Probióticos: O que são e como consumir

22 de julho, 2019

Os probióticos são micro-organismos vivos que melhoram a saúde geral do corpo. As bactérias benéficas vivem no intestino e melhoram a flora, facilitam a absorção de nutrientes, ajudam a digestão e melhoram o sistema imunológico.

Os mais comuns são: lactobacilos acidófilos, casei, enterococus faecalis, faecium, bulgárico, lactis, plantarum, estreptococo termófilo, bifiobactéria difibus, longus e infantis.

Existem duas formas principais de consumo, através de alimentos com probióticos naturais, como o iogurte ou o kefir, por exemplo, e a outra é através do uso de suplementos. 

Como consumir 

Para se beneficiar dos probióticos, é preciso consumir diariamente os micro-organismos. E isto pode ser feito através de suplementos, por indicação médica, ou refeições com alimentos ricos em bactérias “boas”, como iogurtes, kefir, kombucha ou leites fermentados. Normalmente eles têm pouco tempo de vida e precisam ser refrigerados. 

O ideal é consumir pelo menos um alimento da lista por dia. Principalmente se estiver fazendo uso de antibióticos, já que a medicação destrói a flora intestinal saudável. 

Para que serve

Regula o trânsito intestinal, evitando prisão de ventre e diarreia; previne doenças intestinais, como colite, doença de Crohn e síndrome do intestino irritável; melhora a absorção de nutrientes; ajuda na digestão, inclusive, lactose; impede a proliferação de bactérias ruins; fortalecer o sistema imunológico e prevenir alergias e intolerâncias.

Em um estudo publicado na revista científica americana Psychiatry Research, os participantes com personalidade instável se mostraram menos tensos após seguirem uma dieta farta nesses microrganismos. Isso revela que a microbiota (a flora intestinal) tem participação na comunicação entre o intestino e o sistema nervoso central. Quando há algum tipo de problema nesse diálogo, as informações transmitidas ao cérebro pela serotonina (95% desse neurotransmissor do bem-estar são produzidos no intestino) chegam de maneira distorcida. Os sintomas são impaciência e inquietação.

Os probióticos ainda diminuem o mau hálito, além de reduzir a incidência de cárie e gengivite, segundo um estudo da Universidade Internacional da Catalunha, na Espanha, publicado no periódico inglês Archives of Oral Biology. As bactérias espantam ainda o fungo Candida albicans, que causa a candidíase oral – o famoso sapinho.

Principais fontes probióticas:

  • Iogurte natural: são a principal e mais fácil fonte de probióticos no mercado, mas também existem versões de iogurtes com sabor que mantém as bactérias benéficas vivas;
  • Kefir: é um produto fermentado com levedura e bactérias que fica semelhante ao iogurte, mas possui um teor mais elevado de probióticos. 
  • Leite fermentado: são produtos especiais que geralmente contêm Lactobacillus adicionados pela indústria, sendo o Yakult o mais famoso;
  • Kombucha: uma bebida fermentada feita principalmente a partir do chá preto;
  • Produtos orientais à base de soja, legumes e verduras, como Miso, Natto, Kimchi, que podem ser comprados em lojas especializadas.
  • Suplementos: Os probióticos também estão em cápsulas e pós. Um profissional de saúde pode indicar opções.

Leia também: Kombucha: O que é e quais os benefícios da bebida

Dieta com probióticos

Os alimentos probióticos se mostraram um grande aliado para quem deseja emagrecer. Isso porque para perder peso corretamente é necessário que o intestino esteja bem regulado para uma melhor absorção dos nutrientes e vitaminas necessárias durante o regime.

Além disso, a flora irregular forma “buracos” pelos quais toxinas e metais pesados penetram na circulação e inflamam o organismo, o que provoca diabetes e outras doenças.

Leia também: Emagrecer: 28 dicas para perder peso rápido com saúde

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.