Ácido glicólico: o que é e quais benefícios oferece para a pele

Beleza Bem-estar
04 de Julho, 2022
Ácido glicólico: o que é e quais benefícios oferece para a pele

O ácido glicólico faz parte da composição de vários cosméticos, já que auxilia a penetração dos ativos na pele e acelera a renovação das células.

Seu uso, contudo, ainda gera dúvidas. Isso porque ele é um produto que precisa de orientação profissional para fazer parte da rotina de cuidados da pele sem nenhum risco.

Leia também: Afinal, o que é a acne? Saiba quais são as causas, sintomas e tratamentos

O que é e para que serve o ácido glicólico

Como explica a dermatologista Flávia Siqueira em seu Instagram, este ácido é um composto de moléculas que entram profundamente na pele e fazem uma esfoliação química, diminuindo a quantidade de células mortas.

Leia também: Esfoliação pode ser feita todos os dias?

Ele é derivado da cana de açúcar e outros vegetais doces, e não tem cor e cheiro. Com isso, seu uso pode ser feito através da composições de cremes ou loções, ou em peelings no caso de concentrações mais fortes.

Isso, contudo, só deve acontecer com a prescrição médica, uma vez que diferentes concentrações podem causar efeitos negativos na pele, como irritação ou vermelhidão, por exemplo.

Leia também: Principais causas e tratamentos para a acne da mulher adulta

Benefícios do ácido glicólico

O ácido glicólico é capaz de promover a renovação das células através da esfoliação e descamação da pele. Assim, ele acaba oferecendo uma série de benefícios.

“Ele é muito bom contra a oleosidade e usado para combater a acne. Além disso, também estimula a produção de colágeno, que melhora a estrutura, firmeza e elasticidade da pele”, diz a médica.

Leia também: Importância da esfoliação da pele e como fazer da forma certa

Ainda por conta da esfoliação e renovação celular, o ácido acabou se tornando um grande aliado do tratamento de cicatrizes de acne. O motivo? Ele diminui a inflamação e clareia as manchas devido a eliminação das células mais pigmentadas da pele.

Por fim, ele ainda se destaca por ajudar na absorção de outros produtos, como hidratantes por exemplo, por causa da remoção das células mortas.

Leia também: Conheça quais são os benefícios dos ácidos para a pele

Contraindicações

Primeiramente, é importante ressaltar que, para usar o produto de forma seguro, um dermatologista precisa indicá-lo após uma consulta individual.

“Ele não pode ser usado em peles sensíveis, irritadas ou inflamadas. Também não é indicado durante a gestação e a amamentação, dependendo da concentração do produto.”

Leia também: Ácido hialurônico: O que é e quais alimentos estimulam sua produção

Entre os possíveis efeitos negativos causados pelo mau uso do ativo, estão vermelhidão, ardência, sensibilidade à luz e sensação de queimação da pele.

Caso provoque lesões, ele também pode causar o surgimento de cicatrizes hipertróficas, ou seja, aquelas que deixam a pele mais protuberante.

“Portanto, fique alerta e não use qualquer produto sem antes confirmar a indicação com seu médico.”

Fonte: Flávia Siqueira, dermatologista, de Mogi das Cruzes, São Paulo.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.

Leia também:

mulher praticando chutes em um ringue com seu treinador
Bem-estar Movimento

Kickboxing: tudo o que você precisa saber sobre a modalidade

O esporte de combate desarmado em pé que combina técnicas de soco e chutes

Divertida Mente
Bem-estar Equilíbrio

Divertida Mente: psiquiatra explica por que ansiedade é cada vez mais comum

O filme destaca o surgimento da ansiedade na mente humana, em meio às reflexões da formação dos múltiplos sentimentos

jejum intermitente efeito
Alimentação Bem-estar

Quantas horas de jejum intermitente são necessárias para ter efeito?

Há muitas formas de praticar o jejum e seus efeitos também variam. Entenda