Cravos no rosto: o que são, como evitar e como tratar

22 de março, 2022

Quem nunca sofreu com a aparição de cravos no rosto, não é mesmo? Os temidos “pontinhos” pretos na pele são mais comuns do que parece.

De acordo com a Dra. Alessandra Romiti, médica dermatologista e assessora do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), os cravos, também chamados comedões, são a fase mais inicial das espinhas. Além disso, eles são muito mais comuns nas pessoas que possuem a pele oleosa ou que possuem uma tendência maior à formação das espinhas. 

Portanto, os cravos se formam na abertura de algumas glândulas sebáceas, que podem se romper e liberar o material de seu interior na pele, gerando as espinhas.

Eles tendem a aparecer mais nas áreas que possuem maior oleosidade, como a testa, nariz e queixo. No entanto, os cravos podem surgir em todo o rosto e, inclusive, em regiões do corpo com alta produção de sebo, como costas e colo.

Quais as diferenças entre os tipos de cravos?

Você sabia que existem dois tipos de cravos? Existe o cravo preto e o cravo branco, mas qual a diferença entre eles?

“Existe o comedão aberto, aquele ‘pretinho’ que conseguimos observar a estrutura do sebo e que está em contato com o ar do meio ambiente. Também tem o comedão fechado (cravos brancos) que não tem contato com o ar porque possui uma película de pele em cima dele, por isso não conseguimos ver a parte escura”, diferencia a dermatologista. 

Por que eles surgem?

Segundo a médica especialista, a formação dos cravos é mais comum em pessoas com a pele oleosa ou em quem possui maior tendência de acúmulo nas glândulas sebáceas do rosto.

“Essa secreção sebácea junto da queratina pode gerar a proliferação de bactérias e formar um tipo de rolha dessa queratina com o sebo e, então, formar o cravo”, justifica a Dra. Alessandra Romiti. 

Como tratar dos cravos no rosto?

Quando o assunto é tratar os cravos no rosto, é possível descobrir diversos tipos de produtos, remédios, receitas e tratamentos. Mas quais os mais indicados para resolver esse problema que pode causar incômodos e insegurança com a aparência? 

“Se a pessoa tem um cravo, o correto é procurar um profissional habilitado para fazer a extração mecânica da retirada dos cravos”, indica a doutora. 

Essa extração pode ser feita com a limpeza de pele, aparelhos adequados ou com medicamentos. Além disso, o uso de produtos para fazer esfoliação na pele também podem diminuir o problema, de acordo com a especialista.

A Dra. Alessandra Romiti complementa que o ideal é fazer a prevenção do aparecimento dos cravos: “cuidar da pele oleosa ou que possui tendência a acne com sabonetes adequados, esfoliantes específicos ou com produtos indicados pelo dermatologista”.

De acordo com a especialista, os cravos podem ficar por muito tempo na pele porque formam uma espécie de acúmulo de queratina e de sebo na pele. “Se os cravos não forem retirados de maneira mecânica ou com algum tratamento podem durar por bastante tempo na pele”, reforça.

Quais os tratamentos para cravos no rosto?  

Perguntamos a nossa dermatologista consultada quais os melhores tratamentos que podem ajudar a diminuir os cravos no rosto. 

Uma das dicas de tratamentos que a médica sugeriu para acabar de vez com esse problema é a extração mecânica: “para diminuir a formação dos cravos, a extração mecânica pode ser feita por um esteticista ou dermatologista que entenderá a situação do problema e poderá fazer a abertura do cravo com agulha. A retirada será feita com as mãos ou com o uso de um aparelho, chamado de extrator de cravos”, ilustra a especialista.

A Dra. Alessandra Romiti também indica outro tratamento contra cravos que pode ser feito com sabonetes esfoliantes.

Por fim, outros tratamentos indicados pela dermatologista são o peeling de cristal e o de diamante, que realizam a extração do cravo com um profissional capacitado. Além disso, a médica também cita os medicamentos tópicos, como o adapaleno ou outros derivados que podem ajudar a tratar os cravos.

Pode espremer os cravos na pele?

Muitas pessoas que sofrem com cravos na pele tendem a removê-lo com a própria unha ou com a ajuda de outra pessoa. 

No entanto, é importante saber que em hipótese alguma podemos manipular qualquer lesão na pele por conta própria, mesmo cravos ou espinhas.

“O mais importante é que a pessoa que possui cravos na pele não tente espremê-los para tentar removê-los do seu interior. Isso pode inflamar a pele e fazer a lesão ficar ainda mais inflamada e infectada com bolinhas de pus. Não é recomendado que a pessoa tente fazer essa técnica em casa”, alerta a especialista. 

É possível cuidar dos cravos no rosto de modo caseiro?

Na internet, existem diversas receitas caseiras para acabar com os cravos com diversos tipos de ingredientes. 

No entanto, é importante saber quais são os produtos caseiros que não causam problemas para a nossa pele, antes de testar essas técnicas.

“Para tentar fazer a extração dos cravos com ingredientes caseiros, a única coisa que podemos recomendar são os esfoliantes naturais, aqueles feitos com açúcar ou com outros tipos de grãos que ajudam a fazer a esfoliação da pele”, indica a especialista.

Porém, para finalizar, a Dra. Alessandra Romiti informa que a melhor maneira de diminuir a formação dos cravos é sempre seguir as técnicas ou produtos recomendados por um médico dermatologista. 

Fonte: Dra. Alessandra Romiti, médica dermatologista e assessora do Departamento de Cosmiatria da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.