Por que não consigo emagrecer? Questões emocionais por trás do efeito sanfona

“Sabemos que a comida tem a finalidade de nutrir o corpo, promovendo saúde e proporcionando energia para darmos andamento às nossas atividades diárias. Contudo, é claro que comer também dá prazer. Por isso, se você já se perguntou: por que não consigo emagrecer de vez? Saiba que podem existir questões emocionais por trás!

Vivemos em uma busca constante pelo bem-estar, ora querendo perder peso, ora querendo comer para nos sentirmos mais felizes. Pessoas que fazem dietas restritivas muitas vezes voltam a engordar, e às vezes, até ultrapassam o peso anterior. 

Por que acontece o efeito sanfona?

O efeito sanfona ocorre quando há perdas e ganhos de peso sucessivos. Além de trazer inúmeros malefícios para o corpo, esse efeito traz graves consequências para o psicológico, pois reforça os pensamentos sabotadores, como: ‘nunca conseguirei emagrecer’, ‘nenhuma dieta serve para mim’ e, consequentemente, leva essas pessoas a buscarem métodos ditos como ‘milagrosos’, que não têm como objetivo reeducar a alimentação e reprogramar o pensamento. Assim, o resultado não pode ser diferente: elas acabam reforçando o efeito sanfona.

Leia também: Ranking: As melhores dietas para seguir

Por que não consigo emagrecer?

Funciona mais ou menos assim: quando você ouve o médico dizer que precisa passar por uma dieta do período x ao período y, o que acontece?

Na maioria das vezes, após esse período, as pessoas não dão continuidade ao plano alimentar, que na verdade deve fazer parte da sua rotina. Mas não é isso o que ocorre, principalmente quando esse plano alimentar é muito restritivo.

Aí, o pensamento é de privação. E surge o comportamento de comer tudo o que você comia anteriormente. Desse modo, o ciclo se repete e o efeito sanfona acontece — engorda, emagrece, engorda…

Cada pessoa tem a sua constituição corpórea, seus limites, uma bagagem enorme de sentimentos, emoções e comportamentos, e, portanto, deve buscar ajuda — somente por meio do autoconhecimento será possível desenvolver ferramentas para não levar as emoçõe ao prato.

Leia também: Emagrecer: 28 dicas para perder peso rápido com saúde

Por que não consigo emagrecer? Como evitar o efeito sanfona

Mudança de hábitos

A forma mais eficaz de manter a perda de peso e eliminar o efeito sanfona é promover mudanças nos seus hábitos. Mudanças de atitudes ou de hábitos requerem autocontrole e compromisso. Isso envolve ir à academia, iniciar uma reeducação alimentar, melhorar a qualidade de sono, saber identificar prioridades e não viver nas urgências. 

De acordo com especialistas, o cérebro precisa de 21 dias para instaurar um comportamento. Esse é o tempo que você deverá “suportar” para alcançar os seus objetivos — ou, pelo menos, não desistir deles antes.

Por isso, faça da mudança algo permanente, e não um episódio isolado. A chave está em encontrar uma maneira de se alimentar com a qual você possa viver com saúde sem ganhar peso.

Organização, planejamento e prática

Quando você vai fazer seus exercícios, como irá preparar suas refeições… É preciso estar programado para que você se organize, e não use a falta de tempo como desculpa.

Escreva também sua lista de compras no plano de alimentação. Isso vai ajudá-lo a entrar e sair do mercado com todos os ingredientes necessários para preparar suas refeições.

Definir os objetivos

O ponto fundamental para se manter motivado a seguir o plano alimentar é ter uma lista de motivos pelos quais gostaria de emagrecer, e lê-la todos os dias. Esse exercício é uma forma de trazer o pensamento para o concreto. 

Desse modo, você deixa mais claro para o cérebro os motivos pelos quais gostaria de emagrecer e diminui a possibilidade de recaídas diante de pensamentos sabotadores.

Conhecer os objetivos que temos e as ferramentas para conseguir atingi-los é o primeiro passo a ser dado em direção ao que nos propusemos a fazer.

Metas que se transformam em hábitos

Poucas vezes paramos para pensar, refletir e escrever nossas metas. Não paramos para analisar e ter consciência do que facilitará ou dificultará o caminho.

Quando se tem um objetivo, é necessário transformá-lo em uma meta. Assim, você irá manter o foco em direção a ele e se motivar para alcançá-lo. Lembre-se de defini-la com clareza e considerar, também, que precisa ser algo possível e que realmente traga benefícios para a sua vida.

Atividades físicas

Nosso corpo tem algumas necessidades básicas: alimento, água, sono, respiração e movimento. Se você não coloca seu corpo em movimento, está deixando de atendê-lo em uma de suas necessidades básicas.

Assim, fazer exercício físico não tem apenas o propósito de ajudar no seu processo de emagrecimento. Talvez você não tenha inserido a atividade física na sua vida com prazer porque se exercita para emagrecer. 

Ser realista, coerente e consciente

Será que você não estabeleceu metas irreais demais e, por isso, não está dando conta? Será que o mais importante não seria adequar-se a algo que seja coerente e próximo ao que você gosta de comer e buscar o equilíbrio?

Perceba que se o efeito sanfona acontece, certamente é porque você tem tido os mesmos comportamentos e segue sempre o mesmo caminho (o da rapidez, do milagre e da perda imediata do peso).

É a partir dessa consciência, do cuidado, do respeito que a pessoa passa a ter consigo e principalmente com o próprio corpo é que se estabelece um propósito, que é ter qualidade de vida, não por um período, mas para a vida.

Por que não consigo emagrecer? Reflita…

Precisamos comer para nossa fome e não para nosso desejo de comer, e, muitas vezes, a comida entra como um conforto, para amenizar angústia, ansiedade, tristeza, ou mesmo como recompensa para o cansaço e o estresse. E como comer é para toda vida, equilibrar as emoções e a alimentação é a chave do sucesso para quem quer emagrecer ou manter o peso.”

Fonte: Linda Vieira, Psicóloga Clínica com com abordagem Fenomenológico-Existencial. Experiência em: depressão, fobias, estresse, ansiedade, sexualidade, relacionamentos e medos. Parceira no Programa de Emagrecimento Tecnonutri.

Leia também: IMC: Saiba o que é e como calcular