Tontura: o que é, causas e como lidar

3 de agosto, 2022

Você provavelmente já sentiu tontura alguma vez na vida. De acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 30% da população mundial sofre com a condição. Trata-se de uma desorientação espacial, geralmente entendida como a sensação de tudo “estar girando”, a perda de equilíbrio ou até a vontade de desmaiar.

Em casos isolados e pouco frequentes — depois de irmos em uma montanha-russa, por exemplo —, a tontura não indica algo mais grave, é apenas uma reação do corpo a um estímulo abrupto e exagerado. Contudo, se ela está sempre presente no cotidiano, ou aparece junto com outros sintomas, o ideal é consultar um médico para identificar as causas da questão. Saiba mais:

Tipos de tontura

Pouca gente sabe, mas existe mais de um tipo de tontura. Eles são classificados de acordo com as origens e ajudam a facilitar o diagnóstico de outras doenças. Confira:

Tontura do aparelho labiríntico

Gera a falsa sensação de “tudo girando”. Frequentemente é causada por um problema interno do ouvido e pode vir acompanhada de zumbido ou perda parcial da audição. Além disso, movimentos bruscos com a cabeça pioram a questão.

Tontura de estruturas neurológicas

Provoca um desequilíbrio, então, se você estiver em pé, pode ser que tropece e até caia. Acomete mais os idosos e geralmente é frequente. Alterações da visão, doenças neurológicas, pancadas na cabeça, neuropatias (comuns em casos de diabetes), consumo de álcool ou drogas e até uso de medicamentos, por exemplo, são alguns dos principais desencadeadores.

Tontura hemodinâmica

Decorrente de alterações cardíacas, problemas na circulação ou por conta da pressão baixa. Nesse caso, o sangue não é bombeado para o cérebro, o que pode estimular o escurecimento da visão e até um desmaio.

Tontura emocional

Consequência de quadros emocionais que provocam alterações na respiração — como crises de pânico e ansiedade.

O que causa tontura?

Como deu para perceber, a tontura pode ser dividida em diferentes tipos porque muitas podem ser as causas. Veja algumas:

Causas hormonais e nutricionais

De acordo com o médico endocrinologista Francisco Tostes, sócio da Nutrindo Ideais, deficiências nutricionais podem estar relacionadas ao problema. “Falta de ferro e/ou vitamina B12 são bons exemplos. Além da tontura, o paciente pode ter fraqueza e cansaço. Um exame de sangue simples detecta essas alterações”, explica.

Ademais, outros possíveis motivos são distúrbios da tireoide (tanto hipo quanto hipertireoidismo), insuficiência adrenal (devido ao baixo nível de cortisol no organismo) e diabetes. “Especialmente em pacientes que fazem uso de insulina, a tontura aparece por meio da redução excessiva da glicose no sangue (hipoglicemia)”, complementa o profissional.

Causas psicológicas e emocionais

Já o psiquiatra Higor Caldato, também sócio da Nutrindo Ideais, afirma que a sensação de “tudo estar girando” é bem comum em pacientes com transtorno de ansiedade. Desse modo, a tontura aparece durante as crises, acompanhada de palpitação, dormência no braço e dificuldade para engolir. Contudo, outras condições também ocasionam o problema, como depressão, transtornos alimentares e transtorno bipolar.

“Geralmente, gatilhos estressores geram respostas inadequadas do sistema nervoso central que, associadas a alterações hormonais — como ocorre com o cortisol —, genéticas e químicas, farão com que o organismo manifeste fisicamente questões emocionais”, explica.

Causas ginecológicas

“Doenças que aumentam o fluxo menstrual (como miomatose e adenomiose) podem levar a uma anemia ferropriva (falta de ferro), o que pode gerar tontura. Além disso, vale lembrar que a tontura é um sintoma muito comum na gestação devido à diminuição da pressão arterial”, conta a médica ginecologista Camila Ramos, especialista em reprodução humana.

Leia mais: Tontura na gravidez: O que pode ser e como aliviar

Causas cardiológicas

Já entre as causas cardiovasculares da tontura, podem ser citados “vazamento ou válvulas cardíacas estreitas e arritmias (como fibrilação atrial e aterosclerose), uma vez que reduzem o fluxo sanguíneo para o cérebro”, diz a médica cardiologista Aline Azevedo, membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e integrante da Clínica Nutrindo Ideais.

Quais doenças causam tontura?

  • Labirintite: afeta o labirinto, área responsável pelo equilíbrio.
  • Doença de Menière: mais rara, mas também ataca o ouvido interno e gera crises de tontura e náuseas.
  • VPPB: Vertigem Posicional Paroxística Begnina também tem como um dos principais sintomas a sensação de “tudo estar girando”. Isso acontece quando pequenos cristais do labirinto se soltam.
  • Neurite Vestibular: causa inflamação dos nervos que ligam a orelha interna ao cérebro.

Tontura e covid

Um estudo do Instituto René Rachou da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) descobriu que a tontura é um dos efeitos da Covid-19 ao longo do tempo. Apesar da fadiga ser a principal reclamação entre os participantes, a tontura também foi citada por 5,6% dos entrevistados.

Clique aqui para saber mais

Outros motivos

Andar de carro

tontura

Algumas pessoas podem sentir tontura em outras ocasiões. Andar de carro, por exemplo, causa um desconforto muito grande em quem sofre de cinetose. Isso acontece quando o cérebro recebe sinais diferentes vindas do movimento que se enxerga e da sensação percebida pelos ouvidos. 

Ela não costuma representar um quadro mais grave, mas caso os sintomas sejam intensos e frequentes, vale consultar um especialista.

Ficar horas sem comer

Passar longos períodos sem comer pode justificar uma tontura. Isso porque há uma queda da glicose no sangue, causando um quadro de hipoglicemia que leva a essa sensação incômoda.

Leia também: Tontura durante a dieta? Entenda o que pode ser

Tontura ao levantar

Ao levantar-se rápido demais, é provável que você sinta uma sensação de tontura e um escurecimento da vista – que leva poucos segundos para passar. Tal condição se dá, sobretudo, por uma mudança na pressão arterial ou circulação.

O que é bom para tontura?

Geralmente, uma das primeiras reações ao sentir tontura é deitar-se, mas essa não é a melhor saída. Na verdade, o ideal é permanecer sentado e de olhos abertos, preferencialmente mirando um ponto fixo. Além disso, vale a pena beber um pouco de água. 

Entretanto, caso o quadro se torne frequente e incômodo, é preciso procurar um profissional para identificar as causas e apontar as melhores soluções para superar o problema.

Ajuda médica

Se for uma situação de urgência, vá até o pronto-socorro. Entretanto, se a condição não for tão alarmante, mas houver desconfiança,  é interessante marcar uma consulta com um médico especializado. O otorrinolaringologista, por exemplo, é o profissional que cuida das tonturas relacionadas a doença do labirinto.

Fontes: Francisco Tostes, médico endocrinologista e sócio da Nutrindo Ideais; Higor Caldato, psiquiatra e também sócio da Nutrindo Ideais; Camila Ramos, médica ginecologista e especialista em reprodução humana; e por fim Aline Azevedo, cardiologista membro da Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) e integrante da Clínica Nutrindo Ideais.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.