Descolamento ovular: o que é, sintomas, causas e tratamentos

Gravidez e maternidade Saúde
18 de Maio, 2022
Descolamento ovular: o que é, sintomas, causas e tratamentos

O sangramento durante a gravidez é sempre um sinal de alerta para gestantes, sendo recomendado que ela contate seu obstetra ou vá até um pronto-socorro. Isso porque o sintoma pode estar associado a condições preocupantes, como o descolamento ovular.

“Recebe-se este nome quando o local de implantação do saco gestacional no útero sofre algum descolamento, formando uma área de hematoma entre eles”, explica o ginecologista e obstetra Domingos Mantelli. Segundo o especialista, o quadro acende a luzinha vermelha de preocupação por aumentar as chances de abortamento.

Ele pode acontecer em qualquer trimestre da gravidez, embora seja mais comum nas primeiras 12 semanas. Como dito anteriormente, é preciso atenção à presença de qualquer sangramento neste período para identificar o possível quadro médico.

Leia mais: Sangramento no início da gravidez é normal? Quando se preocupar

Os sintomas do descolamento ovular

De acordo com Domingos, o quadro pode estar associado desde uma quantidade menor de sangue (como uma borra) até uma maior. No entanto, é importante que o seu diagnóstico não seja feito a partir apenas desta excreção.

“Nem todo descolamento evolui com sangramento. Muitas vezes, ele é identificado apenas no exame de ultrassom transvaginal obstétrico, feito no início da gestação”, completa o especialista.

Esta avaliação médica costuma ser solicitada entre a sexta e 12ª semana de gestação para conferir se a gravidez está correndo dentro do esperado, checando quantos embriões foram implantados, qual a idade gestacional, além de medir o tamanho do colo do útero.

Leia mais: Gravidez após os 40 anos: conheça os riscos e cuidados

Afinal, quais são as causas deste quadro?

Bem como outros casos obstétricos, o descolamento ovular não possui uma causa específica para que ocorra. A tendência é que seja uma soma de fatores, segundo Domingos. 

“Pode ser deficiência de progesterona, algum problema de coagulação sanguínea ou resultado de uma implantação do óvulo em uma região menos irrigada”, lista o especialista, dando possíveis exemplos do que pode desencadear o quadro.

Leia mais: Gravidez de gêmeos é considerada de risco?

Possíveis tratamentos para o descolamento ovular

Já a maneira de contornar a condição que afeta em torno de 5% das gestantes depende da conduta médica. É o especialista quem dirá se é um descolamento ovular mais discreto, com boa evolução, ou se o quadro pedirá atenção redobrada tanto do obstetra quanto da mãe para que a gravidez corra bem. 

“Assim, após a confirmação de que há um descolamento ovular, geralmente, as orientações são de repouso, abstinência sexual e o médico pode lançar mão de algumas medicações”, completa Domingos. 

Segundo o ginecologista, pode-se utilizar progesterona via vaginal, por exemplo, ou medicamentos orais para favorecer a absorção do hematoma durante a gravidez, evitando que ele aumente e se torne prejudicial tanto para a mãe quanto para o bebê.

Fonte: Dr. Domingos Mantelli, ginecologista e obstetra, com pós-graduação em Ultrassonografia Ginecológica e Obstétrica e em Medicina Legal e Perícias Médicas.

Leia também:

Ozempic e anticoncepcional
Saúde

Ozempic pode cortar o efeito do anticoncepcional? Médica explica

Nas redes sociais, não faltam relatos sobre o efeito do Ozempic no aumento da fertilidade

Chá de erva baleeira
Alimentação Bem-estar Saúde

Chá de erva baleeira emagrece? Veja benefícios e como fazer

A erva é eficaz em tratamentos de reumatismo, gota, dores musculares e até úlceras; saiba mais

mulher sentada na mesa da cozinha com remédios para gripe na sua frente
Saúde

Queda na temperatura exige cuidados com a saúde. Confira

Neste fim de semana, o frio vai estar presente em diversas capitais. Queda na temperatura pede alguns cuidados com a saúde respiratória