Dormir mal: Sinais (além do cansaço) de que o seu sono é ruim

13 de setembro, 2021

Anda desconfiado de dormir mal? Pois saiba que a insônia, um problema muito comum na população brasileira, não se caracteriza apenas pela dificuldade em pegar no sono ou acordar no meio da madrugada e não conseguir mais desligar. Além disso, existem outros transtornos que podem afetar as suas noites. Entenda:

Sinais de que seu sono não é o ideal

1 – Você acorda várias vezes durante a noite (mas volta a dormir logo em seguida)

Isso é chamado de insônia de manutenção. “Por mais que as curtas aberturas de olho possam parecer inofensivas, elas são perigosas para a saúde”, alerta o psiquiatra Adiel Rios. De acordo com ele, o problema está relacionado a riscos aumentados de problemas cardiovasculares, diabetes tipo 2, depressão, ansiedade e até diferentes demências (especialmente o Alzheimer).

Leia também: Sono e saúde mental: Como a qualidade das nossas noites afeta a mente

2 – Sinais de dormir mal: Você sonha demais

“Uma boa dica é observar se você recorda de tudo que sonhou. Isso porque como na maioria das vezes não lembramos do que sonhamos, o fato de sempre se lembrar pode indicar um sono fragmentado”, explica o especialista.

3 – Você tem muitos pesadelos

Vivenciar uma situação apavorante no sonho e acordar com taquicardia e respiração ofegante provavelmente já aconteceu com você, não é mesmo? Mas fique de olho: se os pesadelos são muito frequentes, eles podem ser um sintoma de alguma condição psiquiátrica. De acordo com Adiel Rios, o pesadelo não é necessariamente um problema. Contudo, se ele acontece sempre e gera algum descontrole emocional (como o sofrimento), é hora de procurar um especialista.

Isso porque o quadro pode causar cansaço, afetar a memória e a concentração e dificultar o convívio social — ou o desempenho no trabalho. “Uma vez diagnosticado, o transtorno do pesadelo pode ser controlado com terapias comportamentais ou medicação.”

4 – Sinais de dormir mal: Você sente muita fome (e até ganhou peso)

Pesquisas mostram que existe uma relação direta entre a noite mal dormida (insônia) e o aumento de peso ou a obesidade. Segundo o profissional, isso acontece por diversos motivos. “A falta de sono altera o metabolismo e provoca a sensação de fome. É aí, então, que acontecem os famosos ‘assaltos à geladeira’ na madrugada”, ele diz.

Além disso, o sono ruim reduz os níveis de leptina (hormônio da saciedade), aumenta as taxas de grelina (hormônio da fome) e nos deixa mais cansados e estressados. “Esses fatores diminuem o gasto energético do corpo e promovem a vontade por alimentos calóricos. Sem contar que ficamos com cada vez menos disposição para a prática de exercícios físicos”, diz Adiel. O ciclo vicioso, então, acaba resultando em ganho de peso.

Leia também: Trabalhar à noite: Quais são os efeitos para a saúde

Dormir mal: Quando procurar ajuda?

Busque um profissional caso, três ou mais noites por semana, você:

  • Demora mais de meia hora para dormir;
  • Acorda no meio da noite e tem dificuldade para pegar no sono;
  • Desperta mais cedo que o normal pela manhã;
  • Não se sente descansado mesmo com sete ou oito horas de sono;
  • Toma muitos líquidos energéticos durante o dia (café, por exemplo) para ter disposição.

Fonte: Dr. Adiel Rios, mestre em Psiquiatria pela UNIFESP e pesquisador no Instituto de Psiquiatria da Faculdade de Medicina da USP.