Sardas: o que são, como se formam, cuidados e riscos

Beleza Bem-estar
09 de Maio, 2022
Sardas: o que são, como se formam, cuidados e riscos

Embora sejam consideradas um sinal de charme por muitos, também há quem queira se ver livre delas. Estamos falando das sardas, aquelas pintinhas amarronzadas que costumam surgir em áreas como rosto, pescoço, colo, braços, mãos e costas. 

A seguir, vamos entender melhor o que são essas marquinhas, como se formam, se apresentam riscos e quais os cuidados devemos ter com elas.

Leia também: Manchas nas mãos: porque elas aparecem e como tratá-las

O que são e como se formam as sardas?

Chamadas de efélides pelos médicos, as sardas são manchinhas causadas por um aumento localizado na produção da melanina em regiões que costumam ficar expostas ao sol. A cor delas pode variar do marrom claro ao escuro. 

Elas podem surgir na infância, adolescência ou até na vida adulta. Mas, já reparou que ninguém nasce com sardas? É porque elas precisam do estímulo da exposição solar para aparecerem, além de um componente genético. Ou seja, se elas são comuns na sua família, é bem capaz que você também as tenha.

Embora sejam bem mais comuns em pessoas de peles claras (principalmente em quem tem cabelo ruivo), também podem aparecer em quem tem pele escura

Leia também: Melasma: O que é, tipos, cuidados e mais

Existem riscos? 

Fique tranquila: as sardas são benignas, ou seja, não representam risco de formação maligna. Em outras palavras: não viram câncer de pele. “Mas, a pessoa pode apresentar alguma pinta suspeita junto com as sardas”, explica a dermatologista Geisa Costa, diretora clínica e fundadora do Art Beauty Center (São Paulo e Uberaba/MG).

E como diferenciar uma pinta de uma sarda? “A sarda tem uma coloração avermelhada ou marrom. E a pinta é marrom, lisa e saliente. Mas só o profissional consegue diferenciar um problema na pele. Por isso, recomendamos visitas periódicas ao seu dermatologista para identificar possíveis alterações de cor, tamanho e textura”, continua a médica.

Leia também: Como saber se uma pinta pode ser câncer de pele

Quais cuidados devo ter?

Em primeiro lugar, é preciso considerar que, por serem genéticas, não há como evitar que as sardas surjam em quem nasce com essa característica. Ainda assim, para quem se sente incomodado com elas, pode ser indicado o uso de cremes clareadores, peelings químicos, que removem as camadas danificadas da pele, e o laser. Estes tratamentos não são capazes de removê-las totalmente, mas podem fazer com que elas fiquem bem mais claras e menos visíveis. 

Mas o principal cuidado é mesmo o uso de protetor solar, que vai evitar que elas aumentem e que sua cor se intensifique. Dê preferência a protetores com cor de base, que protegem e uniformizam a pele. 

Por fim, no dia a dia, procure proteger a pele exposta ao sol (rosto, braços etc) com roupas, chapéus ou bonés. Dessa forma, as sardas tendem a ficar menos evidentes.

Fonte: Geisa Costa, dermatologista, diretora clínica e fundadora do Art Beauty Center (São Paulo e Uberaba/MG).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

lata de leite condensado cozida aberta com abridor
Bem-estar Casa

Doce de leite na air fryer dá certo? Pode explodir?

Uma receita de doce de leite na air fryer viralizou recentemente no TikTok. Mas será que realmente dá certo? Confira

foto de folhas de citronela em uma bandeja de bambu
Bem-estar Casa Saúde

Planta citronela espanta mosquito da dengue?

A planta possui um óleo essencial desagradável para alguns insetos. Contudo, a citronela não deve ser a única estratégia para espantar o mosquito da dengue

ovo ajuda no ganho de massa
Alimentação Bem-estar

Aumentar o consumo de ovos ajuda no ganho de massa muscular?

Um adulto deve ingerir cerca de 1 a 3 ovos por dia, mas recomendação pode mudar dependendo individuais