótimo aliado da gastronomia fit.

Tem baixo índice glicêmico e muitas fibras, que ajudam a equilibrar a glicemia. Além disso, a quinoa possui ômegas 3 e 6, contribuindo para a saúde cardiovascular, a redução do colesterol e o controle da hipertensão. Sem falar que é rica em proteínas, vitaminas do complexo B e cálcio, e auxilia no bom funcionamento do sistema nervoso, na manutenção muscular e na prevenção da osteoporose.

Mas não para por aí. A quinoa é indicada para portadores da doença celíaca, já que não contém glúten na composição e também não tem contraindicação.

Contudo, seu uso em excesso pode gerar flatulência ou constipação/prisão do ventre. Isso porque possui um alto grau de fibras, principalmente para quem bebe pouca água.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de quinoa, podemos encontrar:

  • 370 calorias;
  • 67,2g de carboidratos;
  • 13,2g de proteínas;
  • 5,4g de gorduras totais (sendo 0,5g saturadas);
  • 5,1g de fibras;
  • 11mg de sódio.

Leia também: Daniel Cady fala sobre restringir doces para seus filhos

7 – Guia das farinhas: de tapioca

Do que é feita?

Uma ótima opção de espessante para sopas, molhos e tortas, essa farinha não possui um sabor perceptível. Como o próprio nome já diz, é feita com tapioca, isto é, a fécula extraída da mandioca.

É muito utilizada em combinação a outras farinhas sem glúten em receitas de pão. Por não trazer fibras e possuir um alto índice glicêmico, garante energia de forma rápida, mas pode alterar rapidamente a glicemia.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de tapioca, podemos encontrar:

  • 331 calorias;
  • 81,1g de carboidratos;
  • 0,5g de proteínas;
  • 0g de gorduras totais;
  • 0,6g de fibras;
  • 0mg de sódio.

8 – Guia das farinhas: de amêndoa

Do que é feita?

Como o nome já diz, ela é feita a partir de amêndoas moídas. O processo envolve branquear essas oleaginosas em água fervente para remover a casca, depois triturar e peneirá-las.

Farinha de amêndoas não é a mesma coisa que farelo de amêndoas, apesar de seus nomes às vezes serem usados ​​como sinônimos. Isso porque farelo de amêndoas é feito moendo amêndoas com a casca intacta, resultando em uma farinha mais grossa. Assim, essa distinção é importante em receitas em que a textura faz uma grande diferença.

Ela é pobre em carboidratos, ou seja, uma boa alternativa para quem segue a chamada dieta low carb. Além disso, concentra boas doses de proteínas e gorduras consideradas “boas” para o coração.

Contudo, vale ficar de olho na quantidade consumida: ela é uma das mais calóricas.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de amêndoas, podemos encontrar:

  • 564 calorias;
  • 19,26g de carboidratos;
  • 20,7g de proteínas;
  • 49,4g de gorduras totais (sendo 3,8g de saturadas);
  • 11,5g de fibras;
  • 1mg de sódio.

9 – Guia das farinhas: de linhaça

farinhas

Do que é feita?

A farinha de linhaça é feita a partir da famosa semente do linho. A linhaça é fonte vegetal de ômega-3, além de ser considerada um superalimento.

A linhaça possui duas variedades, a dourada e a marrom, porém suas propriedades são essencialmente as mesmas. Entretanto, a linhaça dourada é uma melhor fonte de proteína. Ambas as variedades podem ser usadas no preparo da farinha, que pode ser feita até em casa.

Assim como a farinha de amêndoas, a de linhaça concentra poucos carboidratos, mas bastante fibras e gorduras boas. Contudo, saturadas também – além de ser calórica.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de linhaça, podemos encontrar:

  • 480 calorias;
  • 14,67g de carboidratos;
  • 30,67g de proteínas;
  • 36g de gorduras totais (sendo 8,67g de saturadas);
  • 14,67g de fibras;
  • 0mg de sódio.

Leia também: Comer ração de cachorro faz mal a saúde? Entenda os riscos

10 – Guia das farinhas: de coco

farinhas

Do que é feita?

Feita a partir da polpa do coco (a parte branca) quando seca, a farinha de coco é frequentemente comparada a outras farinhas sem glúten, como amêndoa, avelã, amaranto e grão-de-bico.

Notavelmente, possui duas a três vezes mais fibras do que suas “concorrentes”. Também tem sabor mais suave (porém um tanto adocicado) e pode ser uma alternativa às farinhas de amêndoa e avelã para quem é alérgico a nozes.

Seguidores de dietas com baixo consumo de carboidratos, como a low carb e a cetogênica, devem apostar nessa versão. Assim, ela ajuda a impedir que o açúcar no sangue aumente, e mantém o apetite sob controle. Porém, como é superabsorvente, você não pode substituí-la individualmente por outras farinhas. Portanto, o ideal é procurar receitas que listem especificamente a farinha de coco.

Por fim, vale prestar atenção nas quantidades de gordura saturada e sódio da farinha de coco, que tendem a ser maiores do que em outras farinhas.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de coco, podemos encontrar:

  • 380 calorias;
  • 37g de carboidratos;
  • 12g de proteínas;
  • 14g de gorduras totais (sendo 12g de saturadas);
  • 35g de fibras;
  • 100mg de sódio.

11 – Guia das farinhas: de banana verde

farinhas

Do que é feita?

O ingrediente é exatamente o que seu nome sugere: uma substância semelhante à farinha branca, feita de banana. Assim, o resultado é um produto levemente doce, mas versátil o suficiente para funcionar em praticamente qualquer receita que exija farinha de trigo. Porém, como é densa e sem grãos, você pode precisar de meia colher de chá de bicarbonato de sódio para que os bolos cresçam com ela.

Apesar de não conter glúten, ela não é baixa em carboidratos.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de banana verde, podemos encontrar:

  • 310 calorias;
  • 65g de carboidratos;
  • 4,6g de proteínas;
  • 3,6g de gorduras totais (sendo 1,6g de saturadas);
  • 11g de fibras;
  • 0mg de sódio.

12 – Guia das farinhas: de grão-de-bico

farinhas

Do que é feita?

Feita a partir de uma das mais nutritivas leguminosas, ela é uma opção sem glúten, sendo assim, pode ser consumida por celíacos e intolerantes.

Além disso, pode ser feita em casa e substitui a farinha tradicional nas mais diversas receitas.

Essa farinha é rica em minerais importantes como magnésio, cobre, ferro e manganês. Ainda, é uma boa fonte de vitaminas, proteínas e fibras.

É uma das menos calóricas desta lista, além de ser relativamente baixa em carboidratos. Grande fonte de fibras, a farinha ajuda a promover uma longa sensação de saciedade, o que nos previne de comer em excesso. Além disso, ajuda a melhorar o intestino. Sendo assim, previne a constipação (prisão de ventre) e seu consequente inchaço abdominal.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de grão-de-bico, podemos encontrar:

  • 242 calorias;
  • 36,2g de carboidratos;
  • 14,8g de proteínas;
  • 4,2g de gorduras totais (sendo 0,4g de saturadas);
  • 6,8g de fibras;
  • 40mg de sódio.

Leia também: Gwyneth Paltrow ensina receita de sopa de ossos

13 – Guia das farinhas: de maracujá

Do que é feita?

Feita a partir da casca da fruta. Nela, podemos encontrar vitamina B3, ferro, fósforo e cálcio. Por ser fonte de fibras, a farinha ajuda a promover a sensação de saciedade.

Contudo, seu consumo geralmente se dá em sucos, salpicada em algumas receitas e até em iogurtes — ela não serve para o preparo de bolos e tortas, por exemplo.

A principal característica da casca do maracujá é a quantidade de fibras – essenciais para o bom funcionamento do intestino e para o controle do colesterol.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de maracujá, podemos encontrar:

  • 100 calorias;
  • 10g de carboidratos;
  • 10g de proteínas;
  • 60g de fibras;
  • 100mg de sódio.

14 – Guia das farinhas: de berinjela

farinhas

Do que é feita?

Pode soar incomum, mas a farinha de berinjela está ganhando cada vez mais espaço nas prateleiras. Essa opção low carb pode substituir a farinha de trigo.

Ainda, devido às boas propriedades, ela pode trazer muitos benefícios para a saúde, como ajudar no funcionamento intestinal, combatendo a prisão de ventre. Além disso, promove sensação de saciedade, regulando o apetite e o colesterol.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de berinjela, podemos encontrar:

  • 20 calorias;
  • 6g de carboidratos;
  • 0g de proteínas;
  • 0g de gorduras totais;
  • 0g de fibras;
  • 0mg de sódio.

15 – Guia das farinhas: de chia

farinhas

Do que é feita?

A farinha de chia é mais uma opção para incluirmos a chia na alimentação, um verdadeiro superalimento. A chia, também chamada de semente dos Andes, é rica em excelentes propriedades, também presentes quando ela é transformada em farinha.

Portanto, a farinha de chia ajuda na sensação de saciedade, uma vez que traz fibras. Além disso, é uma ótima fonte de vitaminas, minerais e até mesmo proteína. Ainda, não contém glúten. Sendo assim, é indicada para pessoas com doença celíaca, alergias e intolerâncias ao glúten ou ao trigo.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de chia, podemos encontrar:

  • 390 calorias;
  • 10g de carboidratos;
  • 20g de proteínas;
  • 30g de gorduras totais (sendo 10g de saturadas);
  • 30g de fibras;
  • 0mg de sódio.

Leia também: Glutationa: O que é, funções e fontes do antioxidante

16 – Guia das farinhas: de rosca

Do que é feita?

A farinha de rosca nada mais é do que pão seco ralado ou moído — portanto, carrega glúten. Geralmente, utilizamos esse alimento em inúmeras receitas, sempre com o intuito de empanar, engrossar ou recobrir os alimentos.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de rosca, podemos encontrar:

  • 371 calorias;
  • 75,8g de carboidratos;
  • 11,4g de proteínas;
  • 1,5g de gorduras totais (sendo 0,6g de saturadas);
  • 4,8g de fibras;
  • 333mg de sódio.

17- Guia das farinhas: de amendoim

Do que é feita?

A farinha de amendoim é feita da trituração do amendoim. Essa farinha ainda é pouco consumida no Brasil, mas suas propriedades nutricionais já vêm chamando a atenção. Ela é rica em gorduras boas, fibras, proteína vegetal (excelente para vegetarianos e veganos) e contém uma grande quantidade de vitaminas e sais minerais. Não carrega glúten.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de amendoim, podemos encontrar:

  • 428 calorias;
  • 34,7g de carboidratos;
  • 40g de proteínas;
  • 21,9g de gorduras totais;
  • 15,8g de fibras;
  • 1mg de sódio.

18 – Guia das farinhas: de abóbora

Do que é feita?

Feita a partir das sementes cruas e prensadas a frio para extração de óleo – por isso é menos calórica e mais rica em proteínas que as sementes integrais. É apreciada para empanar alimentos antes de assar. Como tem um tom esverdeado, é comum que deixe massas brancas com um tom verde. Naturalmente sem glúten.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de farinha de abóbora, podemos encontrar:

  • 365 calorias;
  • 20g de carboidratos;
  • 33g de proteínas;
  • 17g de gorduras totais (sendo 3g de saturadas);
  • 20g de fibras;
  • 18mg de sódio.

Leia também: Triglicérides: O que é, riscos e como controlar

19 – Guia das farinhas: de soja

Do que é feita?

Tradicional na culinária japonesa, a farinha de soja pode ser integral (kinako) ou farinha de soja torrada. As duas formas levam grãos selecionados e desengordurados, mas a primeira é com eles torrados e moídos, enquanto a segunda diz respeito ao tratamento térmico dos grãos, que levam uma espécie de “choque térmico”.

Sem glúten, baixa em carboidratos e rica em proteínas e fibras! Há quem diga que o consumo exagerado de soja pode alterar hormônios como o estrógeno e a testosterona, mas as pesquisas na área ainda são confusas e um tanto contraditórias.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de farinha de soja, podemos encontrar:

  • 360 calorias;
  • 16,8g de carboidratos;
  • 50g de proteínas;
  • 10,2g de gorduras totais;
  • 12,2g de fibras.

20 – Guia das farinhas: de batata-doce

farinhas

Do que é feita?

A farinha de batata-doce, também chamada de batata-doce em pó, é uma opção para quem quer evitar o consumo da farinha de trigo. Rica em carboidratos complexos, ela é lentamente absorvida pelo organismo, portanto, não provoca grandes picos glicêmicos. Ainda, essa farinha é fonte de vitaminas, como a anti-inflamatória vitamina A, além de fibras e minerais, como o cálcio e o potássio. Não possui glúten.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de farinha de batata-doce, podemos encontrar:

  • 330 calorias;
  • 73,6g de carboidratos;
  • 6,8g de proteínas;
  • 0,8g de gorduras totais;
  • 10g de fibras;
  • 234mg de sódio.

21 – Guia das farinhas: de castanha-de-caju

Do que é feita?

Feita apenas com a castanha-de-caju e nada mais! O alimento é conhecido por fornecer compostos antioxidantes, magnésio e potássio. Sua farinha é sem glúten e baixa em carboidratos, mas pode apresentar níveis mais altos de gorduras (contudo, concentra sobretudo aquelas consideradas “boas”).

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de farinha de castanha-de-caju, podemos encontrar:

  • 369 calorias;
  • 20g de carboidratos;
  • 12g de proteínas;
  • 29g de gorduras totais (sendo 5g saturadas);
  • 2g de fibras;
  • 8mg de sódio.

Leia também: Fibras solúveis: o que são, benefícios e exemplos

22 – Guia das farinhas: de amaranto

farinhas

Do que é feita?

O amaranto é um grão que não possui glúten e é rico em ótimas propriedades. Fonte de fibras e diversas vitaminas, é típico do continente americano. Não só, concentra sais minerais, como zinco, e pode ser consumido por celíacos e adeptos da dieta sem glúten.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de amaranto, podemos encontrar:

  • 368 calorias;
  • 66g de carboidratos;
  • 12g de proteínas;
  • 6g de gorduras totais (sendo 0g saturadas);
  • 5g de fibras;
  • 22mg de sódio.

23 – Guia das farinhas: de araruta

farinhas

Do que é feita?

A araruta é uma erva ainda pouco conhecida. Originária da América do Sul, também é comum na Indonésia, e seu consumo geralmente é feito em forma de farinha, rica em propriedades diversas. Ela é considerada atualmente uma planta alimentícia não convencional (PANC).

A partir de seu rizoma (caule que cresce sob a terra) é feita uma fécula, uma espécie de farinha bem fina e muito branca. Por isso, seu uso se estende para outros fins. Infelizmente, justamente por ser tão benéfica à saúde e versátil, ela se encontra em extinção atualmente, especialmente no Brasil.

A sua fécula é indicada para o tratamento da diarreia ou de problemas de digestão, pois apresenta ótima digestibilidade. Além disso, a fécula da planta também pode ser usada no tratamento de feridas ou picadas de inseto, sendo para isso indicado aplicar compressas diretamente sobre a região.

Assim como a farinha de amaranto, apesar de não ser uma farinha baixa em carboidratos, ela apresenta pouca gordura. A araruta é um alimento de fácil digestão. Além disso, é rica em fibras, que facilitam esse processo ainda mais e promovem sensação de saciedade e bem-estar. Não só, a erva, bem como seu rizoma, não possuem glúten.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de araruta, podemos encontrar:

  • 357 calorias;
  • 88,15g de carboidratos;
  • 0,3g de proteínas;
  • 0,1g de gorduras totais;
  • 3,4g de fibras;
  • 2mg de sódio.

24 – Guia das farinhas: semolina

Do que é feita?

Semolina, ou sêmola, são termos usados para descrever a farinha de cereais parcialmente moída e purificada. Geralmente, diz respeito a farinhas grossas de trigo duro, outros tipos de trigo, milho ou arroz. Por isso, pode conter glúten.

A partir da semolina, podemos fazer receitas de massas e até cuscuz.

Informações nutricionais

Em 100g de semolina, podemos encontrar:

  • 350 calorias;
  • 84g de carboidratos;
  • 11,2g de proteínas;
  • 1g de gorduras totais;
  • 0g de fibras;
  • 12mg de sódio.

Leia também: Abacate: conheça os benefícios, como consumir, armazenar e receitas!

25 – Guia das farinhas: de sorgo

farinhas

Do que é feita?

A farinha vem do sorgo, um grão ancestral semelhante ao milho. Possui propriedades antioxidantes (por exemplo: antocianinas, ácidos fenólicos e taninos) e potencial saciador, excelente para quem deseja perder peso. Pequeno e redondo, é mais comumente encontrado nas cores branca e amarela. Porém, pode ser também vermelho, marrom, preto e, até mesmo, roxo.

Além disso, beneficia o funcionamento do sistema digestivo, bem como a saúde geral do corpo. Não só, carrega nutrientes excelentes para prevenir diversas doenças, como o câncer. Ademais, o sorgo é também rico em vitamina B6 e em magnésio.

Informações nutricionais

Em 100g de farinha de sorgo, podemos encontrar:

  • 361 calorias;
  • 77,47g de carboidratos;
  • 7,87g de proteínas;
  • 3,29g de gorduras totais;
  • 6,6g de fibras;
  • 4mg de sódio.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Por quanto tempo devo tomar ômega
Alimentação Bem-estar

Por quanto tempo devo tomar Ômega 3?

Muitas pessoas se perguntam: Por quanto tempo devo tomar ômega 3? Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

Por quanto tempo devo tomar vitamina C
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar vitamina C?

Aliada a imunidade e a beleza, a vitamina C está ligada a uma série de benefícios para a saúde. Veja recomendações sobre o consumo prolongado

ator Cauã Reymond segurando um garfo e uma faca e usando um babador
Alimentação Bem-estar

Cauã Reymond mostra jantar saudável com sopa, frango e legumes

Ator compartilhou em suas redes socais o que comeu na noite de Dia dos Namorados (12/06). Confira o jantar de Cauã Reymond