Saturação de oxigênio: saiba a importância do exame

Saúde
11 de Março, 2022
Saturação de oxigênio: saiba a importância do exame

A saturação de oxigênio é bastante utilizada em avaliações de triagem nos hospitais e unidades de pronto atendimento. De acordo com Livia Fernandes Monteiro, médica pneumologista do hospital Icaraí, em Niterói (RJ), o exame informa a quantidade de oxigênio no sangue, que avalia se as hemoglobinas estão transportando o oxigênio de forma eficaz.

Veja também: Bombinha de asma: para que serve e recomendações

Por que a saturação de oxigênio é útil?

Trata-se de um indicador importante para diagnosticar determinadas doenças, sobretudo quando é realizada em conjunto com a medição da frequência cardíaca, temperatura e pressão arterial durante uma pré-avaliação em hospital. Dessa forma, se o indicador estiver abaixo de 95%, é sinal de que o indivíduo está com pouquíssima oxigenação derivada de problemas de saúde. A princípio, podem ser:

Além disso, a baixa saturação de oxigênio é capaz de mapear um quadro de anemia, quando associada a outros exames laboratoriais. Por isso, sua abrangência é essencial no checklist médico de diagnóstico. Especialmente em internações, seu uso é essencial para monitorar o progresso do tratamento.

Como interpretar a saturação de oxigênio

Monteiro reforça que a saturação deve estar sempre entre 95% e 100%, caso o indivíduo não tenha nenhum distúrbio relacionado às doenças citadas. Por outro lado, portadores de problemas crônicos, tais como DPOC e asma, normalmente possuem níveis inferiores e aceitáveis (caso a doença já seja diagnosticada e controlada).

Outra parcela da população que pode apresentar valores abaixo do normal são os idosos, pois é natural que a saturação decresça com o avanço da idade. Dessa forma, deve ser avaliada em parceria com outros exames.

E para os casos de Covid-19?

Durante a pandemia, a saturação de oxigênio se tornou mais conhecida entre a população, pois é um teste amplamente utilizado para a triagem de pessoas com suspeita de Covid-19. Porém, em uma situação grave da doença, o indicador pode acusar abaixo de 80%, um fator determinante para o processo de internação e intubação. Para os infectados que apresentam sintomas tratáveis em casa, a Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o monitoramento constante da saturação de oxigênio. No entanto, se houver queda no indicador, é essencial buscar auxílio médico.

Sintomas da queda de saturação

Pessoas que sofrem uma queda brusca na saturação podem sentir os desconfortos abaixo:

  • Cefaleia (dor de cabeça).
  • Batimentos acelerados.
  • Tosse.
  • Dificuldade em respirar normalmente.
  • Confusão mental e tontura.

Formas de medir a saturação de oxigênio

Frequentemente, o meio utilizado é o oxímetro, um pequeno aparelho que é encaixado na ponta do dedo ou na mão, se o paciente for um bebê. O dispositivo possui uma tela que mostra o percentual da saturação. “Também é possível aderir à gasometria. Todavia, o método é invasivo, pois é necessária a amostra do sangue de uma artéria para a contagem baseada nos mesmos parâmetros do oxímetro”, finaliza Monteiro.

Fonte: Livia Fernandes Monteiro, médica pneumologista do hospital Icaraí, em Niterói (RJ).

Sobre o autor

Amanda Preto
Jornalista especializada em saúde, bem-estar, movimento e professora de yoga há 10 anos.

Leia também:

Ozempic e anticoncepcional
Saúde

Ozempic pode cortar o efeito do anticoncepcional? Médica explica

Nas redes sociais, não faltam relatos sobre o efeito do Ozempic no aumento da fertilidade

Chá de erva baleeira
Alimentação Bem-estar Saúde

Chá de erva baleeira emagrece? Veja benefícios e como fazer

A erva é eficaz em tratamentos de reumatismo, gota, dores musculares e até úlceras; saiba mais

mulher sentada na mesa da cozinha com remédios para gripe na sua frente
Saúde

Queda na temperatura exige cuidados com a saúde. Confira

Neste fim de semana, o frio vai estar presente em diversas capitais. Queda na temperatura pede alguns cuidados com a saúde respiratória