Quais são os piores alimentos para a pele oleosa?

22 de novembro, 2021

Não é difícil perceber como a alimentação interfere na saúde dos cabelos e da pele. Alimentos muitos gordurosos colaboram com espinhas, falta de hidratação, ressecamento, e assim por diante. Quando o assunto é a pele oleosa, é interessante perceber que a comida pode, sim, colaborar para o brilho a mais da pele. Por isso, vale a pena ter um pouco mais de atenção nesse sentido. Confira, portanto, quais são os piores alimentos para a pele oleosa:

Piores alimentos para pele oleosa

Segundo o nutrólogo Nataniel Viuniski, a qualidade da alimentação e da hidratação tem um impacto direto na saúde e no grau de oleosidade da pele. Isso porque, por ser o maior órgão do nosso corpo, ela conta com 3 camadas (a epiderme, a derme e a hipoderme) e é nutrida e oxigenada de dentro para fora e de fora para dentro.

“Quanto mais rico em gorduras saturadas, mais o alimento aumenta a oleosidade da pele”, explica ele. “Frituras, carnes vermelhas, embutidos e fast-foods são os exemplos clássicos. Alguns chocolates ricos em gordura vegetal também pioram a oleosidade e alguns estudos falam que açúcares refinados e farinhas brancas podem aumentar o grau de inflamação do organismo e afetar a oleosidade da pele.”

O ideal, então, é evitar completamente esses alimentos? Não, exatamente. Na verdade, a recomendação de consumo deve ser feita de forma individualizada por um profissional capacitado — ou seja, é importante consultar um nutricionista ou um nutrólogo antes de fazer qualquer mudança brusca na alimentação. “Pessoas com a pele seca não precisam ser tão rigorosas quanto outras que já têm esse tipo de pele mais oleosa”, continua o médico.

Leia também: O que acontece com sua pele quando você está estressada

Muito além da alimentação

Quando se fala dos cuidados com a pele, é importante mencionar que a alimentação é apenas um dos cuidados que uma pessoa deve ter para melhorar a saúde e o grau de oleosidade da pele.

“Controlar o estresse, ter boa qualidade de sono, evitar o tabagismo e o excesso de bebidas alcoólicas, ter um skincare adequado — limpeza, tonificação, hidratação e proteção contra o sol —, usar suplementos nutricionais de qualidade, como colágeno tipo I e ômega-3, também são fatores que vão fazer toda a diferença”, explica.

Ou seja, uma pele menos oleosa é o resultado de um conjunto de ações que precisam, necessariamente, de orientação médica para acontecer. Evitar gorduras e açúcares em excesso é essencial para a saúde de forma geral, no entanto, é importante entender que certo grau de consumo também colabora para a boa saúde. Por isso, consulte um profissional antes de fazer qualquer alteração na alimentação na busca por uma pele mais saudável.

Leia também: Truques do TikTok: Dicas de beleza perigosas que têm bombado nas redes

Fonte: Nataniel Viuniski, nutrólogo especialista em obesidade e membro do Conselho para Assuntos Nutricionais da Herbalife Nutrition do Brasil.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.