Rejuvenescimento facial: como é o procedimento feito por Reynaldo Gianecchini

Beleza Bem-estar
31 de Agosto, 2022
Rejuvenescimento facial: como é o procedimento feito por Reynaldo Gianecchini

O rejuvenescimento facial se tornou uma opção para pessoas que querem manter a aparência jovem com a ajuda de procedimentos estéticos.

A técnica, que é feita de forma individual para cada paciente e pode incluir uma série de etapas de acordo com o que cada um busca, foi a escolhida por Reynaldo Gianecchini, de 49 anos, para tratar os sinais de envelhecimento da pele de seu rosto.

Saiba mais sobre o tratamento, as indicações e os riscos!

Leia também: Pele madura: afinal, quais são os cuidados e etapas do skincare nesta fase?

O que é rejuvenescimento facial?

De acordo com a dermatologista Julyanna do Valle, o rejuvenescimento é um conjunto de tratamentos que visa melhorar os sinais de envelhecimento da pele. Estes, por sua vez, costumam ser indicados pela flacidez, manchas, rugas e linhas de expressão, por exemplo.

Para conquistar uma aparência mais jovem com os procedimentos, contudo, é preciso conhecer a estrutura do rosto. Talita Dantas, cirurgiã dentista e especialista em harmonização facial, explica:

“Nosso rosto é dividido em algumas partes. Ele tem a camada da pele, que é a mais superficial e fica exposta aos efeitos do tempo, as camadas mais profundas, da musculatura e da gordura, e, por fim, as camadas estruturais, com a parte óssea.”

Leia também: Flacidez e rugas no rosto: Saiba porque elas aparecem e como evitar

Os traços de envelhecimento, portanto, surgem com as mudanças sofridas com o passar dos anos pelas estruturas que sustentam a face, levando à perda de gordura em algumas partes do rosto e à reabsorção óssea, por exemplo.

“O tratamento, então, serve para ‘parar’ o processo de envelhecimento através de um trabalho com as células. Com isso, como resultado, se tem uma pele mais jovem e um tecido mais saudável”, ela completa.

Leia também: Comer amêndoas todos os dias pode melhorar as rugas, diz estudo

Reynaldo Gianecchini durante e depois do rejuvenescimento facial / Reprodução: Instagram

Etapas do rejuvenescimento facial

Segundo Julyanna, cada tratamento é individual e, portanto, as etapas variam de acordo com o que cada pessoa quer.

O atendimento, contudo, deve começar com uma avaliação, para o profissional conhecer a pele do paciente e ouvir suas queixas.

“Cada pessoa tem um histórico diante de seu estilo de vida, dos fatores externos a que foi exposto ao longo dos anos e de sua genética. Tudo isso influencia o processo de envelhecimento da pele. A partir disso, fazemos um plano de tratamento para indicar o que ele mais precisa”, diz a dermatologista.

Leia também: Rugas código de barras: afinal, como tratar as rugas ao redor da boca?

“Podemos começar os cuidados com técnicas mais simples para tratar a pele e o músculo, com a toxina botulínica, os peelings e o microagulhamento, por exemplo. Já para a parte mais profunda do rosto, temos opções como os preenchedores, os fios de tração, o estímulo de colágeno, entre outras”, complementa a dentista.

Para os efeitos mais comuns do envelhecimento, contudo, Julyanna diz que os métodos mais usados são:

  • Bioestimuladores de colágeno e fios de PDO

Indicados para a perda da elasticidade da pele e para melhorar as rugas do rosto.

  • Preenchedores de ácido hialurônico

Servem para dar volume nas partes do rosto onde houve a perda de gordura, além de também ajudar na reestruturação óssea.

  • Lasers

Ajudam a melhorar a textura da pele e as manchas da face.

Talita lembra, ainda, que “o rejuvenescimento não é um tratamento de um dia nem de um procedimento só. Ele é uma gama e uma sequência de técnicas feitas de tempos em tempos para garantir um efeito prolongado”.

Leia também: Afinal, é possível aumentar a produção de colágeno no rosto?

Para quem é indicado

O tratamento é ideal para pessoas que querem manter ou ter a aparência mais jovem. Porém, é necessário dizer que ele não se restringe apenas aos pacientes que já tem mais idade.

De acordo com a dentista, a produção de colágeno da pele começa a cair a partir dos 26 anos. Portanto, a partir daí já é possível iniciar os tratamentos preventivos.

Leia também: Alimentos e ervas que ajudam a melhorar a produção de colágeno

“É claro que temos que manter as devidas proporções. Uma paciente de 26 anos vai ter um tipo de tratamento totalmente diferente de uma pessoa de 60 anos”, ela ressalta.

E continua: “É importante ter o bom senso e entender as indicações. Porém, também é preciso desmistificar que os tratamentos só devem começar quando o envelhecimento da pele já está aparente. Isso, na verdade, faz com que os resultados sejam cada vez mais difíceis”.

Leia também:  Preenchimento labial: 9 mitos e verdades sobre o procedimento

Diferenças no tratamento de mulheres e homens

A anatomia do rosto das mulheres e dos homens é diferente e, portanto, pode pedir sim algumas técnicas distintas.

“As estruturas ósseas não são iguais. As áreas em que é pode ser preciso repor a reabsorção óssea, por exemplo, são diferentes no homem e na mulher”, aponta Julyanna.

“Então normalmente é preciso trabalhar em regiões mais especificas em cada caso, como a mandíbula nos homens e as maçãs do rosto nas mulheres”, completa.

Talita também ressalta que, independente de ser uma pessoa do sexo feminino ou masculino, a prioridade do profissional deve ser adaptar o tratamento às expectativas de cada paciente.

Leia também: Veja quais são os cuidados específicos para a pele dos homens

Quais profissionais podem fazer este tratamento?

De acordo com Talita, as regulamentações deste tipo de tratamento têm sido bastante atualizadas.

“Hoje, a classe odontológica tem a harmonização orofacial reconhecida como uma especialidade. No entanto, os médicos, os farmacêuticos e os biomédicos também podem fazer os tratamentos de harmonização, que incluem o rejuvenescimento facial”, ela aponta.

Leia também: Conheça diferentes formas de usar o botox para a saúde

Riscos e contraindicações

Assim como todo procedimento, o rejuvenescimento facial também pode ter riscos, especialmente por incluir técnicas invasivas.

Segundo Julyanna, é possível ter o surgimento manchas ou queimaduras, cicatrizes, hematomas e até mesmo embolização, levando à necrose da pele.

Estes riscos, contudo, podem muitas vezes ser evitados com o uso de equipamentos adequados e materiais de qualidade, além do domínio de técnicas da parte do profissional.

“Por isso é necessário saber fazer as técnicas e ter um conhecimento muito profundo de anatomia facial”, afirma a dentista.

Já quanto as contraindicações, ela diz que o tratamento não deve ser feito por grávidas e lactantes, ou por pacientes com qualquer disfunção metabólica, com doenças autoimunes ou que tenham implantes injetáveis à base de metacrilato no corpo.

Leia também: Afinal, botox e preenchimento labial podem ser feitos durante a gravidez?

É possível reverter o rejuvenescimento facial?

Algumas técnicas podem ser revertidas, mas não todas.

“Procedimentos à base de ácido hialurônico podem ser revertidos com o uso de uma enzima que reabsorve o ativo”, afirma Talita.

Leia também: Desarmonização facial: Por que os procedimentos dão errado?

“Já os com fios definitivos, como o próprio nome já diz, não podem ser desfeitos. O mesmo acontece com certas técnicas que usam preenchedores que não são à base de ácido hialurônico.”

Por isso, as profissionais ressaltam a importância de ter um planejamento muito bem alinhado com cada paciente, a fim de atender suas expectativas e evitar arrependimentos.

Fontes: Talita Dantas, cirurgiã dentista especialista em Harmonização Facial, de Goiás; Julyanna do Valle, médica dermatologista, de Goiás.

Sobre o autor

Ana Paula Ferreira
Jornalista e repórter da Vitat. Especialista em beleza e bem-estar.

Leia também:

Chás pré e pós-treino
Alimentação Bem-estar

Chás pré e pós-treino: veja as melhores opções

O chá é a segunda bebida mais consumida mundialmente, depois da água, sendo o Brasil um dos maiores consumidores. De acordo com um balanço da Euromonitor

Lapsos de memória
Bem-estar Equilíbrio Saúde

Lapsos de memória: 8 principais fatores e como evitá-los

Rotina sobrecarregada, estresse e noites maldormidas são algumas das causas

Quando mudar a rotina de skincare
Beleza Bem-estar

Rotina de skincare: quando mudar os produtos? Dermatologista explica

Segundo a dermatologista, apesar da percepção, a pele continua se beneficiando da rotina