Pode haver uma melhor “hora de dormir” para o seu coração

17 de novembro, 2021

Será que existe um melhor horário para dormir se você quer evitar doenças cardíacas? Aparentemente, sim, afirma um novo estudo que descobriu que ir para a cama entre 22h e 23h pode ser o momento ideal para reduzir o risco de problemas no coração.

Pode valer a pena levar em consideração a conclusão, já que os pesquisadores também descobriram que ir dormir antes das 22h, à meia-noite ou mais tarde pode aumentar o risco de doenças cardíacas em quase 25%. Isso porque esses horários tendem a alterar o ritmo circadiano do corpo — seu relógio biológico.

“O sistema circadiano controla os funcionamentos comportamentais e fisiológicos do corpo diariamente. Desse modo, a interrupção desse ritmo pode ter implicações bastante abrangentes, resultando em pior desempenho cognitivo e aumento do risco de várias condições de saúde física e mental (incluindo os distúrbios no coração)”, disse o principal pesquisador do artigo, David Plans. Ele é professor sênior de neurociência organizacional na Universidade de Exeter, na Inglaterra.

O cérebro é o grande responsável por controlar o nosso ritmo circadiano. E ele é calibrado pela exposição solar (principalmente pela luz da manhã), que é detectada por certos receptores presentes em nossos olhos. “Quando esta luz da manhã é detectada, o relógio é recalibrado. Portanto, se uma pessoa vai dormir muito tarde, ela pode acordar tarde e perder essa luz”, explicou ele. Se isso acontece com frequência, todo o ritmo circadiano é interrompido.

De acordo com o próprio cientista, estudos ainda precisam ser feitos para investigar melhor a relação.

Leia também: Dormir muitas horas por dia eleva risco de doenças e de morte

Melhor hora para dormir: Como funcionou o estudo

Para a pesquisa, a equipe analisou dados de mais de 88 mil homens e mulheres, com idade média de 61 anos. Eles receberam uma espécie de relógio inteligente que coletou os horários que os participantes foram dormir e acordaram durante uma semana, além de responderem questionários sobre estilo de vida e saúde.

Depois de seis anos, 3,6% dos voluntários desenvolveram doenças cardíacas. A maioria deles tinha o hábito de dormir à meia-noite ou mais tarde. Ademais, quem tinha menor probabilidade (risco até 12% menor) de desenvolver problemas no órgão geralmente ia para cama entre 22h e 23h.

Além disso, a equipe percebeu que essa relação era ainda mais forte entre as mulheres. “Não podemos fazer recomendações baseadas nesses novos resultados ainda. No entanto, há boas evidências de que a luz da manhã redefine o seu ritmo circadiano. Portanto, pode ser benéfico praticar uma boa higiene do sono”, finalizou o especialista.

Leia também: Como acabar com a insônia e dormir melhor

Vale, então:

  • Tentar dormir aproximadamente sete ou oito horas por noite;
  • Não levar dispositivos eletrônicos para a cama;
  • Evitar alimentos e bebidas energéticos ao fim do dia;
  • Não cochilar depois das 16h;
  • Ir deitar apenas quando estiver pronto para dormir.

Referência: Shahram Nikbakhtian, Angus B Reed, Bernard Dillon Obika, Davide Morelli, Adam C Cunningham, Mert Aral, David Plans, Accelerometer-derived sleep onset timing and cardiovascular disease incidence: a UK Biobank cohort study, European Heart Journal – Digital Health, 2021. Disponível em: https://doi.org/10.1093/ehjdh/ztab088.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.