Melhores substitutos para a farinha de trigo

4 de setembro, 2019

Essencial para o preparo de bolos, pães, pizzas, bolos e muitos outros alimentos, a farinha de trigo constantemente é associada ao ganho de peso, sendo um dos primeiros ingredientes a ser eliminado do cardápio de quem pretende eliminar uns quilinhos da balança.

Contudo, acontece que o processo de refinamento da farinha branca é o grande responsável pelos problemas causados por ela. Pois, é na fase de industrialização que parte dos nutrientes é perdido, já que o trigo é separado da casca e do gérmen, deixando apenas o endosperma do grão. Ele também sofre diversos processos que acabam distanciando o vegetal dos seus valores nutricionais originais, tornando-o um conhecido vilão do emagrecimento. 

A boa notícia é que você pode trocar o item por equivalentes. Assim, farinhas alternativas podem ser usadas como substitutos da farinha de trigo comum se você tiver alergia, intolerância, está de dieta ou se quiser adicionar mais variedade à sua rotina. 

Desse modo, cada farinha tem características diferentes e propriedades nutricionais, por serem feitas com produtos distintos. Então, a escolha por qual utilizar depende do seu objetivo. Com isso, essas trocam podem adicionar nutrientes e sabores diferentes à sua cozinha. A farinha de amêndoa, por exemplo, tem mais proteína do que a farinha de trigo e dá um sabor de nozes às receitas. Confira algumas das melhores opções: 

Farinha de amêndoa

A farinha de amêndoas tem menos carboidratos e mais nutrientes do que a farinha de trigo branca, como cálcio e magnésio. Já a  vitamina E contida nesta farinha possui propriedade rejuvenescedora e regeneradora para o organismo. Assim, ao colocá-la em receitas, use duas xícaras para cada xícara indicada de farinha branca.

Por porção de 1/4 de xícara:

  • 150 calorias;
  • 10 g de gordura (1 g saturada);
  • 9 g de carboidratos;
  • 1 g de fibra;
  • 7 g de proteína.

Farinha de coco

Seguidores de dietas com baixo consumo de carboidratos, como a low carb e a cetogênica, devem apostar nessa versão. Assim, ela ajuda a impedir que o açúcar no sangue aumente e mantém o apetite sob controle. Porém, como é super absorvente, você não pode substituí-la individualmente por outras farinhas. Portanto, o ideal é procurar receitas que listem especificamente a farinha de coco.

Por 3 colheres de sopa de porção: 90 calorias, 3 g de gordura (0 g saturada), 9 g de carboidratos, 1 g de açúcar, 0 mg de sódio, 8 g de fibra, 15 g de proteína.

Farinha de banana

É mais rica em amido resistente do que a farinha normal, não se decompõe totalmente no corpo e atua para que você se sinta mais saciado. Como é densa e sem grãos, você pode precisar de meia colher de chá de bicarbonato de sódio para que os bolos cresçam com ela.

Por porção de 1/4 de xícara: 90 calorias, 0 g de gordura (0 g saturada), 31 g de carboidratos, 1 g de açúcar, 10 mg de sódio, 2 g de fibra, 1 g de proteína.

Farinha de grão de bico

Cheia de proteínas (cerca de 28 gramas por xícara) e rica em fibras, essa farinha sem glúten é destaque em pratos salgados graças a seu sabor terroso. Troque por farinha branca quando estiver preparando almôndegas ou hambúrgueres vegetarianos. 

Por porção de 1/4 de xícara:

120 calorias, 2 g de gordura (0 g saturado), 17 g de carboidratos, 3 g de açúcar, 20 mg de sódio, 3 g de fibra, 7 g de proteína.

Farinha de aveia

Não apenas essa farinha sem glúten é rica em ferro e proteínas, mas também é carregada com fibra solúvel – que se transforma em um “gel” no intestino com poder de diminuir a taxa na qual os nutrientes são absorvidos na corrente sanguínea. O resultado? Menor taxa de colesterol e açúcar mais estável no sangue.

Por 1/4 de xícara de porção: 90 calorias, 2,5 g de gordura (0 g saturada), 16 g de carboidratos, 0 g de açúcar, 0 mg de sódio, 2 g de fibra, 3 g de proteína.

Farinha de centeio

Esse substituto contém níveis mais baixos de glúten, o que o torna uma opção melhor para quem tem sensibilidades (não a doença celíaca). Mais boas notícias? Tem um sabor rico e levemente adocicado  – que faz maravilhas em biscoitos, panquecas ou bolos – ao mesmo tempo em que enriquece a nutrição dos assados ​​com muito ferro anti-inflamatório.

Por porção de 1/4 de xícara: 90 calorias, 0,5 g de gordura (0 g saturada), 22 g de carboidratos, 0 g de açúcar, 0 mg de sódio, 4 g de fibra, 3 g de proteína.

Farinha de milho

A farinha de milho é rica em nutrientes energizantes, como ferro e vitaminas B, tiamina e riboflavina. É livre de colesterol e uma fonte de fitonutrientes e antioxidantes chamados luteína e zeaxantina. Possui sabor neutro e é ideal para ser utilizadas em receitas empanadas. 

Por 1/4 de xícara de porção: 130 calorias, 1,5 g de gordura (0 g saturada), 25 g de carboidratos, 0 g de açúcar, 0 mg de sódio, 3 g de fibra, 4 g de proteína

Farinha de quinoa

Quinoa é abundante em proteínas, fibras, ferro e magnésio. Além disso, o grão tem um baixo índice glicêmico, o que significa que manterá o açúcar no sangue sob controle e o coração saudável. E, no que diz respeito à farinha, ela tem um sabor agradável, o que é ótimo para assar e cozinhar doces ou salgados.

Por 1/4 de xícara de porção: 110 calorias, 1,5 g de gordura (0 g saturada), 18 g de carboidratos, 0 g de açúcar, 8 mg de sódio, 2 g de fibra, 4 g de proteína.

Leia também: Quinoa: Conheça os benefícios do superalimento

Farinha de amaranto

Possui mais cálcio, magnésio, ferro, carotenóides e fibras do que a maioria dos vegetais ou grãos. É também um dos alimentos vegetais mais ricos em proteínas e contém vitamina C e B6. Na forma de farinha, o amaranto adiciona um sabor levemente doce, excelente para assar bolos e biscoitos. 

Por porção de 1/4 de xícara: 110 calorias, 2 g de gordura (0,5 g saturado), 20 g de carboidratos, 0 g de açúcar, 6 mg de sódio, 3 g de fibra, 4 g de proteína.

Leia também: Superalimentos: O que são e como incluir no cardápio

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.