Hérnia de disco: o que é, causas, sintomas e tratamento

1 de August, 2022

Sentir dor nas costas é muito comum. Contudo, quando essa dor vem acompanhada da sensação de queimação ou dormência, dificuldade para locomover-se e até mesmo para trabalhar, isso pode significar algo mais grave: hérnia de disco. Essa doença atinge de 2 a 3% da população no Brasil, sendo mais frequente em homens acima de 35 anos.

Inclusive, recentemente, o cantor Wesley Safadão precisou se afastar dos palcos após receber o diagnóstico de hérnia de disco. “Safadão foi diagnosticado com hérnia discal entre a terceira e a quarta vértebra lombar, com estreitamento do canal vertebral e importante compressão das estruturas neurológicas dentro deste canal. Ele ficará internado para tratamento intenso e permanecerá em repouso até uma nova avaliação médica. Por esse motivo, em respeito a todos que acompanham o seu trabalho e principalmente para preservar a sua saúde, os shows agendados até 6 de julho serão cancelados. Agradecemos o carinho e a compreensão de todos e vamos permanecer em oração para sua rápida recuperação e volta aos palcos”, informou a nota divulgada por sua assessoria de imprensa.

O que é hérnia de disco?

O problema ocorre devido à ruptura do disco que fica no tecido cartilaginoso entre os ossos da coluna. O disco é formado por uma parte fibrosa e outra mais gelatinosa: com a ruptura da parte fibrosa, a parte gelatinosa extravasa, e comprime os nervos, o que pode causar dor.

Na maioria dos casos, o incômodo se manifesta na região lombar ou cervical. Ele também pode ocorrer na área torácica, embora seja menos comum por ser uma parte do corpo com menos movimentação e pressão, como explica Luciano Miller, ortopedista e especialista em coluna pelo Hospital Israelita Albert Einstein.

Leia também: Hérnia de disco: Quem tem, pode correr? Saiba mais

Tipos de hérnia

A hérnia de disco pode ser classificada de acordo com a região da coluna que ocorre o problema. Confira abaixo:

  • Cervical: afeta a região do pescoço
  • Torácica: acomete o meio das costas
  • Lombar: afeta a região mais baixa das costas

Diferenças entre protusão discal e hérnia de disco

A diferença é que a protusão discal pode virar uma hérnia de disco. A protusão discal é o deslocamento do núcleo do disco que fica entre as vértebras, na direção da medula espinhal ou dos nervos da coluna, causando sua compressão. De acordo com o Dr. Amato, médico neurocirurgião, quando o desgaste do disco foge do natural, o núcleo pode se deslocar de seu local original. Assim, o formato do disco muda e essa deformação comprime as raízes nervosas no canal vertebral, causando dor.

Sintomas da hérnia de disco

Os principais sintomas da condição incluem: 

  • Dor nas costas há mais de três meses;
  • Dor no pescoço e nos ombros;
  • Dificuldade para ficar sentado corretamente (coluna ereta) por mais de 10 minutos;
  • Formigamento, fraqueza, dor ou dormência nos braços e pernas;
  • Dores de cabeça associadas a dores na região da nuca, que se estendem para os ombros e braços.

Além disso, muitas pessoas recebem o diagnóstico de hérnia disco mesmo sem os sintomas e a intensidade da dor. “Na maioria deles, os sintomas melhoram naturalmente com três meses, mas podem ser auxiliados com tratamentos clínicos e fisioterapêuticos”, explica Bernardo Sampaio, fisioterapeuta.

No entanto, Bernardo orienta que mesmo sem apresentar sinais, o ideal é realizar um programa de tratamento voltado para a funcionalidade normal da coluna e para o seu fortalecimento.

Leia também: Quiropraxia: O que é, para que serve e como funciona

Causas da hérnia de disco

Entre as principais causas do problema estão hábitos de vida não saudáveis, como obesidade, tabagismo, má postura e a prática de atividades físicas sem repouso. Ademais, fatores genéticos também podem favorecer o aparecimento do problema.

Ações pontuais, como um simples levantamento de peso em excesso, também aumentam o risco de hérnia de disco. A ortopedista Ana Paula Simões, presidente da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva (SPAMDE), destaca ainda que o envelhecimento também favorece o surgimento da condição. “Isso porque ocorre perda de flexibilidade e o disco vai tendo uma degeneração.”

Além disso, mulheres grávidas também estão entre os grupos mais afetados pela hérnia de disco, pois o peso da barriga provoca uma sobrecarga das costas.

Leia também: Caminhada ou corrida para quem está acima do peso?

Diagnóstico

O diagnóstico pode ser feito clinicamente, levando-se em conta o histórico do paciente, as características dos sintomas e o resultado do exame físico realizado durante a avaliação. Dessa maneira, exames como raio-X, tomografia e ressonância magnética ajudam a determinar o tamanho da lesão e localizar a região exata.

“O exame mais importante é escutar o paciente, ouvir o que ele tem a dizer sobre a dor, procurar saber o que ele faz no dia a dia em casa e no trabalho e entender as reações do corpo”, afirma Bernardo.

Tratamento

Com a persistência da dor, é fundamental que o paciente procure um médico para avaliar a gravidade da condição. Remédios em excesso aliviam o problema de imediato, mas podem mascarar os sintomas e adiar a ida da pessoa a um especialista, retardando, assim, o início do tratamento mais adequado.

Depois do diagnóstico, é possível seguir duas linhas de tratamento para a hérnia de disco. Na primeira, o paciente é submetido a terapias conservadoras, como fisioterapia, acupuntura, massagem e até gelo na região. “Também indicamos alongamentos, já que é fundamental fazer fortalecimento abdominal. No caso da fisioterapia, ela funciona como um analgésico para o problema”, reforça Miller.

Se a hérnia de disco foi provocada por má postura, é fundamental corrigir a ergonomia e outros componentes que influenciam na piora da doença. Entretanto, se esses tratamentos não funcionam, os médicos indicam cirurgias minimamente invasivas ou até mais complexas. No geral, o paciente volta às funções do trabalho entre sete e dez dias após a intervenção.

Mesmo diante desses procedimentos, o problema pode voltar a aparecer depois de alguns anos. Por isso, é fundamental incluir hábitos saudáveis no dia a dia como a prática de exercícios físicos, postura correta, dieta balanceada, entre outros.

Medicamentos para hérnia de disco

É importante ressaltar que qualquer tipo de tratamento deve ser indicado por um médico especialista. Mas, geralmente, são indicados anti-inflamatórios, analgésicos, relaxantes musculares, remédios anticonvulsivantes e, em alguns casos, injeções de corticoides.

Hérnia de disco na gravidez

A hérnia de disco também pode ocorrer durante a gravidez. As causas são multifatoriais e geralmente estão relacionadas a uma predisposição genética que a gestante pode ter herdado do pai e/ou da mãe, associado a fatores externos, como a prática de esforços repetitivos, vícios posturais, ou mesmo a própria gestação acaba gerando um aumento na sobrecarga da coluna, predispondo a ocorrência da hérnia de disco.

Outro ponto importante são as mudanças hormonais que ocorrem no corpo da grávida. “A dilatação dos tecidos, principalmente dos ligamentos, faz com que eles fiquem, de certa forma, um pouco mais frouxos. Isso pode fazer com que ela perca um pouco a estabilidade da coluna. Deixando-a, assim, mais instável e predispondo a ocorrência das hérnias discais”, explica o ortopedista David Del Curto, especialista de coluna do HCor.

Sintomas de hérnia de disco na gravidez

Os sintomas podem variar de acordo com cada gestação. Segundo Del Curto, algumas pacientes têm sintomas leves de dor localizada na região lombar, podendo irradiar para a perna. Essa irradiação pode passar pelo glúteo e até se estender para a parte posterior da coxa. Ou, então, ir até a batata da perna e chegar até o pé nos casos mais graves.

Outro sintoma comum da hérnia de disco na gravidez é a sensação de formigamento na perna, podendo ter formigamento nas costas, no glúteo, seguindo a mesma trajetória da dor. Em casos mais graves é possível ter perda de força no pé e sensação de choques.

Tratamentos

O tratamento da hérnia de disco na gravidez fica um pouco restrito quanto ao uso das medicações. Mas o tratamento é semelhante ao comum.

Em caso de dor leve ou moderada, os médicos recomendam um analgésico simples, principalmente o paracetamol. Corticoides também ajudam, algumas vezes com relaxantes musculares. “O corticoide é o melhor anti-inflamatório que existe para o nervo, então quando a paciente tem uma dor ciática muito intensa, costumamos receitar corticoide que pode ser dado em dose única ou por via oral”, afirma.

Em casos extremos de dor ou dor não controlada, pode ser indicado algum analgésico opioide, talvez em doses baixas inicialmente, como o Tramadol.

“A gente não pode esquecer da fisioterapia, que junto com medicações, ajuda bastante no tratamento dessas pacientes. Acupuntura e compressas quentes também ajudam no controle da dor”, reforça o especialista do HCor.

Leia também: Falta de vitamina D na gravidez afeta desenvolvimento muscular dos filhos

Hérnia de disco na gravidez pode prejudicar o parto?

Conforme ressalta o ortopedista David Del Curto, em caso de sintomas leves a moderados, o parto normal não é contraindicado. No entanto, em casos graves, cujo a paciente sente dor muito intensa e incontrolável, ou uma perda neurológica leve ou uma fraqueza no pé, é recomendado o parto por cesárea. “A gente tem que evitar o estresse do esforço físico que a mulher passa durante um parto normal, então nos casos mais graves é preferível que faça a cesariana.”

Cuidados com a hérnia de disco na gravidez

As principais recomendações são:

  • Repouso, mesmo que seja breve, até o alívio dos sintomas mais agudos;
  • Exercícios após a melhora dos sintomas, a fim de ajudar no fortalecimento de membros inferiores que vão promover uma estabilidade no tronco da paciente e, consequentemente, ajudar no controle da dor;
  • Correção postural, já que muitas gestantes têm vícios posturais que devem ser observados pelo médico e pelo fisioterapeuta;
  • Evitar o sedentarismo e, principalmente, controlar o ganho de peso excessivo, se observam muito eficazes no tratamento de gestantes com hérnia de disco.

Atividades físicas para quem tem hérnia de disco

A prática de atividades físicas é uma das melhores formas de tratar a hérnia de disco, pois fortalece a musculatura. Mas, é importante realizar qualquer tipo de exercício sob supervisão de um profissional, para evitar lesões.

Confira abaixo as melhores atividades para quem tem hérnia de disco:

Pilates

O pilates é uma prática que combina movimentos lentos, focados no alongamento, e a respiração. Por isso, exige que a mente e o corpo estejam em sintonia. Ou seja, é necessário muito controle da respiração para que os movimentos sejam realizados de maneira correta. Ajuda a melhorar a flexibilidade, postura, o fortalecimento dos músculos, essencial para melhorar as dores da hérnia de disco.

Natação

Os exercícios na água ajudam a fortalecer os músculos e a relaxá-los. O ideal é ter a avaliação de um especialista antes, pois alguns tipos de nado, como peito, podem piorar ainda mais as dores.

Como ter uma boa postura?

Quando estiver em pé, a cabeça deve estar posicionada acima dos ombros e a parte superior dos ombros acima dos quadris. Ao sentar, as costas devem estar retas, ombros devem estar para trás e os glúteos devem tocar as costas da cadeira. Se você está acostumado a cruzar as pernas, saiba que isso altera o alinhamento pélvico, que também pode afetar a região lombar. 

É importante fazer caminhadas – seja em casa ou no escritório – ou pausas a cada 30 minutos. 

Além disso, a posição de sono também conta como um tipo de postura. Assim, se o corpo não está em uma boa posição ao repousar, pode causar dor e rigidez.

Você pode tentar dormir de lado ou de costas. É normal com o tempo você ainda acordar em uma posição diferente da que se deitou, mas com o tempo o corpo pode ser disciplinado e acostumar a descansar de uma maneira que coloca o mínimo de estresse possível. 

Especialidades envolvidas no tratamento da hérnia de disco

  • Ortopedista: O médico cuida do sistema locomotor como um todo. Isso quer dizer que ele é capaz de diagnosticar e tratar disfunções e lesões nos ossos, músculos, nervos, articulações, etc. Existe, ainda, uma vertente dentro da ortopedia que é voltada exclusivamente para a coluna vertebral.
  • Fisioterapeuta: um profissional que também estuda, diagnostica e trata a hérnia de disco. Para isso, ele tem como aliados técnicas como massagens e exercícios que restauram a capacidade física e a mobilidade dos pacientes.
  • Educador físico: é de suma importância para a orientação adequada na hora da prática de exercícios físicos. Ele ajuda tanto a prevenir lesões durante a prática esportiva, como pode auxiliar no tratamento das mesmas e no alívio das dores da hérnia de disco.

Perguntas frequentes sobre hérnia de disco

Tem cura?

Infelizmente, a doença não tem cura. Mas é possível reduzir as dores e inflamações através de tratamentos adequados.

Quem tem hérnia de disco pode correr?

Exercícios de alto impacto e que envolvam movimentos bruscos podem não ser uma boa ideia. Isso porque o risco do surgimento de lesões são altos.  Mas de acordo com o Dr. Marcelo Amato, médico neurocirurgião, especialista em endoscopia de coluna e cirurgia minimamente invasiva da coluna, se você não tiver o objetivo de completar uma maratona ou correr em provas de velocidade, a atividade está liberada!

Programas Vitat – Linha de cuidados para quem tem hérnia de disco

Pilates em casa

Clique e saiba mais
  • Luciano Miller, ortopedista e especialista em coluna pelo Hospital Israelita Albert Einstein;
  • Ana Paula Simões, presidente da Sociedade Paulista de Medicina Desportiva (SPAMDE);
  • Bernardo Sampaio, fisioterapeuta e diretor clínico das unidades de Guarulhos do ITC Vertebral e do Instituto Trata;
  • Dr. Marcelo Amato, médico neurocirurgião, especialista em endoscopia de coluna e cirurgia minimamente invasiva da coluna;
  • David Del Curto, ortopedista, especialista de coluna do HCor.

Links úteis

Agência Einstein

ITC Vertebral

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.