Por que o colesterol costuma ficar alto na gravidez?

Gravidez e maternidade Saúde
08 de Agosto, 2022
Por que o colesterol costuma ficar alto na gravidez?

Você sabia que o colesterol alto na gravidez é esperado pelos especialistas? Embora a informação pareça confusa de assimilar, há explicações fisiológicas para isso. Quem fala mais sobre o assunto, no Dia Nacional de Combate ao Colesterol, é a obstetra Flávia do Vale, coordenadora da maternidade do Hospital Icaraí, em parceria com a Perinatal.

“Em suma, níveis elevados de colesterol, durante a gravidez, são necessários para produzir hormônios esteroides, como estrogênio e progesterona. Eles são vitais para levar a gravidez a termo”, esclarece a médica.

Segundo a especialista, esse aumento ocorre principalmente durante o segundo trimestre de gestação, atinge o pico no terceiro e começa a voltar ao normal cerca de quatro semanas após o parto. Ainda de acordo com o cardiologista Renato Borges Filho, da Clínica Mantelli, espera-se um aumento de até 60% do valor do colesterol total por volta da 30ª semana de gestação.

Leia mais: Piores hábitos no café da manhã para quem tem colesterol alto

Quais são os riscos do colesterol alto na gravidez?  

Geralmente, esse aumento do colesterol durante a gestação, que é esperado, não causa prejuízos nem para a mãe, nem para o bebê. No entanto, o cenário é outro quando a figura materna já apresentava estes níveis elevados antes da gravidez. “São casos que conhecemos como hipercolesterolemia familiar”, detalha o especialista.

Assim, o aumento do colesterol que acontece durante a gestação acaba sendo excessivo para a mãe e pode ocasionar alguns riscos. Por exemplo, há a intensificação do processo de aterosclerose (inflamação nas artérias do coração e de outras localidades do corpo humano). Além disso, aumenta-se a incidência de fenômenos trombóticos, que já são mais comuns na gestação.

Já os perigos para o bebê estão relacionados a possíveis estrias gordurosas nas artérias do recém-nascido. Em outras palavras, intensifica-se também a aterosclerose no pequeno.

“Estudos mostram que o colesterol alto tem efeitos adversos na prole da mãe, tanto no útero quanto mais tarde na vida. Por exemplo, as crianças cujas figuras maternas tinham colesterol alto antes de engravidar têm cinco vezes mais chances de terem colesterol alto”, lembra a Dra. Flávia.

Leia mais: Colesterol total: qual o valor normal e como reduzir

Cuidados para controlar o colesterol na gestação

Embora seja esperado que o colesterol aumente na gravidez, é preciso atenção para mantê-lo dentro dos parâmetros sadios. “Uma alimentação saudável, com diminuição de alimentos ricos em gorduras saturadas e aumento daqueles que têm fibras, costuma ser o suficiente para controlar o colesterol na gestação”, detalha o cardiologista.

Além disso, os dois especialistas recomendam a prática de atividades físicas para manter o corpo em movimento e saudável. Lembre-se apenas que qualquer exercício, durante a gravidez, deve ser inicialmente liberado pelo obstetra!

Leia mais: Colesterol alto traz consequências para o cérebro, aponta estudo

Não esqueça dos programas Vitat para se cuidar na gravidez!

Clique aqui e saiba mais!
Para saber mais, clique aqui!
Clique aqui e saiba mais!

Fontes: Dra. Flávia do Vale, obstetra e coordenadora da maternidade do Hospital Icaraí, em parceria com a Perinatal; e Dr. Renato Borges Filho, cardiologista da Clínica Mantelli

Leia também:

mulher se consultando com um médico
Bem-estar Saúde

Preparação para a bariátrica vai além dos exames e envolve mudanças de vida

Antes de entrar no centro cirúrgico, o candidato à cirurgia bariátrica percorre um caminho de preparação que promete mais do que a perda de peso: uma

tempo em frente às telas
Alimentação Bem-estar Equilíbrio Saúde

Maior tempo em frente às telas está associado à piora da dieta de adolescentes

Pesquisa brasileira avaliou dados de 1,2 mil adolescentes e constatou que a maioria gasta mais de 2 horas de tempo em frente as telas

bebê pode comer camarão
Alimentação Bem-estar Gravidez e maternidade

Bebê pode comer camarão? Pediatra explica

Crianças podem ser introduzidos a frutos do mar a partir dos 6 meses de idade, segundo a SBP