Como estimular os hormônios da felicidade?

Bem-estar Equilíbrio
26 de Setembro, 2022
Como estimular os hormônios da felicidade?

O nosso corpo é muito inteligente. Até mesmo quando estamos dormindo, ele não para de trabalhar a nosso favor. Aliás, é durante o descanso que o organismo produz substâncias como a endorfina e a dopamina, conhecidas por gerarem a sensação de bem-estar. Mas você sabe como estimular os hormônios da felicidade?

É o que você vai descobrir no último episódio da terceira temporada do podcast De bem com você, da Vitat! Nele, a apresentadora Cris Dias e o endocrinologista Dr Guilherme Renke conversam sobre a importância dos compostos para a saúde mental e como produzi-los.

Conheça o convidado

como estimular os hormônios da felicidade

Dr Guilherme Renke (CRM 950963) é médico com títulos de especialista em Endocrinologia e Metabologia pela Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), de especialista em Medicina do Esporte pela Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) e pós-graduado em Cardiologia pelo Intituto Nacional de Cardiologia do Rio de Janeiro (INCL).

O que são os hormônios da felicidade?

Neste exato momento, milhares de substâncias estão em ação no seu corpo, e elas são responsáveis por garantir disposição, motivação, bem-estar, entre outros sentimentos. Em outras palavras, o seu humor e “estado de espírito” são obras da ação dos hormônios neurotransmissores. Eles levam esse nome pois são produzidos no cérebro e influenciam nas emoções e nos comportamentos do indivíduo. Confira, então, alguns:

Serotonina

Esse neurotransmissor é determinante para o nosso humor. Quando está em equilíbrio, a vida pode ir muito bem: apetite, sono, vida sexual e disposição. Por outro lado, em desequilíbrio, pode causar depressão e momentos de tristeza e falta de energia. A serotonina está presente no sistema nervoso central (SNC), nas plaquetas e majoritariamente no intestino.

Dopamina

Esse hormônio ativa o sininho da compensação e faz com que você se sinta bem comendo um chocolate, entregando um projeto promissor, recebendo um elogio, etc. A dopamina causa grande satisfação atrelada a momentos de prestígio. Resultado: você fica feliz e com o bem-estar nas alturas.

Porém, pode ser viciante se estiver conectado a hábitos viciantes. O excesso de redes sociais, por exemplo, causa ansiedade e faz com que você atualize seu feed toda hora para suprir a sede por novidades. Os níveis de dopamina se elevam quando você vê algo que gosta, mas seu corpo pedirá por mais estímulos para experimentar novamente essa sensação. Similarmente, o mesmo ocorre com jogos de azar: você ganha uma aposta e fica mais sedento por uma nova rodada. Quando perde, fica ansioso e precisa de outra jogada para ganhar novamente.

Como estimular os hormônios da felicidade: endorfina

Sabe aquela sensação de bem-estar após um treino pesado ou uma caminhada para tomar sol? É “culpa” da serotonina, que tem a função analgésica e torna a atividade física ainda mais prazerosa.

Ocitocina

Conhecido como “hormônio do amor”, a ocitocina é liberada em momentos de laços afetivos. Ou seja, em um abraço, durante o ato sexual ou qualquer outro gesto que desperte afeto. Entre os hormônios da felicidade, esse é predominante na hora do parto, desde as contrações iniciais até a primeira mamada do bebê. Por isso, muitas mães afirmam que o nascimento de seus filhos é o momento mais emocionante de suas vidas — não apenas pelo fato em si, mas por causa da liberação desse hormônio poderosíssimo.

Testosterona e estradiol

Ajudam a melhorar o humor, o apetite sexual e a sensação de prazer. Além disso, também têm influência na nossa cognição. Isto é, nas capacidades de concentração, aprendizado e memorização.

Leia também: Diretrizes de prevenção ao suicídio destinadas ao público 

Como estimular os hormônios da felicidade?

De acordo com o médico, hábitos simples do dia a dia podem fazer toda a diferença no seu humor. Ele cita alguns:

  • Dormir bem;
  • Desempenhar as atividades do dia a dia com amor e prazer;
  • Manejar o estresse;
  • Praticar atividades físicas regularmente;
  • Por fim, ter uma alimentação equilibrada.

Por outro lado, vale deixar de lado alguns costumes que estimulam a produção exagerada de cortisol. “É um hormônio de luta. Ele nos deixa em estado de alerta e nos dá disposição, mas quando em excesso, provoca a chamada fadiga crônica”, explica o especialista.

Sobre o De Bem Com Você

No podcast da Vitat, Cris Dias conduz conversas descomplicadas com especialistas e convidados para você descobrir como ficar de bem com você. A cada semana, um episódio novo será lançado. Confira os outros temas aqui!

E tem para todos os gostos: os bate-papos também ficarão disponíveis nas plataformas de áudio Spotify, Deezer, Google e Apple!

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

Por quanto tempo tomar glutamina
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar glutamina?

Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

mulher correndo ao ar livre em uma ponte em cima de um rio
Bem-estar Movimento

Quando aumentar a distância na corrida?

Sente que os treinos estão ficando cada vez mais fáceis de completar? Talvez seja a hora de aumentar a distância na corrida. Entenda

Alimentação e hipertensão
Alimentação Bem-estar Saúde

Alimentação e hipertensão: o que priorizar e o que evitar?

O ideal é utilizar temperos naturais, como ervas e especiarias. Veja outras dicas