Dieta restritiva e beleza: O que um cardápio radical causa na pele, no cabelo e nas unhas

18 de outubro, 2021

Não é novidade que uma alimentação balanceada é um dos fatores mais importantes para mantermos nossa saúde em dia. Contudo, é comum vermos por aí receitas milagrosas que prometem a perda de peso rápida. Geralmente, trata-se de uma dieta restritiva, que apesar de mostrar diferença na balança (em um primeiro momento), pode afetar alguns processos do organismo — incluindo a nossa beleza! Entenda melhor:

Dieta restritiva e beleza

De acordo com o médico dermatologista e nutrólogo Rafael Soares, uma dieta restritiva normalmente é pobre em nutrientes. “Isso porque a pessoa opta por alimentos de baixa densidade calórica, o que diminui a oferta de macronutrientes para o corpo”, ele explica.

Ao cortar drasticamente os alimentos, pode ocorrer uma deficiência de aminoácidos (dieta chamada de hipoproteica, pois contém pouca proteína) e um aumento no índice glicêmico das refeições. “Uma vez que o indivíduo consome mais carboidratos do que o recomendado para manter a saciedade”, diz o profissional.

Além disso, as alimentações radicais tendem a reduzir a ingestão de gorduras, incluindo as consideradas boas para nós. “Ao contrário do que muita gente pensa, a gordura é essencial para o nosso corpo, principalmente no que diz respeito à formação de células”, afirma Rafael. Como a pele, os cabelos e as unhas estão em constante crescimento e renovação, eles saem prejudicados pela falta de nutrientes.

Leia também: Por que recuperamos o peso perdido?

Um bom exemplo é a biotina, substância do grupo das vitaminas do complexo B. Ela ajuda na divisão celular e é essencial para a saúde da pele e de seus anexos. “Vale lembrar que a superfície cutânea é trocada, no máximo, a cada 28 dias.”

Portanto, se você mantiver uma dieta restritiva por muito tempo, pode trazer as seguintes consequências para a beleza:

  • Pele extremamente flácida, seca e envelhecida;
  • Cabelo com alternância de cores (chamado de sinal da bandeira, que ocorre devido à deficiência crônica de proteína);
  • Por fim, unhas com manchas e concavidades por estarem fracas demais.

Entenda melhor como isso ocorre:

O que uma dieta restritiva pode causar para a beleza

Dos cabelos

“Deficiências nutricionais podem deixar os cabelos mais fracos, sem brilho e quebradiços. Além disso, pode haver uma queda expressiva dos mesmos”, alerta a dermatologista Giovanna Mori Almeida.

Se você consome menos proteínas do que o seu corpo precisa, ele reduz a produção de queratina e colágeno — dois itens essenciais para a proliferação adequada dos folículos capilares. “Poucos zinco e selênio, por outro lado, interferem bastante no crescimento saudável da haste capilar.”

Leia também: Cuidados com os cabelos durante e depois dos treinos

Das unhas

“Ferro, vitamina D e vitaminas do complexo B em poucas quantidades além de alterarem a qualidade do cabelo, podem deixar as unhas ressecadas, com descamações, quebradiças e com colorações alteradas”, diz a médica.

Leia também: Manchas nas unhas e outras alterações podem significar doenças. Saiba como identificar

Da pele

“Uma pele envelhecida, sem viço, ressecada, flácida e com manchas também pode indicar que algo não está adequado na alimentação.”

A redução na ingestão de proteínas, por exemplo, compromete a formação das fibras colágenas, deixando a cútis mais flácida e com menos brilho.

“Outra situação que vemos com frequência no nosso dia a dia é o efeito sanfona que essas dietas milagrosas acabam desencadeando nas pessoas”, explica a dermatologista. Dessa forma, há o estiramento do tecido e o rompimento das fibras elásticas, que fazem com que as estrias apareçam.

Leia também: Piores alimentos para a pele

Fontes: Rafael Soares, médico dermatologista, nutrólogo e especialista em estética; e Giovanna Mori Almeida, médica dermatologista do Hospital Albert Sabin, de São Paulo (HAS).

Sobre o autor

Amanda Panteri
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em alimentação saudável.