Metformina emagrece? Entenda como funciona o medicamento e para quem ele é indicado

5 de outubro, 2021

O cloridrato de metformina, ou só metformina, como é mais conhecido, é um medicamento muito eficaz para o tratamento do diabetes tipo 2 — está, inclusive, na lista de fármacos essenciais da Organização Mundial da Saúde (OMS). Contudo, outras condições também têm sido tratadas com o remédio em um esquema off-label (ou seja, sem comprovação científica). É o caso de mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos (SOP) e de quem busca perder peso. Mas será que a metformina emagrece? Saiba mais:

O que é a metformina e como ela age no organismo

A metformina é um hipoglicemiante oral. Isto é, um fármaco em formato de comprimidos usado para o controle das taxas de açúcar no sangue (glicemia) de pacientes com diabetes mellitus (principalmente o do tipo 2). No mercado desde 1950, é considerado seguro e um dos remédios mais utilizados para o tratamento da condição.

Ele é capaz de equilibrar a glicose sanguínea por meio de alguns mecanismos:

  • Regula a flora intestinal e reduz a absorção de açúcar pelo intestino;
  • Controla a liberação de glicose pelo fígado, fazendo com que ela não vá para a corrente sanguínea em grandes quantidades;
  • Aumenta a sensibilidade dos músculos à insulina. Dessa forma, essas estruturas aproveitam melhor a glicose, que é retirada do sangue.

Leia também: Remédios para emagrecer funcionam mesmo?

Para quem é mais indicada

O tratamento com insulina e outros antidiabéticos orais pode causar ganho de peso, o que não acontece com a metformina — ela, além disso, pode até reduzir taxas de colesterol e triglicerídeos no sangue. Portanto, é muito receitada para pacientes com diabetes e obesidade.

Contudo, ao contrário do que muitos dizem por aí, não há comprovação científica de que a substância emagreça — ou seja, ela não deve ser usada por pessoas que não têm a doença e só querem reduzir os quilos na balança.

Algumas mulheres com Síndrome dos Ovários Policísticos usam o medicamento. Apesar de também não existir respaldo científico que mostre os benefícios da metformina para a condição, ela parece amenizar as alterações menstruais.

Leia também: Sopa de legumes para emagrecer com 100 calorias

Como usar a metformina

Os comprimidos de metformina podem ser divididos em duas categorias. Eles devem ser engolidos por inteiro durante as refeições.

  • Revestidos: 500 mg, 850 mg e 1 g;
  • Ação prolongada: 500 mg, 750 mg, 850 mg e 1 g.

Na maioria dos casos, só é possível notar os efeitos do remédio com uma dose mínima de 1500mg por dia. Mas para minimizar possíveis desconfortos gastrointestinais, os médicos geralmente recomendam começar com concentrações mais baixas e aumentar aos poucos.

  • Comprimidos revestidos: começa com 500 mg duas vezes por dia ou 850 mg uma vez por dia. A cada duas semanas, a dose aumenta mais 500 mg, mas não pode passar um total de 2500 mg/dia;
  • Ação prolongada: concentração inicial de 500 mg a 1000 mg por dia. Depois, aumenta-se 500 mg a cada semana. Máximo recomendado: 2000 mg por dia.

O medicamento é bem tolerado, e seus possíveis efeitos se resumem a diarreia, náuseas e gosto metálico na boca. Casos de hipoglicemia (comuns em outros antidiabéticos) são raros.

Leia também: Emagrecer: Dicas para acabar com a gula

Contraindicações

Só há um fator que impossibilita o uso da metformina: a insuficiência renal. Isso porque o remédio pode aumentar a chance de acidose láctica (ácido lático no sangue) nesses pacientes, complicação que pode ser fatal. Além disso, pessoas com doenças hepáticas devem consultar o médico.

Grávidas podem usar a metformina em casos de diabetes gestacional sem grandes riscos. E a presença da substância no leite materno é mínima e considerada segura para o bebê, portanto, os pediatras costumam liberar o seu uso durante a amamentação.

Leia também: Sibutramina: Para que serve, como tomar e efeitos colaterais

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.