Sangramento na gravidez: o que pode significar em cada trimestre

O sangramento na gravidez gera várias dúvidas e preocupações. Mas vale saber que nem sempre é sinal de problema. O que demanda atenção, contudo, é o intervalo em que ele ocorre. Dependendo do período gestacional, o quadro exige mais cuidado. A seguir, veja quais são as intercorrências mais comuns em cada trimestre da gestação. No entanto, lembre-se: o diagnóstico final só deve ser feito pelo obstetra.

Sangramento na gravidez: os principais motivos do primeiro trimestre

De acordo com Luciana Delamuta, ginecologista e obstetra, especialista em gestação de alto risco, a perda de sangue nos três primeiros meses da gravidez pode ser resultado da própria implantação do embrião. “Geralmente, isso acaba se confundindo até com a menstruação da paciente. Às vezes, ela pensa que adiantou”, completa a médica.

Hematoma subcoriônico

Ainda neste intervalo, a especialista também cita que pode ocorrer um hematoma subcoriônico. Em suma, este é o nome dado para o acúmulo de sangue que se forma atrás do tecido que dará origem à placenta. Assim, até que ele seja completamente absorvido pelo organismo, a paciente pode apresentar sangramentos ocasionais durante a gestação.

Gestação ectópica

Alerta-se também sobre a possibilidade do sangramento vaginal em decorrência de uma gravidez ectópica, que acomete cerca de 2% das gestações. Resumidamente, esse é o nome dado para quando o óvulo é fertilizado fora do útero, normalmente nas tubas uterinas. De acordo com a Dra. Luciana, suspeita-se desse tipo de gravidez quando a paciente passa por um exame de imagem e não há a presença do saco gestacional.

Perda gestacional

Ainda no primeiro trimestre da gravidez, há também a possibilidade do sangramento vaginal ocorrer em decorrência do abortamento.

Assim, a obstetra recomenda que a paciente procure pelo pronto-socorro quando a perda sanguínea é acompanhada de cólicas importantes, que pioram com o decorrer do tempo. Inclusive, sem melhorarem com o com uso de analgésicos. A quantidade de sangue também deve ser levada em consideração na hora de buscar pela emergência médica.

Leia mais: O que é um aborto de repetição?

Sangramento na gravidez: os motivos do segundo trimestre

“No segundo trimestre da gravidez não é comum que aconteça sangramento vaginal. Mas em alguns casos pode ocorrer”, explica Dra. Luciana. Veja quais são os principais:

Placenta baixa

Em suma, o órgão gestacional pode ficar abaixo do que o esperado e ocasionar a perda de sangue durante o segundo trimestre da gestação. Isso pode acontecer porque o útero não cresceu o suficiente no período e a placenta não conseguiu subir. Às vezes, ela também fica mais próxima do colo uterino e, como resultado, há o sangramento vaginal.

Colo uterino

Outro motivo que pode levar a perda sanguínea neste intervalo da gravidez é em decorrência do colo uterino que se torna mais passível de sofrer fragmentação na gestação. “Pode acontecer o sangramento principalmente depois de relações sexuais. Mas normalmente é em pequena quantidade e sem ser associado com cólica e nem outras dores importantes”, explica a obstetra.

Leia mais: Descolamento da placenta: Entenda o que é e quais os riscos

Sangramento na gravidez: razões do terceiro trimestre

De acordo com Luciana, a perda sanguínea nos três últimos meses da gestação é a que mais pede atenção do obstetra. Ela pode acontecer principalmente por causa de dois motivos.

Placenta prévia

Este quadro é quando a placenta realmente não subiu para a cavidade uterina e ela recobre o orifício interno do colo do útero (ou está muito perto dele). Quando isso ocorre, entende-se que é uma gestação de risco. Assim, recomenda-se que a paciente não faça esforços bem como pode existir a contraindicação que o parto não seja normal.

Quando ocorre o sangramento vaginal e a paciente possui diagnóstico de placenta prévia, deve-se recorrer ao pronto-socorro. Dessa forma, o especialista consegue checar como está o bebê assim como a saúde da mãe. “Às vezes, essa paciente precisa ficar internada até chegar o momento do parto”, completa a especialista.

Descolamento prematuro de placenta

Essa é uma das causas mais comuns de sangramento no final da gravidez. O quadro exige atendimento imediato porque causa a ruptura da placenta da parede uterina antes do tempo. Isso faz, por exemplo, com que o bebê deixe de receber oxigênio e nutrientes adequados. Além disso, tende-se a ser um quadro que causa bastante dor na paciente e é considerado uma emergência médica.  

Por fim, vale salientar que o sangramento na gravidez acontece com muitas mulheres. Porém, é fundamental consultar o obstetra caso a ocorrência se manifeste. Avaliando a causa, ele saberá indicar o tratamento mais adequado para que a gestação siga o seu curso de maneira saudável para mãe e filho.

Fontes: Fernanda Pepicelli, ginecologista e obstetra, e atua na clínica Medprimus (SP); e Luciana Delamuta, ginecologista e obstetra, especialista em gestação de alto risco

Referências:

Manual MSD – Versão Saúde à Família

IFF/Fiocruz

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.