Covid entre vacinados é 3 vezes mais comum em imunossuprimidos

Saúde
27 de Dezembro, 2021
Covid entre vacinados é 3 vezes mais comum em imunossuprimidos

Apesar de raras, as infecções por Covid-19 entre vacinados (com as duas doses) ocorrem com maior frequência – e maior gravidade – entre indivíduos com a imunidade comprometida. Estudo que analisou os dados de cerca de 1,2 milhão norte-americanos mostra que o risco para os imunocomprometidos é três vezes maior.

Pessoas com a imunidade comprometida apresentam deficiências no sistema de defesa do organismo. As causas podem ser genéticas ou adquiridas, como após uma infecção ou algum tratamento médico. Desse modo, fazem parte dessa lista os pacientes oncológicos, com doença nos rins, condições reumatológicas ou inflamatórias, alguns diagnosticados com HIV/Aids, e quem passou por transplante de órgãos.

Leia também: Soro caseiro: Entenda para que serve e como fazer

Covid entre vacinados: Como funcionou o estudo

Conduzido por pesquisadores da farmacêutica Pfizer (desenvolvedora de uma das vacinas usadas contra a Covid-19, ao lado da BioNTech), o estudo destaca que, do total de participantes, apenas 0.08% tiveram a Covid-19 após o esquema vacinal completo. Destes, 38% eram pessoas com a imunidade comprometida.

Dos indivíduos que desenvolveram uma versão grave da doença e precisaram de internação, 60% eram do grupo dos imunocomprometidos. Ademais, o estudo identificou duas mortes e, nos dois casos, eram pessoas com o sistema imune deficiente. Os resultados foram publicados no periódico científico Journal of Medical Economics.

“As infecções que surgem mesmo após a vacina da Covid-19 são raras, mas são mais comuns e graves em indivíduos com a imunidade comprometida. Os achados desse estudo apoiam a autorização do FDA [órgão regulatório norte-americano] e as recomendações do CDC [agência do departamento de saúde norte-americano] de oferecer a terceira dose da vacina para aumentar a proteção entre indivíduos imunocomprometidos”, destacam os autores na conclusão do artigo.

No início de dezembro, um grupo de especialistas da Organização Mundial da Saúde (OMS) também recomendou a terceira dose das vacinas para pessoas com imunidade comprometida. Até então, o órgão destacava como prioridade a vacinação igualitária no mundo, visto que alguns países ainda não puderam imunizar a população com as primeiras doses.

Leia também: Bupropiona e naltrexona: Medicamento para obesidade é aprovado no Brasil

Grupo de risco

A deficiência do sistema imunológico de algumas pessoas se assemelha ao processo de envelhecimento, de acordo com Renato Kfouri, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm). O avanço da idade e, com ele, a chamada imunossenescência (envelhecimento do sistema imunológico), fazem com que as infecções se tornem mais frequentes e mais graves.

“Pelo mesmo motivo que os fazem mais vulneráveis para doenças infecciosas, os fazem piores respondedores das vacinas. É um fenômeno esperado que indivíduos de mais idade tenham mais falhas vacinais. Além disso, soma-se a esse grupo aqueles que têm problemas de imunidade, pois o mecanismo é o mesmo, o imunocomprometimento”, explica Kfouri.

Ele também recomenda que as pessoas imunocomprometidas realizem o esquema vacinal completo com as três doses. “Todas as vacinas contra a Covid-19 estão na categoria inativadas. Ou seja, não há componentes vivos e, portanto, nenhuma contraindicação. Mesmo sabendo que as vacinas não atinjam a sua melhor performance nessa população, é preciso garantir algum grau de proteção”, ressalta o especialista.

Leia também: Vidro fosco: entenda a condição que atingiu o cantor Zé Neto

Fonte: Agência Einstein

Leia também:

exames ergométricos
Bem-estar Movimento Saúde

Exames ergométricos: saiba quais são e a indicação de cada um deles

A atividade física é parte do tratamento de diversas doenças. Veja a importância dos exames e para quem são indicados

mulher segurando pílulas de citrato de magnésio na mão
Alimentação Bem-estar Saúde

Magnésio citrato alivia prisão de ventre? Entenda

Magnésio citrato é indicado para o tratamento da constipação aguda, mas nem todo mundo deve consumi-lo. Entenda melhor

mulher com as mãos na barriga
Saúde

Vaginismo afeta o bem-estar e pode ter causas emocionais

O vaginismo é um tipo de dor que acontece durante a penetração. As causas normalmente englobam aspectos psicológicos, e problema atrapalha a vida sexual