Bebê com nariz entupido: o que fazer e quando procurar um médico?

Não só os adultos sofrem com sintomas gripais. É comum, por exemplo, que o bebê fique com nariz entupido. Geralmente o sintoma é causado por gripes e resfriados, ou pelas mudanças na temperaturada. Mas o que fazer nesses casos? Confira!

Leia mais: Vacinas para crianças: quais são as principais?

Por que o bebê fica com o nariz entupido? 

Segundo a Dra. Patrícia Rezende, pediatra do Grupo Prontobaby, o bebê pode ficar com o nariz entupido por várias causas. “Além das infecciosas, é muito normal que o recém-nascido tenha resfriados e espirre”, diz. “Isso pode ser causado por mudanças de tempo, rinite ou alergia à poeira e ácaros, por exemplo”. 

Na maior parte das vezes, não é necessário procurar ajuda médica, mas, em alguns casos, é preciso sim procurar atendimento. “Se o bebê estiver com dificuldade respiratória, febre há mais de 72 horas, sem se alimentar ou com queda no estado geral, não hesite em levá-lo ao consultório ou hospital”, continua. 

Leia mais: Alergia à fralda: saiba como identificar e evitar

Como evitar a condição? 

A verdade é que não há como evitar o surgimento de um novo quadro infeccioso ou alérgico no bebê. No entanto, é possível amenizar a questão com a correta higienização das narinas.

“O ideal é lavar o nariz várias vezes ao dia com soro fisiológico, com a quantidade indicada pelo médico. Este procedimento pode ser feito, inclusive, em recém-nascidos, com a ajuda de uma pequena seringa”, finaliza a médica. 

Bebê com nariz entupido: é gripe ou resfriado?

Quando o bebê está com nariz entupido, é normal surgir a dúvida: é gripe ou resfriado? Primeiramente, vale dizer que os resfriados são muito mais frequentes do que a gripe em bebês. Porém, a gripe também é comum, principalmente no inverno, quando de três a cada dez crianças são vítimas de algum tipo de gripe, como a Influenza A, B ou C, transmitidas facilmente de pessoa para pessoa. No caso dos bebês, por exemplo, é comum a transmissão em escolinhas ou creches.

Para saber identificar a diferença entre resfriado e gripe em bebê, deve-se analisar os sintomas. Dessa forma, a gripe deixa a criança mais prostrada, com febre, congestão nasal, coriza e tosse com secreção. O resfriado, por sua vez, gera coriza, espirros, tosse seca e a criança, geralmente, não perde a disposição.

Leia mais: 6 dicas para proteger a pele do bebê no verão

Sintomas do resfriado em bebês

 Alguns dos sintomas mais comuns do resfriado incluem dor de garganta, coriza, obstrução do nariz, espirros, tosse seca e febre de intensidade variável, geralmente mais alta em crianças com menos de cinco anos. Dependendo do tipo de vírus, também pode ocorrer diarreia.

Em bebês ainda em fase de amamentação, podem aparecer ainda outros sintomas, como inquietação, choro, falta de apetite, vômito, além de dificuldades para dormir e respirar causada pela obstrução do nariz. Em bebês maiores, dores de cabeça, nos músculos e calafrios também são comuns.

O resfriado em bebês dura pouco tempo, já que o período de incubação do vírus é de menos de dois dias. Sendo assim, os sintomas atingem o pico entre um e três dias após o contágio e podem permanecer entre sete a dez dias, embora alguns possam persistir por até três semanas, sendo que casos como esses ainda se encaixam dentro da normalidade de um resfriado comum.

Leia mais: Doença mão-pé-boca: o que é, sintomas, transmissão e tratamento

Como tratar o resfriado em bebês?

Não existe um antiviral eficaz para curar o resfriado em bebês. Por isso, o tratamento deve focar no alívio dos sintomas. Dessa forma, especialistas sugerem fazer repouso durante o período febril, hidratação e higiene constante e desobstrução do nariz com medicamentos indicados para esse fim. Também é indicado umidificar o ambiente. Além disso, o médico pode receitar um antitérmico e um analgésico. Aliás, aqui vale uma informação importante: jamais medique o seu bebê sem a prescrição de um especialista. Por isso, se o pequeno apresentar algum sinal de gripe ou resfriado, ele deve ser encaminhado ao médico.

Leia mais: Vacinas para crianças: quais são as principais?

Resfriado em bebês: como prevenir?

Diferentemente da gripe, ainda não há uma vacina para prevenir o resfriado no calendário de vacinação do Ministério da Saúde. Dessa forma, uma das maneiras é evitar sua transmissão, que geralmente é feita por meio de gotículas de saliva vindas de tosses e espirros, além do contato com mãos contaminadas. Por isso, escolinha, creche, supermercado, loja ou qualquer ambiente em que as crianças permaneçam por muito tempo representa risco e pode ser evitado, especialmente em períodos em que os casos estão em alta.

Outra forma de evitar o resfriado em bebês é o consumo do leite materno. Isso porque a composição dele previne 70% das infecções da primeira infância, graças aos anticorpos que passam de mãe para filho. Confira outras dicas para prevenir o resfriado em bebês:

  • Lave bem as mãos antes de tocar o bebê, pegá-lo no colo ou tocar nos pertences dele.
  • Evite que o bebê tenha contato com tabagistas e não permita que fumem perto dele ou o pegue no colo após ter fumado.
  • A partir dos 6 meses de vida, vacine o bebê contra o vírus da Influenza anualmente.
  • Evite o contato do bebê com pessoas ou crianças que estejam gripadas.
  • Até os seis meses de idade, prefira o aleitamento materno exclusivo.

Leia mais: Como organizar a rotina de sono do bebê: Dicas

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.