Qual o melhor horário para comer doce sem comprometer a dieta?

13 de outubro, 2021

Pela manhã, à tarde ou antes de dormir: qual o melhor horário para comer doce sem comprometer a dieta ou a perda de peso? Provavelmente você já fez essa pergunta. Por isso, fomos perguntar a uma especialista qual a resposta correta. Confira o que ela respondeu:

Leia também: Emagrecer: Dicas simples para perder peso com saúde

Qual o melhor horário para comer doce?

“O consumo de doces, assim como qualquer outro alimento, contribui para a carga calórica. Ou seja, em qualquer horário que for consumida, a sobremesa irá fornecer calorias”, explica a nutricionista Thalita Almeida.

E aí, já sabe: quando em excesso, o açúcar estimula o acúmulo de energia em forma de gordura. Isso porque ele promove a liberação de insulina (hormônio que incentiva o estoque de gorduras).

Contudo, à noite o prejuízo parece ser maior, de acordo com a profissional. “Nesse período, há a redução fisiológica do metabolismo (com a chegada do anoitecer, os hormônios liberados pelo corpo favorecem a redução da queima calórica)”, diz.

Portanto, se quiser comer um docinho, melhor reservar para o começo do dia — se for antes do treino, melhor ainda.

Leia também: Chás para desinchar depois do feriado: 10 receitas fáceis

Como consumir doce sem comprometer a dieta?

Contudo, não é preciso ser radical. Uma sobremesa depois do jantar de vez em quando não vai fazer você engordar, uma vez que o segredo é tentar manter o equilíbrio. “O tamanho da porção e a composição do padrão alimentar (isto é, o que normalmente o indivíduo come) geram um impacto significativo no resultado que o açúcar consumido vai trazer”, complementa Thalita Almeida.

Se você, por exemplo, ingere um pedaço de bolo no meio da tarde depois de ter feito um dia inteiro de alimentação regular — rica em proteínas, fibras e gorduras boas, e pobre em carboidratos refinados —, o impacto nutricional desse doce não é tão avassalador do que seria se ele fosse consumido após um dia de excessos.

“O que temos que lembrar é que o padrão alimentar tem maior influência sobre o estado nutricional do que um único alimento isolado”, finaliza a especialista. Entendeu?

Fonte: Thalita Almeida, nutricionista.