Alimentação e câncer de mama: Entenda a relação

14 de outubro, 2021

Um estudo conduzido pelo Grupo Latino-Americano de Oncologia Cooperativa envolvendo 2.950 mulheres descobriu que 36,9% delas apresentam o estágio 3 do câncer de mama, considerado localmente avançado, antes dos 40 anos. Outro dado da pesquisa que chamou a atenção dos cientistas é que, do total de mulheres, 34% descobriram a doença ao fazer exames de rotina, ou seja, sem ter tido sinais ou sintomas prévios. Mas você sabia que a alimentação pode contribuir para a prevenção e o tratamento do câncer de mama?

Leia também: Emagrecer depois dos 50 anos pode diminuir risco de câncer de mama

Alimentação e câncer de mama: Entendendo a relação

De acordo com outro artigo, desta vez do INCA (Instituto Nacional de Câncer), cerca de 13% dos casos de câncer de mama em 2020 no Brasil (aproximadamente 8 mil ocorrências) poderiam ter sido evitados com a redução das fatores de risco relacionados ao estilo de vida — incluindo a alimentação.

Mas não para por aí, há outras evidências que apontam que uma dieta adequada pode reduzir os processos biológicos que sustentam o desenvolvimento e a progressão do câncer. Um bom exemplo são os alimentos anti-inflamatórios, que estimulam o sistema imunológico.

Leia também: Outubro Rosa: Alimentos que reduzem o risco de câncer de mama

Sendo assim, o nutricionista Eric Naegeli selecionou alguns hábitos alimentares que ajudam na prevenção da doença:

Coma frutas e legumes

“Consuma, diariamente (de quatro a seis porções), verduras e legumes. A ingestão de alimentos in natura garante um melhor aproveitamento de fibras, vitaminas, minerais e enzimas digestivas. O sulforano presente nos brócolis, por exemplo elimina substâncias que podem originar células cancerígenas no corpo”, afirma o especialista.

As frutas vermelhas como morango, cereja, ameixa, framboesa e amora contêm antocianinas, que retardam o crescimento de células pré-malignas e evitam a formação de novos vasos sanguíneos capazes de alimentar um tumor. Já as uvas, por outro lado, possuem flavonoides, que podem retardar o crescimento de células malignas no organismo. “Boa parte dos nutrientes das frutas se concentra na casca. Portanto, o ideal é não descascar. A dica, então, é higienizar bem os alimentos antes de consumir”, recomenda.

Além disso, um estudo publicado na revista Cancer Prevention Research, da Associação Americana para Pesquisa sobre Câncer, mostrou que romãs podem ajudar na prevenção do câncer de mama. Os cientistas analisaram a interação dos compostos do fruto com a enzima aromatase, responsável pela produção de estrogênio e fundamental para o surgimento de células cancerígenas, e concluíram que a romã inibe sua ação.

Leia também: Colesterol e câncer de mama: possíveis relações

Troque os carboidratos simples por complexos

Dê preferência aos carboidratos complexos, que costumam fornecer mais vitaminas, minerais e fibras. Aposte em grão-de-bico, batata-doce, feijão preto, quinoa, arroz integral, lentilha, aveia, centeio, amendoim e cenoura. “Esta última, de acordo com uma pesquisa da Harvard School of Public Health, reduz o risco de desenvolver o câncer de mama em até 17%. Isso porque tem betacaroteno, que protege o nosso DNA contra a oxidação, evitando a formação de radicais livres.”

Aposte nos temperos naturais

Diminua a quantidade de sal e adote temperos saudáveis: ervas (louro, tomilho, manjericão e alecrim) e legumes aromáticos (cebola, alho-poró e páprica). Pesquisadores do Comprehensive Cancer Center, da Universidade de Michigan, afirmam que especiarias como pimenta-preta, curry, noz moscada, mostarda e canela podem diminuir o aparecimento de células cancerígenas.

Alimentação e câncer de mama: Invista nas gorduras boas

Aumente o consumo de ômega-3, presente em peixes como sardinha e salmão e em sementes de chia e linhaça. Ademais, inclua as castanhas na alimentação, uma vez que elas são boas fontes de selênio. “Segundo um artigo publicado na Indian Journal of Clinical Practice, o selênio pode ajudar na eficácia do tratamento do câncer de mama”.

Leia também: Obesidade pode contribuir para o surgimento de câncer de mama

Fonte: Eric Naegeli, nutricionista, especialista em Tecnologia de Alimentos e Suplementação e coordenador de Pesquisa e Desenvolvimento da Mix Nutri.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.