Usar remédio de cavalos para emagrecer traz sérios riscos à saúde

29 de julho, 2022

Recentemente, a influencer e modelo Amanda França deu uma entrevista ao programa Superpop, apresentado por Luciana Gimenez, contando que quase morreu após utilizar remédio destinado a cavalos e outras substâncias com o objetivo de emagrecer. Desse modo, o caso ressalta os perigos que o uso indiscriminado (e sem orientação) de certos produtos pode gerar para a saúde de uma pessoa. Saiba mais:

Remédio de cavalos para emagrecer

“Já fiz muita loucura para ter corpão e ficar mais bombada. De dieta maluca ao uso de remédio para cavalos, eu fazia de tudo para emagrecer. Não tinha consciência do que era perigoso, aprendi sofrendo e tendo complicações”, disse Amanda, que explicou que resolveu comprar o produto após se comparar a outras mulheres no Instagram.

Além disso, ela consumia itens diuréticos. Mas tudo mudou quando ela precisou ir ao hospital. “Quando cheguei no hospital, abri o jogo com o médico e falei tudo o que já tinha tomado. Na hora, ele me disse que um rim estava parando, que eu teria que fazer hemodiálise. Eu entrei em desespero. O tratamento foi à base de antibióticos e os médicos conseguiram reverter o meu quadro. Estou viva por um milagre. Foi a pior fase da minha vida”, lembrou na entrevista.

Mas agora, e já ciente dos riscos que certas substâncias representam para a saúde, ela investe em um programa fitness que estimula a perda de peso de forma natural e segura, sem o uso de remédios. Além disso, tenta sempre lembrar aos seus seguidores que nem tudo que está nas redes sociais é real. “A comparação gera esse tipo problema. Foi isso que aconteceu comigo. Aprendi a lição e quero compartilhar.”

Leia também: Uso indiscriminado de ervas e anabolizantes pode adoecer o fígado

Riscos de certas substâncias

Amanda não contou qual remédio de cavalos usou para tentar emagrecer. Mas um exemplo é o Clenbuterol, substância permitida no Brasil apenas para uso veterinário. Ele geralmente é indicado para o tratamento de comprometimentos respiratórios, pois descongestiona e dilata os brônquios.

Contudo, por ter ação termogênica (isto é, aumentar a pressão sanguínea e promover maior gasto calórico), algumas pessoas apostam no Clenbuterol para fins estéticos. O que não é indicado por especialistas e pode causar efeitos colaterais graves.

Aliás, um artigo de 2018 feito por pesquisadoras do Centro Universitário UniBrasil, localizado no Paraná, buscou investigar se o medicamento seria seguro e eficaz para o emagrecimento em humanos. Assim, ao analisarem diversos estudos anteriores envolvendo o remédio, as cientistas concluíram que “foi possível verificar que a utilização do Clenbuterol para perda de peso é eficaz em animais, porém, em humanos, sua toxicidade é notável, além de depender de vários fatores, incluindo dosagem, tempo de duração do tratamento e via de administração. Desta forma, os riscos da sua utilização não justificam os benefícios.”

Entre as possíveis consequências negativas, elas citaram intoxicação e overdose medicamentosa, problemas no coração, rabdomiólise secundária (destruição das fibras musculares), taquicardia, hiperglicemia, náuseas e vômito.

Referência: Avaliação Da Ação Do Clenbuterol Na Promoção Da Lipólise – Revisão Sistemática Ação Do Clenbuterol Na Lipólise.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.