Mielopatia cervical: o que é, sintomas, tratamento e cirurgia

4 de agosto, 2022

Quando uma pessoa tem estenose cervical ou hérnia de disco nessa região, é possível que esses quadros evoluam para a chamada mielopatia cervical. Mais grave, trata-se de uma compressão da medula na região do pescoço que leva a alterações neurológicas. Além disso, a mielopatia pode até mesmo levar o paciente ao quadro de paraplegia ou tetraplegia em casos muito graves. Por isso, saiba mais:

Sintomas da estenose cervical

O paciente pode sentir dor na região do pescoço e dormência nos braços, no tórax e até nas pernas. Assim, em alguns casos, há perda de equilíbrio para andar, dor de cabeça (devido à dor crônica), perda de força nos braços e, nos casos mais graves, nas pernas.

Tratamento e cirurgia

Se não houver evolução da doença ou ela for assintomática, isto é, se o paciente não tem sintomas, o médico pode indicar um tratamento não-invasivo, como uso do colar cervical, analgésicos e antiinflamatórios, sessões de fisioterapia e exercícios físicos. 

Contudo, em casos com sintomas mais acentuados, a única solução é a cirurgia de descompressão da medula. Ela é feita com anestesia geral. Os discos que estão fazendo a compressão são removidos e, em seu lugar, são colocados enxertos de osso (retirado de outra parte do corpo), uma placa e parafusos.

Também pode-se usar o chamado “cage”, ou espaçador, um dispositivo de plástico ou titânio que substitui os discos removidos. Depois da cirurgia, é preciso um tempo de recuperação, com uso de colar cervical por 10 a 15 dias, seguido de fisioterapia e exercícios. 

A mielopatia, quando não tratada, pode acarretar em danos neurológicos. Por isso, um diagnóstico certeiro e acompanhamento médico são imprescindíveis. 

Leia também: Lombalgia: o que é, sintomas e tratamento

Jovens também podem ter

Por ser uma evolução de uma hérnia ou um caso de estenose cervical, é comum que a mielopatia cervical seja associada a pessoas mais velhas, afinal, esses quadros iniciais têm entre as principais causas o desgaste natural das articulações por conta do envelhecimento.

Contudo, é possível que pessoas mais jovens apresentem mielopatia cervical também. Isso pode acontecer em casos em que se tem um desgaste precoce e excessivo da região cervical. É o que ocorre, por exemplo, com pessoas que ficam muito tempo com a cabeça em flexão, caso de quem costuma pegar muito peso nos ombros ou acima da cabeça ou mesmo quem fica tempo excessivo no computador ou no celular, olhando para baixo, pois isso aumenta o esforço da coluna cervical.

Se notar qualquer tipo de desconforto, procure um ortopedista. Durante a consulta o profissional avaliará os sintomas e indicará o tratamento mais adequado.

Fonte: Dr Adriano Esperidião, diretor de comunicação e membro titular da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia (SBOT).

Alcindo Ost, médico membro da Sociedade de Ortopedia e Traumatologia do Rio Grande do Sul (SBOT-RS).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.