Dieta do Tipo Sanguíneo: Saiba como funciona e o que evitar

29 de julho, 2019

A Dieta do tipo Sanguíneo foi desenvolvida pelo médico naturopata Peter D’Adamo e publicada no livro “Eat right for your type” (“Coma certo para o seu tipo”), em 1996. A ideia é que cada grupo sanguíneo evite ou priorize determinados alimentos.

De acordo com as características do indivíduo, o ingrediente correto pode ajudar em processos inflamatórios, melhorar o sistema imunológico e favorecer o metabolismo. O resultado é o emagrecimento, o bem-estar, a melhora do estado emocional e a mudança nos hábitos.

Leia também: Dieta da proteína: cardápio e como fazer para emagrecer

Saber a tipagem sanguínea, O, A, B ou AB, é importante para entender a necessidade do organismo, e até evitar aquelas comidas que não caem bem. A disciplina alimentar mantém o pH mais próximo do alcalino. 

Três categorias de alimentos:

Muito benéficos: protetores e indispensáveis nas refeições diárias. São capazes de evitar e tratar doenças, assim como favorecer a perda de peso

Neutros: não fazem bem,nem mal. Não curam doenças e podem ser consumidos com frequência ou não. Sempre com moderação

Poucos benéficos: Devem ser evitados ao máximo porque deixam o pH ácido. Contribui para o ganho de peso e para o acúmulo de gordura. Podem agravar doenças

Alimentos permitidos para cada tipo de sangue

Tipo O

Conhecido como o grupo mais antigo, um caçador. Devem seguir uma dieta rica em proteínas animais diariamente. A falta de carne pode desenvolver doenças no sistema digestivo devido a alta produção de suco gástrico.

Carnes e peixes: bovina, de carneiro, cordeiro, vitela, bacalhau, badejo, salmão, sardinha e linguado

Laticínios e ovos: ovo caipira ou orgânico

Óleos: azeite de oliva

Verduras e legumes e feijões: alface, abóbora, acelga, brócolis, espinafre e ervilha 

Grãos e cereais: trigo-sarraceno e feijão-rajado

Frutas, castanhas e sementes: abacate, ameixa-preta, acerola, figo, nozes e sementes de abóbora

Ervas e condimentos: curry, salsa, alga, pimenta caiena, gengibre, hortelã

Bebidas: chá-verde e água com gás natural

Tipo A

Grupo dos agricultores, dos vegetarianos. Pessoas com dificuldade em digerir proteínas de origem animal por ter a produção de suco gástrico mais limitada, aparelho digestivo mais sensível

Carnes e peixes: frango, peru, bacalhau e salmão selvagem.

Laticínios e ovos: queijo de soja (tofu)

Óleos: azeite de oliva, óleo de coco

Verduras, legumes: abóbora, acelga, alface, brócolis, cenoura, couve, espinafre, ervilha e lentilha

Grãos e cereais: feijão azuki, feijão-preto, amaranto, trigo-sarraceno, farinha de aveia e farinha de quinoa

Frutas, castanhas e sementes: abacaxi, cereja, figo, limão, damasco fresco, abacate, ameixa-preta, ameixa fresca, amendoim, amêndoa, sementes de abóbora, linhaça e chia

Ervas e condimentos: alho, missô (pasta de soja), gengibre

Bebidas: chá-verde, café e vinho tinto

Tipo B

Toleraram uma dieta mais variada e é o único grupo que aceita bem os laticínios em geral

Carnes e peixes: carneiro, cordeiro, bacalhau, badejo, garoupa, sardinha, salmão e linguado

Laticínios e ovos: iogurte natural, queijo de cabra e mussarela de búfala

Óleos: azeite de oliva

Verduras, legumes: brócolis, beterraba, berinjela, cenoura, batata-doce, inhame, couve-flor

Grãos e cereais: farelo de aveia, farinha de quinoa, arroz integral, , feijão-branco, feijão-rouxinho e soja

Frutas, castanhas e sementes: abacaxi, abacate, ameixa vermelha, uva e mamão

Ervas e condimentos: gengibre, salsa, hortelã, sálvia

Bebidas: chá-verde

Tipo AB

Necessita de uma dieta equilibrada contendo um pouco de tudo. É é uma evolução dos grupos A e B, e a alimentação desse grupo é baseada no cardápio dos dois

Carnes e peixes: carneiro, cordeiro, peru, atum, bacalhau, garoupa, salmão, sardinha e truta

Laticínios e ovos: coalhada desnatada, mussarela, leite de cabra, ricota e queijo de minas

Óleos: azeite de oliva e óleo de coco

Verduras, legumes: aipo, pepino, brócolis, couve, couve-flor e inhame 

Grãos e cereais: arroz integral, pão com grãos germinados e pão com farinha de amêndoa

Frutas, castanhas e sementes: ameixa, uva vermelha, figo, limão, abacaxi, kiwi, amendoim e nozes

Ervas e condimentos: curry, pimenta caiena, salsa e alga

Bebidas: chá-verde, chá de gengibre e de camomila, café normal e descafeinado

Ajuda mesmo a perder peso?

Dado que a dieta recomenda que qualquer um dos tipos evite comida processada e coma de maneira saudável, você pode sim perder peso. Ela foca em comidas reais e saudáveis e a coloca em uma rotina, em vez de deixar você seguir seu comportamento ordinário que pode te levar a ganhar peso. Você pode ver resultados em apenas uma semana, dependendo do que você comia antes.

Leia também: Dieta Dukan: Saiba o que é e como seguir esse estilo alimentar

Vantagens e desvantagens

É uma dieta simples de seguir e ter disciplina, já que é só seguir os alimentos que estão autorizados de acordo com a tipagem. Também não exige gastos com comidas especiais.

Por outro lado, é difícil acompanhar em família. Cada membro da casa teria que seguir sua própria dieta. Para algumas pessoas, restringir um grupo de alimentos pode causar falta de nutrientes e trazer problemas à saúde. É indicado consultar um médico para avaliar a possibilidade.

Leia também: Dieta mediterrânea: Saiba como fazer e os benefícios para a saúde

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.