Fake News: suco de inhame não cura dengue

12 de janeiro, 2022

Na internet, a gente encontra de tudo: há até quem diga que o suco de inhame cru pode curar a dengue. Inclusive, sites citam uma suposta pesquisa que mostra que o tubérculo é capaz de eliminar os sintomas da doença em apenas quatro horas.

Contudo, não há qualquer sinal da pesquisa, e, além disso, não existem provas de que o suco de inhame seja capaz de combater a dengue.

Suco de inhame não cura dengue

A bebida não é milagrosa, e nem pode aumentar rapidamente a imunidade ou o número de plaquetas no organismo, como dizem alguns textos que circulam nas redes sociais. Ademais, consumir o alimento não vai acabar, de uma hora para outra, com os sintomas da dengue, que incluem febre, cansaço, dor de cabeça e dor no fundo dos olhos.

Portanto, cuidado! Apostar em receitas caseiras que prometem grandes resultados — e ignorar as recomendações médicas — pode não apenas ser ineficaz, como trazer prejuízos graves. No caso da dengue, o tratamento mais indicado é o repouso, a hidratação intensa e o uso de alguns medicamentos para amenizar os sintomas.

Além disso, é preciso muita cautela com chás e preparos caseiros, uma vez que a dengue não tratada pode inflamar o fígado, e algumas ervas e plantas, mesmo que pareçam inofensivas, podem potencializar o quadro.

Leia também: Fake news: Chá de erva-doce não possui a mesma substância do Tamiflu

Benefícios do alimento

Contudo, por mais que o alimento, sozinho, não cure a dengue, ele pode trazer alguns benefícios à saúde a longo prazo e quando parte de uma dieta equilibrada.

O inhame é rico em ácidos graxos mono-insaturados, que são importantes para redução do colesterol LDL (o considerado “ruim”). Além disso, tem boas quantidades de vitamina C e de vitaminas do complexo B (tiamina, riboflavina, niacina, ácido pantotênico, piridoxina e ácido fólico). Ou seja, colabora para os funcionamentos do organismo e do sistema imunológico. Com relação aos minerais, possui potássio, ferro, cálcio, fósforo, magnésio e cobre.

Por ser rico em fibras, o inhame é considerado um carboidrato de baixo índice glicêmico. Ou seja, seu açúcar é liberado mais lentamente na corrente sanguínea, o que evita picos de glicemia.

Por fim, o mais indicado é consumir o alimento cozido (seja assado ou no vapor), e não cru.

Sobre o autor

Redação
Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.