Como usar o açafrão para emagrecer? Dicas de especialistas

21 de dezembro, 2021

Açafrão, açafrão-da-terra, cúrcuma, gengibre amarelo… Provavelmente você já ouviu falar dessa especiaria por aí. Mas a verdade é que ela ficou famosa nos últimos tempos justamente por proporcionar diversos benefícios ao corpo! Inclusive, há quem diga que ela ajuda na perda de peso. Veja, então, como usar o açafrão para emagrecer:

O que é a cúrcuma (ou o açafrão)?

Trata-se de uma raiz originária do sudeste da Europa e do sudoeste da Ásia que pertence à mesma família do gengibre. “O nome científico dela é Curcuma longa L, popularmente usada na culinária por seu sabor característico e também por ser um dos ingredientes do curry”, explica a farmacêutica Paula Molari Abdo, diretora técnica da Formularium.

Seu principal componente é a curcumina, substância que tem propriedades antioxidante e anti-inflamatória. “Por possuir carotenoides e esses compostos, o açafrão ajuda a prevenir doenças como hipertensão, diabetes e câncer. Também é muito conhecido por seu efeito antiespasmódico e expectorante, por melhorar a digestão e aliviar a dor no estômago”, complementa o nutricionista Eric Naegeli.

Leia também: Açafrão-da-terra: Benefícios da cúrcuma e como incluir na dieta

Como usar o açafrão para emagrecer?

Há indícios que mostram que o açafrão pode ser um aliado da dieta — e isso por alguns motivos. “O consumo prolongado dele tem ação sobre o sistema nervoso, ou seja, aumenta os níveis de serotonina no cérebro. Assim, ele atua como inibidor do apetite e gera a sensação de saciedade, consequentemente diminuindo o consumo calórico e ajudando no controle do peso”, diz o nutricionista.

Além disso, de acordo com a farmacêutica, estudos iniciais em pacientes com pré-diabetes mostraram que a suplementação de curcumina diminui a possibilidade de desenvolver diabetes tipo 2. “Ela melhora a função das células pancreáticas, reduz a resistência à insulina e eleva os níveis de adiponectina, um importante hormônio que controla o armazenamento de gordura”, diz.

A especialista explica, ainda, que quando estamos com o peso elevado, ocorre no organismo uma verdadeira inflamação. Assim, o efeito anti-inflamatório do açafrão é excelente para melhorar o estado geral de saúde do corpo — e reduzir alguns marcadores de inflamação, como níveis de triglicerídeos e de glicose elevados no sangue.

Confira, então, maneiras de adicionar a cúrcuma na dieta:

Se você quer combater a gastrite

“É indicado usar o açafrão para temperar os alimentos, uma vez que ele possui propriedades que facilitam a passagem dos ingredientes pelo estômago”, aconselha Eric. Ademais, como é um bom anti-inflamatório, ajuda a aliviar os incômodos da doença.

Leia também: Chá de açafrão: Para que serve, quais os benefícios e como consumir

Como usar o açafrão para emagrecer: Para que o corpo absorva bem a especiaria

“A curcumina é mal absorvida durante a digestão. Portanto, preparar os pratos com pimenta-preta junto pode ajudar. Para ter bom efeito, use de meia a uma colher de chá de açafrão e uma pitada da pimenta”, recomenda Paula.

Para que as propriedades não se percam

“Se consumido na alimentação, o ideal é que o açafrão esteja na forma crua, pois quando submetido ao calor, pode perder até 80% das suas propriedades”, diz o nutricionista.

Como usar o açafrão para emagrecer: Para que os efeitos sejam potencializados

Nesse último caso, os suplementos são os ideais. “A curcumina e os curcuminoides encontrados na cúrcuma podem ser extraídos para produzir suplementos que têm uma potência muito maior do que o açafrão. Com a tecnologia, já existem diversas formas de cúrcuma mais biodisponíveis que não necessitam de pimenta para sua absorção. A pessoa pode adquirir formulações personalizadas na farmácia de manipulação de sua confiança”, finaliza a farmacêutica.

Poréns

Contudo, é sempre bom lembrar: nenhum alimento, sozinho, é capaz de fazer você perder peso ou engordar. O ideal, então, é associar o uso do açafrão a uma dieta equilibrada e à prática regular de exercícios físicos. Dessa forma, ocorre o déficit calórico (ou seja, você consome menos calorias do que gasta diariamente), e o objetivo é atingido.

Por fim, lembre-se que o indicado é não consumir mais de 5g da especiaria por dia. “Isso pode provocar efeitos colaterais como arritmia, tontura e fraqueza”, alerta Eric.

Leia também: 7 alimentos anti-inflamatórios que você deve ter sempre à mão

Fontes: Paula Molari Abdo, farmacêutica, diretora técnica da Formularium e especialista em Manipulação Magistral pela Anfarmag e em Atenção Farmacêutica pela USP; e Eric Naegeli, nutricionista, especialista em Tecnologia de Alimentos, Nutrição Esportiva e Suplementação.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.