Tontura em crianças: entenda os principais motivos do quadro infantil

4 de agosto, 2022

Você sabia que episódios de tontura também podem afetar as crianças? A falta de equilíbrio no corpo, insegurança ao caminhar, mal-estar, náuseas, assim como dores de cabeça são algumas das alterações corporais que também podem afetar os pequenos.

O Dr. Vinicius Ribas Fonseca, otorrinolaringologista pediátrico do Hospital Otorrinos Curitiba, lembra que os sintomas de tontura nas crianças podem ser relatados de maneiras diversas. Portanto, os pais devem ficar atentos a algumas situações do dia a dia.

“Muitas vezes, a criança cai com facilidade ou perde o equilíbrio com frequência. Em outras ocasiões, pode ficar com medo de subir em locais mais altos, como escorregador e árvores. Além disso, pode não ter interesse em brincadeiras que giram, nem em esportes em geral. Há casos, também, em que ela pode ter terror noturno. Assim, esses são alguns dos sinais que devemos ficar atentos”, pontua o médico.

Leia mais: Tontura: o que é, causas e como lidar

Mas, afinal, o que é tontura?

Em suma, a tontura é a falta de equilíbrio que pode vir junto com alguma sensação rotatória (chamada de vertigem). Esse desequilíbrio pode ter origem otológica (na questão vestibular ou nos canais semicirculares) ou origem em algum outro sistema que ajude a criança a se equilibrar, como o sistema visual, o muscular, o esquelético, o neurológico ou o pressórico.

Em alguns casos, a crise de tontura associada à perda de audição chama a atenção quando existe alguma doença do sistema labiríntico que promove a falta de audição e zumbido. Inclusive, essa pode ser a principal queixa que leva a criança ao consultório médico. “Às vezes não é a tontura em si, mas a tontura está participando desses sintomas”, completou o médico.

Leia mais: Tontura na gravidez: O que pode ser e como aliviar

Principais causas da tontura em crianças

Alimentação desequilibrada

A alimentação desajustada durante a infância, com alimentos ricos em açúcares, achocolatados e refrigerantes podem potencializar os episódios de tontura nas crianças. Além disso, o jejum prolongado e alterações endocrinológicas como diabetes, por exemplo, também podem ocasionar a falta de equilíbrio.

O Dr. Vinicius ressalta, no entanto, que o que pode ter correlação é muito mais o efeito do alimento durante o diagnóstico de outros tipos de patologia que causem a tontura e que estimulem o labirinto. “Então, ao tratar doenças que causem o desequilíbrio, a gente evita alguns tipos de alimento que podem dificultar o controle da tontura”, avalia o especialista.

Tontura quando está em movimento

Outro relato frequente de tontura na criança é quando ela está em movimento, seja dentro de um carro ou ônibus, por exemplo. O caso é chamado de oscilopsia e remete à sensação de que o ambiente ao seu redor está em constante movimento, quando, na verdade, está parado. 

Nesses casos, a criança pode ter náuseas e vômitos. Além disso, as muito pequenas tendem a chorar copiosamente durante o tempo que ficam dentro do veículo.

A orientação do Dr. Vinicius é, como forma preventiva, colocar as crianças pequenas no bebê conforto virada para a parte de trás do carro. Dessa forma, evita-se que elas olhem para os lados, o que acaba diminuindo a sensação de tontura.

“Para as crianças maiores, a dica é que elas se sentem no meio do carro, e sempre olhando para a frente, na linha do horizonte, o que diminui a tontura. Outra orientação é colocar cortinas na parte lateral do carro para evitar que elas olhem para o lado durante o trajeto, porque o cérebro acaba se desordenando na sensação de movimento”, acrescenta o otorrino.

Leia mais: Tontura durante a dieta? Entenda o que pode ser

Diagnóstico da tontura em crianças

Quanto antes diagnosticados os episódios de tontura, melhor para evitar futuros prejuízos. Nas crianças pequenas, algumas complicações seriam a dificuldade de andar, de manter a cabeça um pouco mais firme e o pescoço mais parado. Outro ponto são as alterações visuais que podem provocar problemas na leitura com o passar do tempo bem como na identificação de alguns objetos.

O Dr. Vinicius também lembra a importância do diagnóstico precoce em relação a doenças neurológicas. “Se tivermos algum quadro de doença tumoral ou doenças inflamatório-desmielinizantes do sistema nervoso central (enfermidades autoimunes que afetam uma determinada estrutura dos neurônios chamada bainha de mielina), quanto antes o diagnóstico for feito, mais rápido o tratamento com menos tempo de recuperação da criança e menos prejuízos para as suas complicações”, resume o especialista.

Leia mais: Comer muito doce pode causar tontura; riscos e como evitar

Então, como evitar a tontura infantil? Veja as dicas a seguir!

  • Invista na alimentação equilibrada para as crianças, com carboidratos, proteínas, lipídios (gordura) e fibras (verduras, legumes e frutas);
  • Evite doces, frituras, refrigerantes, bolachas recheadas, salgadinhos e demais alimentos industrializados;
  • Crie uma rotina de sono regular: a falta de regras na hora de dormir pode agravar a tontura. Ter uma boa noite de sono é fundamental para o desenvolvimento intelectual e cognitivo infantil, além de liberar o hormônio do crescimento. Por fim, é durante o sono que o metabolismo é equilibrado.

Fonte: Dr. Vinicius Ribas Fonseca, otorrinolaringologista pediátrico do Hospital Otorrinos Curitiba

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.