Cuscuz engorda? Confira as informações nutricionais do prato

22 de outubro, 2021

Quando o assunto é cuscuz, as definições podem variar dependendo da região do país. Isso porque em alguns lugares, ele é feito com farinha de milho, já em outros, com flocão… Há ainda a versão marroquina, à base de sêmola de trigo. Mas será que algum tipo de cuscuz engorda? Confira:

Cuscuz nordestino engorda?

Ele leva farinha de milho flocada (ou fubá, em alguns casos) e sal. Sua principal característica é ser fonte de carboidratos complexos — aqueles digeridos lentamente pelo organismo e que, por isso, não geram picos de glicose no sangue.

Uma porção de 100 gramas dele concentra 113 calorias (o equivalente à mesma porção de arroz branco cozido). E muita colina, uma vitamina do complexo B que ajuda na memória, na cognição e até no controle da frequência cardíaca.

Leia também: Receita de cuscuz marroquino com legumes

Cuscuz marroquino engorda?

O cuscuz marroquino é um prato popular de muitos benefícios, cuja origem se deu no Oriente Médio. Apesar das diferentes versões, em geral, todas são cheias de boas propriedades e rendem inúmeras vantagens à saúde.

Além disso, você pode incrementar esse prato com vários ingredientes e garantir sabores distintos. Pois, esse alimento não requer muitas técnicas no preparo e, por isso, pode fazer parte do seu cardápio semanal.

Contudo, ele é o mais calórico: uma porção de 100 gramas do cuscuz marroquino carrega quase 200 calorias.

Leia também: Cuscuz nordestino: benefícios e receita de micro-ondas

Cuscuz paulista engorda?

Por fim, o cuscuz paulista é o que possui maior índice glicêmico. Isso porque ele é mais processado do que os outros alimentos, sendo transformado em forma de açúcar e caindo na corrente sanguínea mais rapidamente que os seus “primos”.

100 gramas de cuscuz paulista significam 180 calorias.

Conclusão

Os três pratos têm algumas características em comum. Todos eles são fontes de carboidratos, ou seja, garantem energia, mas devem ser consumidos com moderação — uma vez que possuem quantidades consideráveis de calorias.

Contudo, é preciso entender que nenhum isolado tem a capacidade de emagrecer ou engordar. Pois, o que está relacionado com a perda de peso é a quantidade de calorias que o corpo ingere ao longo do dia. Assim, para diminuir os ponteiros da balança, é preciso que ocorra o chamado déficit calórico, que é quando consumimos menos calorias que gastamos.

Ou seja, comer qualquer um dos tipos de cuscuz não vai aumentar e nem diminuir o seu peso. O que conta mesmo é o equilíbrio — isto é, ingerir porções moderadas e apostar em acompanhamentos saudáveis (no lugar do bacon, da carne seca e da manteiga, por exemplo, invista no ovo, nos legumes, na sardinha ou no atum).

Leia também: Dieta flexitariana: O que é, como fazer e cardápio

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.