Sangramento na gravidez: o que pode significar em cada trimestre

Gravidez e maternidade Saúde
04 de Agosto, 2022
Sangramento na gravidez: o que pode significar em cada trimestre

O sangramento na gravidez gera várias dúvidas e preocupações. Mas vale saber que nem sempre é sinal de problema. O que demanda atenção, contudo, é o intervalo em que ele ocorre. Dependendo do período gestacional, o quadro exige mais cuidado. A seguir, veja quais são as intercorrências mais comuns em cada trimestre da gestação. No entanto, lembre-se: o diagnóstico final só deve ser feito pelo obstetra.

Sangramento na gravidez: os principais motivos do primeiro trimestre

De acordo com Luciana Delamuta, ginecologista e obstetra, especialista em gestação de alto risco, a perda de sangue nos três primeiros meses da gravidez pode ser resultado da própria implantação do embrião. “Geralmente, isso acaba se confundindo até com a menstruação da paciente. Às vezes, ela pensa que adiantou”, completa a médica.

Hematoma subcoriônico

Ainda neste intervalo, a especialista também cita que pode ocorrer um hematoma subcoriônico. Em suma, este é o nome dado para o acúmulo de sangue que se forma atrás do tecido que dará origem à placenta. Assim, até que ele seja completamente absorvido pelo organismo, a paciente pode apresentar sangramentos ocasionais durante a gestação.

Gestação ectópica

Alerta-se também sobre a possibilidade do sangramento vaginal em decorrência de uma gravidez ectópica, que acomete cerca de 2% das gestações. Resumidamente, esse é o nome dado para quando o óvulo é fertilizado fora do útero, normalmente nas tubas uterinas. De acordo com a Dra. Luciana, suspeita-se desse tipo de gravidez quando a paciente passa por um exame de imagem e não há a presença do saco gestacional.

Perda gestacional

Ainda no primeiro trimestre da gravidez, há também a possibilidade do sangramento vaginal ocorrer em decorrência do abortamento.

Assim, a obstetra recomenda que a paciente procure pelo pronto-socorro quando a perda sanguínea é acompanhada de cólicas importantes, que pioram com o decorrer do tempo. Inclusive, sem melhorarem com o com uso de analgésicos. A quantidade de sangue também deve ser levada em consideração na hora de buscar pela emergência médica.

Leia mais: O que é um aborto de repetição?

Sangramento na gravidez: os motivos do segundo trimestre

“No segundo trimestre da gravidez não é comum que aconteça sangramento vaginal. Mas em alguns casos pode ocorrer”, explica Dra. Luciana. Veja quais são os principais:

Placenta baixa

Em suma, o órgão gestacional pode ficar abaixo do que o esperado e ocasionar a perda de sangue durante o segundo trimestre da gestação. Isso pode acontecer porque o útero não cresceu o suficiente no período e a placenta não conseguiu subir. Às vezes, ela também fica mais próxima do colo uterino e, como resultado, há o sangramento vaginal.

Colo uterino

Outro motivo que pode levar a perda sanguínea neste intervalo da gravidez é em decorrência do colo uterino que se torna mais passível de sofrer fragmentação na gestação. “Pode acontecer o sangramento principalmente depois de relações sexuais. Mas normalmente é em pequena quantidade e sem ser associado com cólica e nem outras dores importantes”, explica a obstetra.

Leia mais: Descolamento da placenta: Entenda o que é e quais os riscos

Sangramento na gravidez: razões do terceiro trimestre

De acordo com Luciana, a perda sanguínea nos três últimos meses da gestação é a que mais pede atenção do obstetra. Ela pode acontecer principalmente por causa de dois motivos.

Placenta prévia

Este quadro é quando a placenta realmente não subiu para a cavidade uterina e ela recobre o orifício interno do colo do útero (ou está muito perto dele). Quando isso ocorre, entende-se que é uma gestação de risco. Assim, recomenda-se que a paciente não faça esforços bem como pode existir a contraindicação que o parto não seja normal.

Quando ocorre o sangramento vaginal e a paciente possui diagnóstico de placenta prévia, deve-se recorrer ao pronto-socorro. Dessa forma, o especialista consegue checar como está o bebê assim como a saúde da mãe. “Às vezes, essa paciente precisa ficar internada até chegar o momento do parto”, completa a especialista.

Descolamento prematuro de placenta

Essa é uma das causas mais comuns de sangramento no final da gravidez. O quadro exige atendimento imediato porque causa a ruptura da placenta da parede uterina antes do tempo. Isso faz, por exemplo, com que o bebê deixe de receber oxigênio e nutrientes adequados. Além disso, tende-se a ser um quadro que causa bastante dor na paciente e é considerado uma emergência médica.  

Por fim, vale salientar que o sangramento na gravidez acontece com muitas mulheres. Porém, é fundamental consultar o obstetra caso a ocorrência se manifeste. Avaliando a causa, ele saberá indicar o tratamento mais adequado para que a gestação siga o seu curso de maneira saudável para mãe e filho.

Fontes: Fernanda Pepicelli, ginecologista e obstetra, e atua na clínica Medprimus (SP); e Luciana Delamuta, ginecologista e obstetra, especialista em gestação de alto risco

Referências:

Manual MSD – Versão Saúde à Família

IFF/Fiocruz

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

dores nos glúteos e problemas na coluna
Saúde

Dores nos glúteos sinalizam problemas na coluna, diz especialista

Pesquisa aponta problemas na coluna como uma das principais causas de afastamento do trabalho

benefícios da banana
Alimentação Bem-estar Saúde

10 benefícios da banana que provavelmente você não conhece (mais receitas)

A banana é amiga do intestino, além de ser eficiente na prevenção de cãibras. Veja outros benefícios da fruta!

perda muscular
Bem-estar Movimento Saúde

Perda muscular compromete a recuperação do paciente  

A sarcopenia, a perda de massa muscular e da força, aumenta o risco de complicações em diversos quadros