Além do olfato e do paladar, Covid-19 pode impactar visão e audição

Saúde
30 de Dezembro, 2021
Além do olfato e do paladar, Covid-19 pode impactar visão e audição

Dos cinco sentidos com os quais percebemos o mundo, pelo menos quatro podem ser prejudicados pelo coronavírus. As perdas do olfato e do paladar vinham sendo relatadas desde o início da pandemia, mas pesquisas recentes soam o alerta para consequências à visão e à audição após a Covid também.

Problemas de visão e audição e Covid

Uma revisão de estudos conduzida por pesquisadores no Canadá demonstrou que a taxa de perda de audição entre pacientes com Covid-19 era 3,1%. De zumbido, 4,5% e cerca de 12,2% dos diagnosticados apresentavam também tontura. Os resultados foram publicados no periódico científico Canadian Journal of Neurological Sciences.

Além disso, outra revisão estima que 11% dos pacientes tenham manifestações oculares após a doença. As mais comuns foram: sensação de olho seco ou de um corpo estranho no olho (16%), vermelhidão (13,3%), lacrimejamento (12,8%), coceira (12,6%), dores (9,6%) e secreção ocular (8.8%).

Assim, entre as doenças oculares mais destacadas por pessoas com Covid-19, 88,8% relatam a conjuntivite. Esses dados foram analisados por pesquisadores do Irã e do Canadá, e os resultados publicados na revista científica Journal of Ophthalmic and Vision Research.

Em ambas as publicações, contudo, os autores destacam que os achados devem ser interpretados com cautela, visto que os estudos ainda são recentes, com um número limitado de casos e não há evidências suficientes para uma associação direta entre a Covid-19 e esses sintomas.

Leia também: Câncer de pele: Como diferenciar uma pinta de uma lesão grave

Relatos no consultório do oftalmologista

As condições observadas nos estudos também são percebidas no dia a dia dos consultórios. “Nós temos uma série de relatos que mostram que a Covid-19 também incide nos olhos. Quando as manifestações oculares são frequentes, incidem em mais ou menos 30% dos casos”, afirma Rui Barroso Schimiti, oftalmologista e professor do curso de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR).

De acordo com o especialista, essas consequências se manifestam de forma leve, com conjuntivites e inflamações no nervo óptico, ou mais grave, com a paralisia do globo ocular. Também foram constatados casos de estrabismo.

Pacientes que ficaram muito tempo deitados em posição de prona – de barriga para baixo – no ambiente hospitalar podem ter problemas relacionados à disposição ocular, de acordo com Schimiti.

Como ainda não há um consenso sobre a permanência desses sintomas, os especialistas reforçam que é cedo para falar em prevenção ocular. Evitar o contágio pelo coronavírus, no entanto, é uma medida necessária, bem como avaliar a saúde ocular após a recuperação da Covid-19.

Dessa forma, no caso de pacientes internados e que seguem acamados, proteger os olhos com pomadas de vaselina ajudam em uma menor alteração na superfície ocular. “Temos observado um tempo maior para recuperação e equilíbrio da superfície ocular. Ainda há um grau de sequela que é desconhecido”, afirma oftalmologista.

Leia também: Covid entre vacinados é 3 vezes mais comum em imunossuprimidos

Danos auditivos

O zumbido após a Covid-19 ocorre tanto em casos leves quanto graves da doença. Nestes últimos, os riscos podem aumentar pelo uso de remédios durante o tratamento, os quais teriam uma toxicidade maior para a audição.

Outras consequências observadas pelos especialistas estão o incômodo para escutar e a tontura. De acordo com Luiz Fernando Manzoni Lourençone, otorrinolaringologista e professor do curso de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), esses sintomas são observados em outras infecções respiratórias também e, no caso da Covid-19, aparecem tanto no momento de recuperação do paciente quanto depois.

“Fica difícil saber se os sintomas foram causados pela doença ou pelo tratamento, pois ainda é muito incerto”, diz. No geral, estes prejuízos são reversíveis e duram menos tempo.

Como os efeitos colaterais interferem diretamente na vida do paciente, é fundamental relatar o incômodo aos médicos para que seja feito um tratamento individualizado. As terapias indicadas, em geral, tentam amplificar ou devolver a audição ao paciente.

Fonte: Agência Einstein

Leia também:

Por quanto tempo tomar glutamina
Alimentação Bem-estar Saúde

Por quanto tempo devo tomar glutamina?

Veja recomendações importantes sobre o consumo prolongado

Alimentação e hipertensão
Alimentação Bem-estar Saúde

Alimentação e hipertensão: o que priorizar e o que evitar?

O ideal é utilizar temperos naturais, como ervas e especiarias. Veja outras dicas

check-up ginecológico
Bem-estar Saúde

Check-up ginecológico: quais exames a mulher deve realizar anualmente?

A rotina de exames permite diagnóstico rápido para diversas doenças, ampliando as chances de um tratamento eficaz