6 dúvidas sobre doação de leite materno respondidas por especialistas

Gravidez e maternidade Saúde
19 de Maio, 2022
6 dúvidas sobre doação de leite materno respondidas por especialistas

Uma das lutas de conscientização na amamentação é a de doação do leite materno sempre que possível. Todavia, a prática costuma trazer algumas dúvidas, por exemplo, quais mulheres são aptas para realizá-la e a maneira adequada de extrair o alimento.

Então, no Dia Mundial de Doação de Leite Humano, celebrado em 19 de maio desde 2015, reunimos as respostas das principais questões que surgem diante deste ato individual tão importante para o coletivo. Confira:

Leia mais: Problemas comuns durante a amamentação e como corrigir

1. Quem pode doar leite humano?

De acordo com a Rede Global de Bancos de Leite Humano (rBLH), todas as mães que produzem uma quantidade excedente do alimento materno podem ser doadoras. Os únicos pré-requisitos são: elas devem ser saudáveis e não podem fazer uso de medicações contraindicadas durante a amamentação. 

“O leite humano doado será destinado aos recém-nascidos prematuros, com baixo peso ou a bebês gravemente doentes”, explica a pediatra Gabriela Bonente.

Leia mais: Apojadura do leite materno: entenda o que é e como lidar

2. Qual o primeiro passo para ser doadora de leite materno?

A primeira atitude da lactante deve ser encontrar o banco de leite mais próximo da sua residência por meio de uma pesquisa realizada no site da rBLH (veja aqui). A partir deste contato, a mãe passará tanto por um cadastro quanto triagem para verificar se está apta para ser uma doadora. 

Este cadastro inclui o envio dos exames pré-natais e também da caderneta de acompanhamento da gestante. Segundo a pediatra Vilneide Braga Serva, o banco de leite irá conferir os testes, por exemplo, de VDRL (para diagnóstico de sífilis), hepatite B e HIV, realizados ainda na gravidez.

Diante de uma resposta positiva do banco de leite, a lactante será orientada como deve ser feita a extração correta do alimento materno, além de receber os materiais adequados para o processo, “como gorro, máscara, etiquetas e frascos de vidro esterilizados com tampa plástica”, segundo orientações da rBLH.

Leia mais: 6 cuidados com os seios durante a amamentação

3. Qual a maneira correta de armazenar o leite materno?

Os frascos fornecidos pelo banco de leite são de vidro, como os de café solúvel, com tampa de plástico. Como dito anteriormente, eles já são esterilizados e estão prontos para uso. Além disso, o alimento materno extraído e colocado diretamente ali deve ter uma etiqueta com a data da primeira ordenha que o encheu.  

Vilneide ainda explica que o transporte deste recipiente só será quando o conteúdo estiver congelado. Por isso, orienta-se que a mãe entre em contato com o banco de leite dez dias após ter colocado seu potinho no freezer.

Atenção: o recipiente não pode ficar na porta do congelador. Ele deve ser colocado dentro e envolto com uma sacola de plástico, assim ele não terá contato com nada que venha estar ao seu redor no refrigerador.

“Todo transporte é realizado em caixas isotérmicas e com gelo reciclável e controle de temperatura, mantendo assim a qualidade do seu leite”, reforça o documento da rBLH.

Leia mais: Como armazenar o leite materno?

4. Como deve ser a extração para doação de leite materno?

Já para a retirada do leite materno dos seios, o primeiro passo é em relação às medidas de higiene. O ambiente escolhido deve ser o mais estéril possível, sendo a sala e o quarto os mais recomendados – nunca banheiro ou cozinha. 

Em seguida, é necessário envolver o cabelo em touca ou lenço. Já no rosto, o nariz e a boca devem estar cobertos por uma máscara. Feito isso, o próximo passo é a higienização das mãos, punho e antebraços com água e sabão. 

Com os potes prontos e a limpeza da lactante realizada, a atitude seguinte é a ordenha do leite materno: 

  • Inicie o processo fazendo massagens por toda a mama com as mãos espalmadas e movimentos circulares; 
  • Em seguida, posicione o dedo polegar na parte de cima da aréola (região mais escura da mama) e os outros dedos na debaixo (formando como se fosse a letra “C”); 
  • Comece a ordenha empurrando as mamas em direção ao tórax e comprimindo suavemente os dedos até que o leite comece a sair. 

Descarte os primeiros cinco jatos, de acordo com Vilneide, e depois coloque o leite materno no frasco de vidro. Deve-se deixar de dois a três dedos de espaço entre o alimento materno e a tampa do recipiente.

Leia mais: Amamentação em tandem: o que é? é segura para o bebê?

5. O que fazer se o frasco não encher de uma vez só?

Pode-se preencher o mesmo recipiente mais de uma vez desde que a extração do leite tenha sido realizada no intervalo de dois dias. No entanto, redobre o cuidado ao fazer isso.

Logo que o leite foi colado no pote de vidro, ele deve imediatamente ser congelado. Já para completá-lo, deve-se usar outro recipiente para coletar o conteúdo da segunda extração e, então, só depois despejá-lo no que já havia sido refrigerado. O importante é que todo o processo ocorra de forma rápida. 

Leia mais: Perturbação da amamentação: afinal, o que é e como combater?

6. Doação de leite materno: seu bebê pode passar fome?

Esta é uma dúvida bastante frequente entre lactantes que desejam ser doadoras e a resposta é tranquilizadora. “Não passa de um mito, pois quanto maior o número de mamadas do bebê e ordenhas, maior será a produção do leite pela mulher. Por isso, sempre reforçamos: a glândula mamária não é estoque, mas fábrica de leite”, esclarece Gabriela. 

Fontes: Vilneide Braga Serva, pediatra do Departamento Científico de Aleitamento Materno da SBP e Gabriela Bonente, pediatra do Cuidar Intensivo.

Leia também:

foto de uma caderneta de vacinação com uma seringa
Saúde

Caderneta de vacinação em dia ajuda a evitar surtos de doenças

Especialistas alertam que a vacinação é um pacto de saúde coletivo

Chá de folha de mamão e dengue
Saúde

Chá de folha de mamão e dengue: é falso que bebida combate a doença

Não existem evidências científicas de que a bebida possui propriedades medicinais no tratamento da doença

vitamina B e dengue
Saúde

Vitamina B previne a picada do mosquito da dengue?

Sem comprovação científica, a técnica popular pode levar a população a uma falsa sensação de segurança