Sono e saúde mental: Como a qualidade das nossas noites afeta a mente

4 de agosto, 2021

Você já parou para pensar que os nossos dias muitas vezes são ditados pela qualidade do nosso sono? Afinal, você já deve ter reparado que, quando dormimos mal, o mau humor dá as caras, a produtividade cai e até a fome parece ser maior. Mas qual é exatamente a relação entre sono e saúde mental?

No terceiro episódio do podcast De Bem Com Você, da Vitat, a apresentadora Cris Dias entrevista o médico Guilherme Brassanini e a psicóloga Edwiges Parra para desvendar os problemas causados pelas noites mal dormidas. De quebra, os convidados dão dicas práticas para ter um sono de qualidade. Se a gente fosse você, não perdia essa:

Conheça os convidados

sono e saúde mental

Guilherme Brassanini é médico otorrinolaringologista e especialista em sono saudável. Ele incentiva todos os seus pacientes a praticarem a chamada higiene do sono. “São costumes que você inclui na sua rotina a fim de favorecer o ato de dormir. E eles podem ser feitos desde o despertar: tomar sol, praticar exercícios físicos e manter uma alimentação saudável são bons exemplos”, explica.

Edwiges Parra é formada em psicologia. Ela complementa que, além de adotar certos hábitos saudáveis, muitas vezes é necessário investigar a principal causa da dificuldade para dormir. “A gente precisa identificar a situação-gatilho. Síndrome do pânico, depressão e ansiedade são fatores bem comuns.”

Sono e saúde mental: O que causa a dificuldade para dormir?

Rotina estressante, problemas familiares/conjugais, sensação de angústia causada pela pandemia, luto… Os dois últimos anos não foram fáceis para a maioria das pessoas. “Os casos de burnout já vinham aumentando desde 2019. Ultimamente, eles cresceram mais ainda”, explica a psicóloga. E aí, já viu: a privação do sono pode dar as caras.

Ademais, alguns problemas físicos também não deixam você pegar no sono. “Estudos mostram que cerca de 1/3 da população apresenta algum distúrbio do sono — como a apneia. Então, se você dorme a noite inteira e, mesmo assim, sente cansaço durante o dia, procure um especialista. O mesmo vale para quem sonha muito: esse é outro sinal de alerta”, afirma o médico.

Sono e saúde mental: Mas o que fazer?

O primeiro passo é buscar ajuda especializada. O médico ou psicólogo irá fazer uma série de perguntas para entender quais fatores de risco estão envolvidos nas noites mal dormidas: se há histórico familiar de depressão ou ansiedade, se você ronca, ou até se ganhou muito peso repentinamente, por exemplo.

Além disso, a adoção de hábitos mais saudáveis, como já dito anteriormente, faz toda a diferença. E isso inclui comer melhor, se exercitar, tentar meditar e fazer psicoterapia. “Porém, é preciso entender que nem todo mundo tem condições financeiras de fazer todas essas mudanças. Cabe ao profissional, juntamente com o paciente, entender quais recursos estão dentro da realidade dele”, diz Edwiges Parra.

Quer saber mais? Então não deixe de escutar o terceiro episódio do De bem com você!

Sobre o De Bem Com Você

No podcast da Vitat, Cris Dias conduz conversas descomplicadas com especialistas e convidados para você descobrir como ficar de bem com você. A cada semana (às quartas), um episódio novo será lançado. Confira os outros temas aqui!

E tem para todos os gostos: os bate-papos também ficarão disponíveis nas plataformas de áudio Spotify, Deezer, Google e Apple.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.