Suplementos alimentares: O que são e quando tomar

Ganhar massa magra, ter mais energia durante o treino, turbinar o processo de emagrecimento, aumentar a imunidade e até controlar a insulina: os benefícios dos suplementos alimentares são muitos. 

Como o nome já diz, suplementos alimentares são substâncias que tem como objetivo complementar a dieta para adequar a ingestão de nutrientes importantes como vitaminas, minerais, fibras, ácidos graxos essenciais e/ou aminoácidos, entre outros. 

Em algumas ocasiões os suplementos podem fazer parte das refeições, mas sempre deve-se priorizar uma dieta equilibrada com alimentos in natura. 

Os suplementos mais comuns são proteínas do soro do leite (Whey Protein),  creatina, vitamina D, BCAA, L-Carnitina e óleo de peixe, como ômega 3, 6 e CLA. Eles podem ser compostos de todas as vitaminas e minerais  – e por isso são conhecidos como multivitamínicos – ou podem conter apenas determinadas substâncias, como ocorre no caso da creatina e da spirulina, que são indicados especialmente para quem pratica algum tipo de atividade física.

Leia também: O que queima mais calorias: exercício aeróbico ou musculação?

Em 2016, uma pesquisa encomendada pelo grupo Saudifitness revelou que o Brasil é um dos maiores consumidores de suplementos no mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e Austrália.  A maior parte desse público é do sexo masculino, entre idades de 15 a 20 anos. Ainda de acordo com a pesquisa, de 3 a 7% dos brasileiros consomem algum tipo de suplemento, enquanto nos EUA esse número varia de 50 a 55%.

Os tipos de suplementos alimentares que existem são:

  • Suplemento alimentar hipercalórico: para engordar
  • Suplemento alimentar proteicos: para ganhar massa muscular
  • Suplemento alimentar termogênico: para emagrecer
  • Suplemento alimentar antioxidante: contra o envelhecimento
  • Suplemento alimentar hormonal: regularizar os sistema hormonal

Como funcionam

Por serem nutrientes concentrados para suprir uma necessidade específica, eles funcionam em diversas vias metabólicas. “Podem ser usados para auxiliar no ganho de massa muscular, na suplementação alimentar, no aumento de peso, no aumento da ingestão de proteínas, na termogênese, na melhora do foco e da atenção”, explica a nutricionista Carla Simonelli, do Rio de Janeiro. 

Indicações 

Existem situações que apenas o alimento não consegue garantir a oferta adequada de nutrientes. Por isso, a necessidade de suplementar a dieta. “É indicado, por exemplo, para pessoas com monotonia alimentar e sem refeições diversificadas; para atletas que têm um alto gasto energético; para gestantes que precisam de nutrientes específicos para o feto; para idosos que começam a ter uma mudança no metabolismo e na absorção de nutrientes ou para pacientes acamados com dificuldade de deglutição”, diz a especialista.  

Cada suplemento possui características diferentes e interagem de diversas formas no organismo. Alguns devem ser tomados só na hora dos exercícios físicos, outras ao acordar e alguns antes de dormir. 

Todo mundo precisa?

Uma boa dieta, balanceada e bastante diversificada, já fornece todos os nutrientes que precisamos. O suplemento tem um papel importante, sim, mas em casos específicos, como um coadjuvante de um tratamento nutricional.

Contraindicação

Todo suplemento deve ser orientado por um profissional nutricionista ou médico. “Só ele pode dizer se a pessoa tem indicação para tomar um suplemento específico e qual é a dose correta. Cada pessoa tem uma necessidade e uma individualidade bioquímica e, por isso, a importância de ser indicado por um profissional. Um simples whey protein, por exemplo, que é muito comum hoje em dia, pode trazer problemas reais se consumido em excesso”, garante a nutricionista..  

Segundo a especialista, os riscos de se consumir suplementos por conta própria são diversos. Pode trazer problemas para o fígado e rins, aumento do colesterol, taquicardia, ganho de peso excessivo. Se a pessoa faz uso de algum remédio com prescrição por exemplo, o suplemento pode interagir com esse fármaco, aumentando ou diminuindo a sua absorção”. 

Para pessoas que já tratam um câncer, por exemplo, o conselho é ainda mais vital. Estudos descrevem que o excesso de certos nutrientes pode atrapalhar a ação de quimioterápicos e até mesmo potencializar seus efeitos colaterais.

Recomendações antes de tomar suplementos

– Compre suplementos de lojas e marcas conhecidas e certificadas pela ANVISA;

– Confira as advertências, recomendações e restrições. Por exemplo, pessoas com problemas cardíacos devem checar se o suplemento não faz mal ao coração;

– Tenha cuidado ao tomar vários suplementos ao mesmo tempo;

– Verifique se foram realizados testes clínicos com uma parcela da população semelhante à sua (em termos de idade, sexo, etc.);

– Leia o rótulo, pois grande parte dos suplementos encontrados no mercado possuem muitos aditivos químicos (corantes, adoçantes, conservantes, estabilizantes…);

– Pessoas que ingerem suplementos como o Whey Protein devem aumentar o consumo de água para não sobrecarregar os rins;

– Para cuidar de sua alimentação e, se necessária, da suplementação, procure um nutricionista especialista na área de exercício físico e esporte. 

Leia também: Fitness x Wellness: Você sabe a diferença?

Sobre o autor

Amanda Figueiredo
Amanda Figueiredo
Jornalista, editora sênior de nutrição, saúde e bem-estar.