Câncer de próstata: quais são as causas, sintomas e como prevenir?

Saúde
02 de Novembro, 2022
Câncer de próstata: quais são as causas, sintomas e como prevenir?

A próstata é uma glândula localizada abaixo da bexiga cujo tamanho é semelhante a uma noz. Dentre suas principais funções, está a produção de parte do esperma e auxílio no controle urinário. Ela pode sofrer alterações, entre elas o câncer de próstata, quando células atípicas se proliferam neste órgão e se expande para outros, destruindo-os.

O câncer de próstata é o tipo de doença mais comum vivida por homens a partir dos 50 anos. No Brasil, 1 a cada 7 homens sofrem deste câncer. É, ainda, o 2º câncer mais frequente em homens, ficando atrás apenas do câncer de pele

De acordo com o Ministério da Saúde, o Brasil registrou mais de 47 mil óbitos devido ao tumor maligno de 2019 em 2021. Assim, no ano passado, o país teve 16.055 mortes por câncer de próstata, o que correspondeu a 44 casos por dia.

Além disso, estimam-se que 65.840 novos casos de câncer de próstata sejam descobertos nesse ano. Diante desse cenário, a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) começa uma nova campanha para o novembro azul, mês de conscientização sobre a doença. Ela tem como foco informar que “saúde também é papo de homem”.

Leia mais: Raspagem de próstata: como funciona e quando é indicada?

Causas do câncer de próstata

Dentre os fatores de risco, o principal é o envelhecimento. Para se ter ideia, análise de autópsias mostra prevalência acima de 50% em população acima de 80 anos. No entanto, não existe uma causa definida para este câncer. Confira, então, os principais fatores que aumentam o risco de sua ocorrência:

  • Histórico familiar: homens cujo pai, avô ou irmão já tiveram o câncer de próstata antes dos 60 anos indica predisposição à doença.
  • Idade: o risco de desenvolver câncer de próstata aumenta com o avançar da idade. Por isso, homens que tenham acima de 45 anos, já podem ficar atentos.
  • Obesidade e sobrepeso: consumir alimentos ricos em gordura e embutidos pode aumentar o risco de desenvolvimento da doença.

Principais sintomas

De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia, quando os sintomas começam a aparecer, 95% dos casos já estão em fase adianta. “O câncer de próstata não dá sintomas na fase inicial, por isso é importante não se deixar enganar por sentir-se bem e ir ao urologista para exames de prevenção”, afirma o urologista Paulo Jaworski. Veja os principais sintomas:

  • Dificuldade de urinar;
  • Demora para começar e terminar de urinar;
  • Sangue na urina;
  • Diminuição do jato de urina;
  • Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite;
  • Dores na pelve e ossos;
  • Dor na coluna;
  • Em casos mais graves, infecções generalizadas ou insuficiência renal.

Sintomas podem indicar doenças benignas 

Os sintomas acima também podem ocorrer devido a doenças benignas na próstata, como:

  • Hiperplasia: É o aumento progressivo e lento do tamanho da próstata. Homens acima dos 50 anos são mais propícios a terem a condição, mas também pode ser adquirida naturalmente devido ao avanço da idade. Dentro os sintomas está o jato urinário fraco e fino, além de gotejamento no final da micção. 
  • Prostatite: É uma inflamação causada na próstata, geralmente causada pela proliferação de bactérias na região.

“Esses são os motivos pelos quais o rastreamento (exames de rotina) são tão necessários, eles são a única forma de termos um diagnóstico em fase inicial. Portanto, nesse momento, a possibilidade de cura é muito alta”, conclui o urologista Leonardo D’ Agnoluzzo.

Tipos de câncer de próstata

Existem alguns tipos de câncer de câncer de próstata. Veja alguns deles:

Adenocarcinoma

O adenocarcinoma de próstata é o tipo usual, sendo outros tipos, como linfomas, uma exceção. No entanto, mesmo o adenocarcinoma pode ter comportamento biológico muito diferente entre os pacientes, ou seja, pode oscilar desde tumores indolentes que não crescem, podendo ser somente acompanhados por períodos prolongados, até tumores agressivos com potencial de disseminação rápida e necessidade de tratamento imediato.”, afirma Leonardo D’ Agnoluzzo.

Sarcoma

Este é um tipo bastante raro de câncer de próstata. Por isso, não é comum de ocorrer em homens que estão na terceira idade. Geralmente acontece em adultos mais jovens e até crianças, gerando tecidos mais moles ou ósseos.

Tumor neuroendocrino

Este câncer se origina nas células endócrinas e neurais do tecido afetado, sendo bastante agressivo. É reconhecido por secretar substâncias raras que promovem o crescimento descontrolado da neoplasia – uma proliferação anormal e autônoma de um determinado tecido do corpo, mais conhecido como tumor.

Carcinoma

Este tipo pode ocorrer em qualquer órgão do corpo. Ele surge através do tecido epitelial, uma camada externa que reveste a pele e órgãos do corpo humano.

Carcinoma de células de transição

Este é um tipo mais específico que acomete o epitélio, parte do corpo que reveste o sistema urinário. Ocorre com mais frequência na bexiga e não é muito comum de acontecer.

Diagnóstico do câncer de próstata

Para diagnosticar a doença, é necessário, primeiramente, a realização de alguns exames. São eles: 

Exame de toque retal

Segundo a SBU, 20% dos casos de câncer de próstata são diagnosticados exclusivamente por meio do exame de toque. Neste exame, o profissional irá avaliar o tamanho, a forma e a textura da próstata. Ele irá introduzir o dedo protegido por uma luva lubrificada na região do reto. Certamente, este exame permite palpar as partes posteriores e laterais da próstata.

Ainda de acordo com a entidade, a recomendação é que homens sem fatores de risco façam o exame a partir dos 50 anos. Por outro lado, aqueles que possuem fatores de risco devem fazê-lo antes disso, ou seja, a partir dos 45 anos.

Exame de PSA

O PSA, conhecido como Antígeno Prostático Específico, é um exame de sangue que mede a quantidade de uma proteína produzida pela próstata. No resultado, se os níveis forem baixos, não há chances de ter o câncer. Por outro lado, se houver níveis altos dessa proteína significa que a pessoa tem o câncer, como também, doenças benignas da próstata.

Em segundo lugar, para que o câncer seja de fato confirmado, é preciso realizar uma biópsia, no qual, pedaços bem pequenos da próstata serão retirados para análise em laboratório. Ademais, este exame só é realizado caso seja encontrada alteração em um dos dois exames acima. 

Leia mais: Exame de PSA auxilia no diagnóstico do câncer de próstata

câncer de próstata

Tratamentos para o câncer de próstata

Existem algumas formas de tratar o câncer de próstata, doença que mata 1 pessoa a cada 40 minutos, de acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia. No entanto, o tipo de tratamento a ser realizado depende do paciente e da extensão do câncer. As duas formas mais comuns são:

Cirurgia

A cirurgia consiste na remoção completa da próstata e tecidos que possam estar comprometidos pela doença. 

“Tivemos grandes avanços técnicos nessa modalidade, sendo o principal: o desenvolvimento de plataformas de cirurgia robótica que auxiliam o cirurgião a oferecer um tratamento mais preciso e delicado com consequente diminuição dos riscos e possíveis complicações”, diz o urologista Leonardo.

Radioterapia para tratar o câncer de próstata

Neste tipo de tratamento são emitidos ondas de radiação focadas na próstata e região para promover a morte das células do câncer.

Com a ajuda de equipamentos modernos, é possível oferecer maiores taxas de cura do câncer e menos complicações, podendo evitar o tratamento cirúrgico, principalmente em homens de maior idade ou que tenham uma saúde mais comprometida. Em casos mais avançados, ambos os tratamentos podem ser utilizados.

Vigilância ativa 

A vigilância ativa é uma forma utilizada para monitorar o câncer de perto, sem intervenção de qualquer tipo de tratamento. Dois estudos apresentados no congresso da Associação Europeia de Urologia mostram que alguns homens com mais de 60 anos e que possuem câncer de próstata podem passar 10 anos sem nenhum tratamento ativo. Além disso, com baixíssima probabilidade de morrer por conta da doença utilizando o método da vigilância ativa.

Este método é menos invasivo do que a cirurgia e a radioterapia. Assim, na vigilância, os pacientes sofrem menos com efeitos colaterais, como incontinência e disfunção erétil. Todavia, é necessário realizar diversas biópsias prostáticas e exames de ressonância magnética durante o acompanhamento.

Acima de tudo, este acompanhamento só é possível de ser realizado quando a doença é diagnosticada em um estágio inicial.

Como prevenir o câncer de próstata?

Não é possível prevenir o câncer de próstata, mas é possível diagnosticá-lo precocemente. Dessa forma, é fundamental manter alguns hábitos saudáveis e realizar exames de rotina anualmente. O diagnóstico precoce, inclusive, eleva as chances de cura a 90%, de acordo com a SBU.

Alimentos que ajudam a prevenir o câncer de próstata

Tomate: é rico em licopeno, um antioxidante que protege as células da próstata contra alterações maléficas, como a multiplicação incontrolável que ocorre durante o crescimento do tumor.

Castanha-do-Pará: é rica em selênio, um mineral com alto poder antioxidante, ajudando na prevenção do câncer. Aliás, este mineral também pode ser encontrado em outros alimentos como farinha de trigo, gema do ovo e frango. Além disso, o consumo de outros tipos de oleaginosas também ajudam a inibir a produção celular.

Vegetais crucíferos: os vegetais crucíferos, como brócolis, couve-flor, repolho, couve de Bruxelas e couve são ricos em sulforafano e indole-3-carbinol, tipos de antioxidantes que podem ser grandes aliados contra o câncer de próstata.

Chá verde: a bebida que pode retardar a progressão do câncer. Isso pode ocorrer por conter isoflavonas e polifenóis, nutrientes de ação oxidante. Ademais, eles também estão na maioria das frutas e vegetais, nos grãos de soja e no vinho tinto. 

Peixes: carne branca dos peixes é muito rica em ômega-3, uma gordura boa que contém ação anti-inflamatória e antioxidante. Por isso, seu consumo pode ajudar na prevenção.

Pimenta: pode diminuir as chances do tumor se desenvolver por conter ação anti-inflamatória, controlando os níveis de PSA e a proliferação descontrolada de células malignas.

Romã: contém propriedades que inibem o desenvolvimento de células cancerígenas de variados tipos.

Alho e cebola: estes dois alimentos são muito mais do que temperos. Isso porque eles podem prevenir doenças graves, como o câncer de próstata. Isso ocorre pelo fato do alho e da cebola terem antioxidantes em abundância. Além disso, um estudo realizado pelo Instituto Nacional do Câncer dos Estados Unidos apontou que o risco de homens que comem mais alho e cebola desenvolverem câncer de próstata é 50% menor.

Hábitos essenciais para ter saúde

Com algumas mudanças nos hábitos diários, você poderá ter mais saúde e bem-estar, como também, evitar ou diminuir as chances de desenvolver câncer de próstata. Aqui vai alguns:

  • Primeiramente, ter uma alimentação saudável é fundamental.
  • Praticar atividade física também.
  • Evite consumir bebida alcoólica e fumar.
  • Evite também o sobrepeso e a obesidade
  • Além disso, mantenha os exames de rotina em dia.
  • Enfim, tenha um bom relacionamento com aquelas pessoas que te fazem bem, como seus amigos e familiares.

Novembro Azul

O Novembro Azul é uma campanha que busca conscientizar a respeito da necessidade da prevenção e diagnóstico do câncer de próstata, assim como, da importância dos cuidados integrais com a saúde do homem. Esta campanha ocorre em 21 países e também discute sobre outras doenças além do câncer, como hipertensão, infecções sexualmente transmissíveis, bem como a saúde mental.

Por fim, busque se informar. Se você tem casos na família ou mais de 50 anos, faça o exame e busque pelo tratamento.

Fontes: Leonardo D’ Agnoluzzo, urologista e professor da disciplina de Urologia da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná (FEMPAR) e Paulo Jaworski, urologista e professor da disciplina de Urologia da Faculdade Evangélica Mackenzie do Paraná (FEMPAR).

Referências: Sociedade Brasileira de Urologia.

 

Leia também:

edema articular
Saúde

Edema articular: o que é, causas e tratamentos

O edema, habitualmente, não é uma doença, mas uma das manifestações de uma outra doença

Arritmias cardíacas
Saúde

Arritmias cardíacas: conheça as causas, sintomas e tratamentos

A estratégia de prevenção da doença inclui controle o peso e a prática de atividade física. Saiba mais

Cardiopatia congênita
Gravidez e maternidade Saúde

Cardiopatia congênita: o que é, tipos, sintomas e diagnóstico

Confira os principais tipos e como são feitos os tratamentos