Eficácia da Coronavac aumenta após reforço da Pfizer, diz estudo

Saúde
10 de Fevereiro, 2022
Eficácia da Coronavac aumenta após reforço da Pfizer, diz estudo

Aplicar uma dose de reforço da Pfizer contra a Covid-19 após duas doses da Coronavac confere uma eficácia de 92,7% contra a doença. Já contra casos graves do novo coronavírus, a proteção sobe para 97,3%. Os dados foram divulgados em um estudo publicado na revista científica Nature, e teve a participação de 14 cientistas de universidades brasileiras e internacionais.

“Você toma as duas doses da Coronavac e tem uma proteção principalmente para a doença grave, mais ou menos o que sabíamos. Após seis meses, essa proteção cai e aí, quando a pessoa toma a terceira dose da Pfizer, essa proteção chega num nível altíssimo, tanto para a infecção não complicada quanto para a doença grave”, explica Guilherme Werneck, pesquisador da Universidade Estadual do Rio de Janeiro, ao jornal Folha de São Paulo.

Ainda segundo o pesquisador, “a Coronavac é uma ótima vacina, mas a proteção decresce com o tempo, então a terceira dose da Pfizer é fundamental para oferecer proteção principalmente para a Covid grave.”

A boa notícia atinge a população em geral, especialmente aqueles com 80 anos ou mais. “A proteção com a segunda dose para os idosos já não era tão boa e eles estavam desprotegidos, mas voltaram a atingir um patamar alto quando receberam a Pfizer”, afirma Werneck à publicação.

Pesquisa analisou dados de brasileiros que fizeram teste da covid

A pesquisa foi realizada apenas com brasileiros, e analisou dados de cerca de 14 milhões de pessoas que realizaram teste rápido de antígeno ou RT-PCR. Dentre o grupo, 913.052 pessoas foram imunizadas com a Coronavac. 

Dessa forma, todos com 18 anos ou mais que relataram sintomas semelhantes aos de Covid-19. Dessa forma, eles se submeteram a exame para detecção do coronavírus entre 18 de janeiro e 11 de novembro de 2021 foram elegíveis para o estudo. Da amostra, os vacinados com a Coronavac somam 913.052. Destes, 7.863 receberam uma dose de reforço de Pfizer. A maioria (93,4%) foi testada 30 dias após o reforço.

Reforço da Pfizer evidencia importância da vacinação

O estudo destacou ainda a importância da vacinação contra a Covid-19. De acordo com a publicação, a pesquisa constatou que pessoas vacinadas com duas doses da Coronavac tiveram 55% mais proteção contra a infecção pela doença do que os não imunizados. Em relação a casos graves, a eficácia dos vacinados chegou a 82,1%.

Nestes casos, no entanto, foi verificado que a eficácia cai para 34,7% e 72,5% em casos graves após 180 dias (6 meses) da aplicação da segunda dose. Dessa forma, os pesquisadores destacaram a importância do reforço da vacinação contra a Covid-19. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária reforça que as vacinas contra o novo coronavírus aprovadas pela agência para aplicação no Brasil são eficazes e seguras.

Fonte: Jornal Folha de São Paulo e CNN.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde

Leia também:

profissional de saúde segurando um DIU no pós-parto
Gravidez e maternidade Saúde

DIU no pós-parto: como funciona, quando colocar e cuidados

Com alta eficácia, o DIU no pós-parto oferece uma solução prática para o planejamento familiar após uma gestação.

Como manter a saúde digestiva no inverno?
Saúde

Como manter a saúde digestiva no inverno? 7 dicas para os meses mais frios

Confira sugestões compartilhadas por gastrocirurgião e nutricionista de como garantir o bom funcionamento do aparelho digestivo nos meses mais frios do ano

Silvio Santos e H1N1
Saúde

Silvio Santos é internado com H1N1. Como prevenir?

O apresentador de 93 anos, está internado com H1N1, uma mutação do vírus da gripe. Entenda mais sobre a doença.