Depressão sazonal: Como o inverno pode mudar o humor

7 de julho, 2021

Você é do tipo que gostaria de hibernar durante o inverno, ou ama os dias frios? Se a resposta for a primeira opção, então é preciso estar atento à depressão sazonal, que é caracterizada por sintomas como ansiedade, aumento da irritabilidade, fadiga diurna e ganho de peso na estação mais fria do ano.

A depressão sazonal, também conhecida como transtorno afetivo sazonal, geralmente ocorre no inverno devido à falta de luz solar natural. Segundo os dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o Brasil é o país com maior a taxa de depressão da América Latina — cerca de 5,8% da população sofre com a doença.

Dessa maneira, as causas desse tipo de depressão podem estar relacionadas à diminuição de substâncias do corpo ligadas ao humor e ao sono, como a serotonina e a melatonina. Isso porque esses hormônios tendem a diminuir em temperaturas mais baixas. 

Além disso, outros fatores contribuem para o desenvolvimento da depressão sazonal: viver em locais mais escuros e frios, trabalhar em lugares fechados e ter histórico familiar de depressão.

Leia também: Depressão: Conheça os mitos sobre a condição

Sintomas da depressão sazonal

Os sintomas da doença podem variar de pessoa para pessoa. Contudo, os mais comuns incluem:

  • Sentimentos de tristeza;
  • Irritabilidade;
  • Ansiedade;
  • Dificuldade para se concentrar;
  • Além disso, cansaço e sono excessivo;
  • Aumento de apetite;
  • Sentimentos de culpa;
  • Redução da libido;
  • Por fim, diminuição do interesse em atividades de lazer.

Tratamentos para a depressão sazonal

Existem diversos tipos de tratamentos para a depressão sazonal. Sendo assim, tudo depende da gravidade dos sintomas do indivíduo. Os principais incluem:

  • Fototerapia;
  • Psicoterapia;
  • Medicamentos.

Benefícios da luz solar para a saúde mental

Apesar de o excesso de sol estar relacionado a doenças de pele, a luz solar pode trazer vários benefícios para a saúde mental.

De acordo com um estudo publicado no Taylor & Francis Online, baixos níveis de vitamina D foram encontrados em pessoas com depressão. Assim, a pesquisa descobriu que a boa assimilação dessa vitamina pelo organismo ajuda na regulação da serotonina e, consequentemente, tem um possível impacto terapêutico na depressão.

Outro estudo, feito em 2020, mostrou que indivíduos com concentrações insuficientes do mineral no corpo tinham maior risco de depressão em comparação com os outros participantes.

Sobre o autor

Julia Moraes
Julia Moraes
Estagiária de Jornalismo