pH da pele: o que é, qual sua função e qual é seu ideal

3 de junho, 2022

Maior órgão do corpo humano, nossa pele possui a importante função de agir como barreira protetora entre o nosso corpo e os agentes externos. Por este motivo, o pH da pele é constantemente desafiado.

Isso porque, por ser um dos principais mecanismos de proteção da epiderme, este fator acaba lidando diariamente com agressores como poluição, mudanças de temperatura e produtos químicos.

Mas, afinal, como mantê-lo ideal? Para tirar estas e outras dúvidas, consultamos a dermatologista Julyanna do Valle, de Goiás.

Leia também: Piores alimentos para a aparência e saúde da pele

O que é pH?

Para entender a importância do pH da pele, é necessário primeiro saber o que é pH.

Esta sigla significa “potencial hidrogeniônico” e consiste num índice que indica a acidez, neutralidade ou alcalinidade de qualquer meio.

Para isso, existe uma escala que varia entre 0 e 14, sendo 0 fortemente ácido e 14 fortemente básico ou alcalino.

O pH 7, portanto, fica no centro desta escala e é considerado neutro.

Leia também: Afinal, qual é o pH correto da urina?

Qual é o pH ideal da pele?

De acordo com Julyanna, o pH ideal da pele deve estar entre 4,6 e 5,8, sendo considerado levemente ácido.

“Com este número, ele contribui com a proteção da superfície da pele contra agressões externas e infecções por bactérias e fungos. Além disso, ainda ajuda na restauração da flora natural da pele”, explica.

O que acontece com a pele se ela não estiver no pH ideal?

O pH alterado resulta em alguns efeitos negativos para a pele.

Segundo a dermatologista, é comum notar ressecamento, vermelhidão e sensação de desconforto ou repuxamento.

“Além disso, a pele fica mais susceptível a desenvolver irritações, infecções e crises de dermatites (como dermatite atópica e de contato), e sofre com a piora de condições como acne e rosácea”, alerta.

Leia também: Melhores alimentos para a pele seca

Como manter o pH da pele?

De acordo com a profissional, este pH é determinado pelo nosso manto hidrolipídico. Este, por sua vez, é formado por água, sais minerais, gordura e secreção das glândulas sebáceas e sudoríparas presentes na superfície da pele.

Para mantê-lo ideal, portanto, é importante escolher com cuidado os cosméticos que serão usados no corpo, de preferência optando por aqueles indicados para seu tipo de pele.

Leia também: Afinal, por que cosméticos vencidos fazem mal para a pele?

“Prefira também os produtos que tenham o pH semelhante ao da pele”, aconselha a médica.

Outra dica é evitar banhos muito quentes, cosméticos com fórmulas muito abrasivas e produtos com pH alcalino.

“Além disso, fatores ambientais como mudança do clima e poluição também podem alterar o pH da pele. Portanto, manter a pele sempre bem hidratada é fundamental para um manto hidrolipídico mais resistente”, completa ela.

Fonte: Julyanna do Valle, médica dermatologista e tricologista, de Goiás.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.