5 chás que interagem com medicamentos (e cuidados necessários)

Alimentação
05 de Julho, 2024
5 chás que interagem com medicamentos (e cuidados necessários)

O consumo regular de chás pode trazer uma série de benefícios à saúde, como a prevenção de doenças e o fortalecimento do organismo. No entanto, mesmo produtos naturais devem ser usados com cautela, pois a interação medicamentosa ao combiná-los com certos remédios pode resultar em impactos colaterais perigosos. 

“Ingerir medicamentos e produtos naturais, como chás, pode diminuir ou potencializar o efeito do remédio. Isso é um pouco complexo e a gente precisa prestar atenção, porque algumas combinações podem ser perigosas”, explica o nutrólogo integrativo Neto Borghi. 

Leia mais: Alguns alimentos podem alterar os efeitos dos medicamentos. Veja quais

A seguir, confira os principais chás que podem interagir com medicamentos e alguns cuidados necessários. 

1. Chá de camomila

Conhecido pelas propriedades calmantes, o chá de camomila é normalmente integrado na rotina para desacelerar no final de um dia agitado. O problema é que essa propriedade pode potencializar os efeitos sedativos de alguns medicamentos, como benzodiazepínicos e barbitúricos, de acordo com Neto Borghi. 

Além disso, o especialista ainda aponta que o consumo da camomila pode intensificar ou prolongar a ação de remédios anticoagulantes. Por isso, ao produzir os efeitos por um maior período de tempo, há risco aumentado de hemorragia. 

2. Gengibre

Apesar de acessível e com propriedades que ajudam a fortalecer a imunidade, o consumo do chá de gengibre deve ser feito com cuidado por pessoas que administram alguns medicamentos. 

“O gengibre pode aumentar o risco de sangramento quando tomado com anticoagulantes e antiplaquetários. Ele também pode interferir em medicamentos usados no tratamento de diabetes, potencializando o efeito hipoglicemiante da medicação”, explica o nutrólogo Neto Borghi. 

3. Erva-de-são-joão 

A erva-de-são-joão, cujo nome científico é Hypericum perforatum, é uma planta medicinal com propriedades que podem beneficiar a saúde mental — além de contribuir para a melhora da qualidade do sono. Contudo, você deve considerar algumas recomendações antes do consumo. 

Primeiro, a erva é um indutor enzimático da CYP3A4 e glicoproteína P, o que diminui a concentração plasmática de contraceptivos orais e prejudica sua eficácia. Por isso, o consumo do chá ou derivados não é recomendado para pessoas que fazem uso da pílula anticoncepcional

De acordo com Angélica Grecco, nutricionista da Clínica Eduardo Grecco, a erva-de-são-joão também pode reduzir a eficácia de alguns medicamentos — como antidepressivos, anticoagulantes e remédios usados no tratamento de HIV

4. Chá verde

Assim como o chá de camomila, o chá verde também é capaz de  intensificar ou prolongar a ação de remédios anticoagulantes, como a varfarina, aumentando o risco de sangramentos. Além disso, a nutricionista Angélica Grecco aponta que a cafeína presente na bebida pode interferir em medicamentos para pressão arterial — além de potencializar remédios estimulantes. 

5. Chá de alho

O chá de alho é repleto de propriedades que atuam na prevenção de doenças e infecções, mas o consumo deve ser feito com cuidado. Isso porque ele possui compostos sulfurados com atividade antitrombótica e fibrinolítica em humanos, podendo provocar complicações hemorrágicas. Por isso, o consumo de alho em pacientes que utilizam anticoagulantes, como a varfarina, não é aconselhado. 

Interação medicamentosa: veja alguns cuidados

Além do consumo de chás, a administração de medicamentos em conjunto com outros produtos naturais (como cápsulas de extrato vegetal e tinturas) também pode provocar interações imprevisíveis e/ou perigosas. Portanto, você deve comunicar ao médico sobre o uso de suplementos alimentares e produtos naturais junto com sua medicação usual, para que ele possa avaliar uma possível interação entre eles.

O nutrólogo Neto Borghi ainda aponta alguns cuidados necessários: 

  • Monitorar os sintomas, ficando atento a qualquer sinal incomum após a combinação de um chá com alguma medicação;
  • Evitar a automedicação. Além disso, nunca combinar medicamentos e produtos naturais sem orientação médica;
  • Ler sobre possíveis interações específicas entre as medicações que você está administrando e os chás que pretende consumir;
  • Por fim, procurar orientação médica e informar o especialista sobre todos os medicamentos, vitaminas e suplementos que está usando.

Fontes:

  • Dr. Neto Borghi, nutrólogo integrativo, especialista em emagrecimento, vitaminas e hormônios. 
  • Angélica Grecco, nutricionista da Clínica Eduardo Grecco. 

Referências:

Sobre o autor

Susana Targino
Jornalista da Vitat

Leia também:

dieta do ovo
Alimentação Bem-estar

Dieta do ovo 3 dias: Cardápio do desafio do ovo

Já ouviu falar na dieta do ovo 3 dias? No desafio do ovo podemos consumir ovo em forma de omelete, mexido, cozido ou frito. Veja o

mãos preparando um chá de gengibre em uma bancada
Alimentação Bem-estar

Alivia enjoo, reduz cólicas e é antioxidante: benefícios do chá de gengibre

Raiz sempre foi usada por diferentes povos milenares, que acreditavam em suas propriedades medicinais