pH da urina: qual o correto e o que ele indica?

4 de April, 2022

Nas aulas de ciências na escola, você provavelmente deve ter aprendido sobre o pH, uma escala usada para medir se um alimento, bebida ou elemento químico é considerado ácido, neutro ou básico. Esse conceito também pode ser usado para identificar problemas de saúde, por meio do pH da urina. Assim, com a ajuda de exames laboratoriais, um paciente pode saber pelo nível de potencial hidrogênico se o xixi está mais pendente para o lado ácido ou para o básico, e como isso pode ser consequência da alimentação e dos hábitos saudáveis.

O que o pH da urina indica?

Saber se a urina está mais ácida ou alcalina pode servir como parâmetro de avaliação para mostrar algumas anormalidades e doenças. Como por exemplo, é possível citar:

  • Alterações no próprio sistema urinário
  • Problemas de desgaste nos músculos
  • Sintomas nos túbulos renais
  • Infecções generalizadas por todo o corpo
  • Mudanças alimentares

Exame e valores

Um teste simples feito em laboratórios de coleta, como o urina tipo 1, já consegue medir o pH urinário de um indivíduo. Assim, para fazer esse exame, deve-se colher a primeira amostra da urina da manhã, fazendo uma higienização genital adequada.

Mas vale ressaltar que é importante desprezar o primeiro jato, que é aproximadamente 20 a 30 ml de urina, para depois coletar o restante do líquido para uma dosagem mais assertiva do pH.

Após enviar a amostra ao laboratório, os resultados tendem a indicar um valor da escala de potencial hidrogênico. Uma urina saudável costuma ser levemente ácida, com valores que vão entre 5,5 e 7,5. 

Contudo, se o exame apontar que a urina está com 8 ou mais na escala de pH, pode ser um indício de que há uma acidez excessiva. Se o valor for 5 ou menor, quer dizer que o líquido está mais voltado para o alcalino ou básico.

Leia também: Check up médico: quais exames fazer anualmente?

Ajuda médica

Após o resultado, é importante apresentar os exames para um profissional de saúde. Para que ele possa indicar quais cuidados são necessários, de acordo com o pH apresentado na urina do paciente.

Na maioria das vezes, os exames irão ajudar com mudanças nos hábitos alimentares. Ou seja, um indivíduo que consome mais carnes e proteínas de origem animal, além de leite e derivados, tende a apresentar um pH mais ácido. Por isso, pode ser necessário dosar a quantidade desse tipo de alimento no dia a dia.

Já indivíduos com pH da urina mais alcalino consomem mais frutas, verduras e legumes. Apenas em casos de infecção ou problemas urinários é que o médico utilizará o pH urinário como parâmetro para investigar a causa do problema de saúde.

Fonte: Roberto Debski, médico clínico geral. CRM: 06 84803/SP.

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.