Dieta para H. pylori: Como evitar e o que comer durante o tratamento

24 de novembro, 2021

Helicobacter pylori é uma bactéria que pode se alojar no estômago ou no intestino do paciente, geralmente causada pelo consumo de alimentos mal higienizados. Se não diagnosticada precocemente e eliminada com o tratamento correto, ela pode gerar problemas como a gastrite e até câncer (em estágios mais avançados). Por isso, é muito importante adotar medidas de prevenção, além de apostar em uma dieta para controlar a H. pylori da maneira correta (se infectado). Entenda melhor:

O que é a H. pylori

A contaminação pela bactéria H. pylori é mais comum do que se imagina. Isso porque o contágio geralmente acontece pela ingestão de água ou de alimentos mal higienizados. Assim, o diagnóstico precisa ser feito por um médico (por meio de exames como a endoscopia), e o tratamento acontece com a prescrição de medicamentos.

Algumas pessoas permanecem sem sinais mesmo carregando o micro-organismo no corpo. Nesses casos, geralmente o médico não indica os antibióticos, justamente para não haver o risco de criar uma resistência bacteriana no local e piorar o quadro. Por outro lado, em casos sintomáticos, pode ocorrer dor e queimação abdominal, gastrite, úlceras e até câncer — aí, são necessários os remédios.

Como evitar

“A higienização dos alimentos antes do consumo, assim como a boa qualidade da água, costumam ser fatores decisivos para evitar e tratar a contaminação por H. pylori”, diz a nutricionista Dayse Paravidino.

Leia também: Alimentos que ajudam a controlar a gastrite

Dieta para H. pylori

De acordo com a especialista, itens que estimulam a secreção de suco gástrico e/ou geram gases devem ser evitados:

  • Café;
  • Chá mate;
  • Refrigerantes ou bebidas gaseificadas;
  • Sucos artificiais;
  • Além disso, alimentos industrializados;
  • Pimenta;
  • Frutas cítricas;
  • Alho;
  • Cebola;
  • Temperos em excesso (mesmo que naturais);
  • Batata;
  • Ervilha e outras leguminosas (como feijão).
  • Por fim, couve.

“Dependendo do caso, para uma orientação alimentar mais individualizada, cabe buscar o apoio de um nutricionista”, acrescenta Dayse Paravidino.

Por fim, você precisa priorizar alguns ingredientes, como:

Probióticos

Os probióticos são micro-organismos vivos que melhoram a saúde geral do corpo. Dessa forma, as bactérias benéficas vivem no intestino e melhoram a flora, facilitam a absorção de nutrientes, ajudam a digestão e melhoram o sistema imunológico. Assim, contribuem para a eliminação da bactéria e para aliviar os efeitos da condição.

Existem duas formas principais de consumo, por meio de alimentos com probióticos naturais (o iogurte ou o kefir, por exemplo), ou por meio do uso de suplementos.

Leia também: Probióticos: O que são e como consumir

Dieta para H. pylori: Ômega-3 e 6

Essas “gorduras boas” impedem o crescimento desenfreado da H. pylori. Desse modo, você pode encontrá-las em peixes, azeite de oliva e sementes.

Carnes brancas e peixes

Por serem menos “pesadas” do que as vermelhas, as carnes brancas são as mais indicadas.

Brócolis, couve-flor e repolho

Ricos em isotiocianatos, substâncias que ajudam a prevenir câncer e combater a H. pylori.

Frutas e legumes (bem lavados!)

Fontes de fibras, esses itens melhoram o funcionamento do sistema digestivo. Mas lembrando: é preciso higienizá-los corretamente!

Fonte: Dayse Paravidino, nutricionista, membro da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN) e da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ASBRANMI).