Redução de gordura corporal diminui risco de câncer de mama

2 de julho, 2021

A ciência já estuda a relação entre gordura corporal e câncer de mama há algum tempo. E agora, mais uma pesquisa reiterou a questão: especialistas descobriram que aumentar os exercícios (e consequentemente, reduzir o estoque de gordura no corpo) diminui a chance de câncer de mama em mulheres que já passaram pela menopausa.

Gordura corporal e câncer de mama: Como funcionou o estudo

Realizado pelo Alberta Cancer Foundation, no Canadá, o estudo durou três anos, e utilizou 400 mulheres sedentárias, na pós-menopausa, com IMCs (Índices de Massa Corporal) de 22 a 40, não-fumantes e que não usavam hormônios para tratamentos.

As voluntárias foram divididas em dois grupos. O primeiro tinha que completar 150 minutos de atividades físicas semanais moderadas a intensas. O segundo, por outro lado, precisava dobrar a meta — e realizar 300 minutos de exercícios por semana.

Como resultado, os cientistas perceberam que a redução na gordura corporal foi bem maior nas mulheres que treinavam por mais tempo na semana. Consequentemente, as taxas de câncer de mama foram menores nesse grupo.

Leia também: Emagrecer depois dos 50 anos pode diminuir risco de câncer de mama

Recomendações de exercícios

O tempo de atividade semanal recomendado para combater o sedentarismo foi aumentado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em novembro do ano passado. As novas diretrizes globais sobre atividade física e comportamento sedentário foram publicadas no British Journal Of Sports Medicine.

Assim, a OMS aconselha que adultos aumentem o tempo de atividades físicas para 300 minutos – até uma hora de exercícios por cinco dias ou 40 minutos por sete dias. Ou, então, 150 minutos de atividade física intensa por semana.

A indicação antiga falava em pelo menos 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de exercícios intensos por semana.

Mas como a gordura corporal pode influenciar no aparecimento do câncer de mama?

A ligação direta entre as duas coisas ainda não foi completamente esclarecida, mas as evidências científicas mostram que praticar exercícios físicos ajuda a regular os níveis hormonais. E esse fator foi responsável por uma menor incidência de câncer em camundongos, afirma uma outra pesquisa sobre o assunto. Ademais, alguns estudos com seres humanos já mostram resultados semelhantes.

Além disso, vale lembrar que a prática de esportes melhora diversos aspectos da nossa saúde, alguns deles relacionados ao câncer — como o colesterol, mostra uma análise recente feita no Brasil.

Leia também: Alimentos que reduzem o risco de câncer de mama

Sobre o autor

Amanda Panteri
Amanda Panteri
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em alimentação saudável.