Confira os principais nutrientes para as gestantes

Manter uma boa alimentação na gravidez é muito importante, pois o bebê depende das vitaminas e dos minerais comidos pelas futura mamãe para crescer. Além disso, alimentos ricos em micro e macronutrientes ajudam a mulher a passar por todas as etapas com mais disposição e energia até o nascimento de seu filho! Alguns nutrientes são especialmente importantes para as gestantes. Veja, portanto, quais são eles:

Nutrientes para as gestantes

De acordo com a nutróloga Fernanda Cortez, uma dieta bem variada é a melhor forma de garantir a boa saúde da mãe e do seu bebê. “A principal dica é a alimentação equilibrada e estar acompanhada por um profissional que cuide dessa questão, até para repor uma vitamina ou um nutriente caso haja a necessidade”, explica.

Leia também: Adoçante na gravidez pode?

Portanto, veja quais nutrientes não podem ficar de fora da alimentação:

Ômega-3

Um dos componentes do ômega-3 é o DHA (ácido docosa-hexaenoico). Assim, ele contribui para a formação do cérebro e dos olhos e participa ativamente do desenvolvimento dos sistemas nervoso e imunológico do bebê.

Por isso, o feto vai precisar bastante dele, e se a mulher não consumir adequadamente, pode sofrer com sua deficiência — aumentando os riscos de estresse e depressão pós-parto.

“As principais fontes são os peixes de águas frias e profundas (salmão, atum e sardinha) e crustáceos. Também pode-se encontrar precursores de ômega-3 em oleaginosas (castanhas, nozes e amêndoas, por exemplo), entre outros”, afirma a especialista.

Ácido fólico

A importância dessa vitamina do complexo B (B9) para o feto já é conhecida há tempos — aproximadamente mais de 70 anos. Mas, na verdade, o ácido fólico é a forma sintética (encontrada em suplementos, comprimidos e alimentos fortificados) de um composto chamado folato. Este último, sim, pode ser encontrado na natureza, como nas folhas verde-escuras.

Desse modo, o folato auxilia diversos processos que acontecem dentro das nossas células. Ele é extremamente necessário, por exemplo, na divisão delas.

Portanto, garantir boas quantidades do nutriente ajuda no desenvolvimento do feto — uma vez que o crescimento rápido do bebê, principalmente nas primeiras semanas (quando é formado o seu tubo neural), exige milhões de multiplicações celulares.

O fechamento completo do tubo neural nessa fase, aliás, previne problemas como anencefalia (cérebro ou crânio incompletos), espinha bífida (má-formação dos ossos da coluna), lábio leporino (separação do lábio superior) e fenda palatina (ausência de céu da boca).

Além disso, o folato contribui para o alargamento do útero na gestação, bem como para o crescimento da placenta. Por fim, sua falta também aumenta as chances de prematuridade e de baixo peso ao nascer.

“Pode ser encontrado em maior concentração nos fígados de galinhas, perus e bovinos. É possível encontrar também em vegetais (feijão, lentilha, quiabo e espinafre)”, acrescenta Fernanda Cortez.

Vitamina D

A vitamina D na gravidez contribui com os sistemas imunológico, ósseo e muscular. É ela que aumenta a fertilidade, promove o crescimento da placenta e a boa formação óssea e impede abortos espontâneos.

A deficiência do hormônio durante a gravidez pode desencadear diabetes gestacional, infecção vaginal, pré-eclâmpsia e até depressão pós-parto. Já o bebê pode não alcançar o peso necessário para o parto ou até nascer antes do previsto.

“Ela é obtida pela exposição da pele aos raios UV. Mas caso isso não seja suficiente, a suplementação precisa estar na forma de vitamina D3, também conhecida como colecalciferol.”

Ferro

“Importante para suportar o aumento do volume sanguíneo e reduzir o risco de anemia, além de ajudar no crescimento e desenvolvimento do feto e da placenta”, diz a nutróloga.

Além de consumir ingredientes ricos no mineral, é importante garantir que ele seja o corpo o absorva completamente. Por isso, concentre-se em fontes variadas (animais e vegetais), e lembre-se de deixar as leguminosas em remolho para acabar com o ácido fítico — substância que dificulta a assimilação do ferro.

Vale, também, diminuir a ingestão de cafeína, evitar leite e derivados depois das refeições principais e caprichar nas frutas cítricas. Confira os principais alimentos ricos em ferro:

  • Feijão;
  • Lentilha;
  • Couve;
  • Quinoa;
  • Grão-de-bico;
  • Beterraba;
  • Ovo;
  • Frutas secas;
  • Carnes vermelhas;
  • Peixes.

Nutrientes para as gestantes: precisa suplementar?

Só o médico, durante o acompanhamento pré-natal, saberá dizer. A gestante faz, de tempos em tempos, exames de sangue para medir as concentrações de todos os nutrientes e verificar se há a necessidade de suplementação. Mas a especialista conta que, geralmente, recomenda-se suplementos de ácido fólico e vitamina D.

Fonte: Dra Fernanda Cortez, nutróloga e ortomolecular, pós-graduada em Nutrologia pela ABRAN (Associação Brasileira de Nutrologia).

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.