Farinha de milho: Como é feita e receitas com o alimento

Alimentação Bem-estar
27 de Setembro, 2021
Farinha de milho: Como é feita e receitas com o alimento

O milho é um dos alimentos que constituem a base do cardápio brasileiro. Em algumas regiões (Nordeste, por exemplo), ele é o protagonista de diversos pratos — do cuscuz à farofa. Por isso, a farinha de milho também está presente na casa da maioria das pessoas. Mas será que ela é saudável? Saiba mais:

Farinha de milho, farinha de milho flocada (flocão) e fubá: Diferenças

São tantos os produtos existentes no mercado que é normal ficarmos em dúvida sobre eles — quem não lembra do cantor Fiuk tentando fazer uma farofa com o item errado em um reality show? A farinha de milho, o flocão e o fubá, por exemplo, têm a mesma matéria-prima: o milho.

Contudo, você já deve ter percebido diferenças entre as texturas de cada um. Isso porque enquanto o fubá é bem fino, a farinha é um pouco mais grossa e o flocão, como o próprio nome já diz, vem em flocos e é bem amarelo.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), farinha de milho e fubá são a mesma coisa. Isto é, o produto é obtido a partir da moagem do grão de milho, posteriormente passado por uma peneira. A única diferença é que o primeiro é mais espesso e o segundo mais fino (e, portanto, absorve mais água na hora do cozimento).

O flocão, por outro lado, passa por um processo de fabricação distinto. Nele, os grãos de milho precisam passar por uma etapa chamada degerminação. Ou seja, a parte branca do milho, conhecida como gérmen, é retirada. Somente depois disso o alimento é triturado.

Parece bobagem, mas cada um desses métodos rende receitas completamente diferentes. Como:

  • Fubá: polenta, mingau, empanados, sopas e bolos;
  • Farinha de milho: cuscuz paulista, farofas, broas e biscoitos;
  • Flocão: cuscuz nordestino e “tapioca” de cuscuz.

Cuidados com relação ao consumo

O milho é um cereal rico em nutrientes como proteínas, vitaminas do complexo B, fibras, e amido (carboidrato). Contudo, vale lembrar que as farinhas mencionadas acima são versões industrializadas do alimento, e devem ser consumidas dentro de um cardápio equilibrado.

“A preferência no consumo de alimentos como os cereais deve ser pelo grão integral em vez das farinhas. Se a opção for pelas farinhas, que essas sejam então as integrais”, explica a nutricionista Dayse Paravidino.

Isso porque a farinha de milho é rica em carboidratos e possui alto índice glicêmico, o que pode contribuir para picos de açúcar no sangue. Por isso, o recomendado é sempre incluir fibras e proteínas magras para acompanhar.

Leia também: Milho: Um alimento versátil e saudável

Receitas com farinha de milho

farinha de milho
farinha de milho
farinha de milho

Fonte: Dayse Paravidino, nutricionista, membro da Associação Brasileira de Nutrição (ASBRAN) e da Associação Brasileira de Nutrição Materno Infantil (ASBRANMI).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

dieta do óleo de coco
Alimentação Bem-estar

Dieta do óleo de coco: o que é, riscos e cardápio

Na prática, os benefícios da dieta do óleo de coco estão em sua ação no organismo. Saiba mais

mulher correndo na esteira da academia. Ela usa um véu na cabeça
Bem-estar Movimento

Qual cardio queima mais calorias? Especialista responde

Corrida, bike, natação… Você já se perguntou qual tipo de cardio queima mais calorias? Profissional de educação física responde