Exposição da pele ao sol: como se proteger no verão

8 de dezembro, 2021

Usar protetor solar é um dos itens obrigatórios para manter a pele protegida e bem cuidada não só no verão, mas também em todas as estações do ano. No entanto, é fato que na estação mais quente a pele é um pouco mais castigada. Com idas frequentes à praia, piscina e maior exposição ao sol, os cuidados devem ser redobrados nessa época. Confira agora os riscos de não proteger a derme, especialmente no verão, além de dicas práticas de como fazer isso.  

Leia mais: Conquiste uma pele bronzeada de forma saudável e duradoura

Radiação UVA e UVB 

Produzidos e emanados pelo sol, os raios UVA e UVB são prejudiciais para a pele. De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, os UVA são os mais preocupantes para a saúde, pois estão presentes diariamente, independente do horário ou clima. Eles penetram mais profundamente em nossa pele e são responsáveis pelo envelhecimento precoce, manchas na pele, alergias e doenças como o câncer de pele. Os raios UVA representam 95% da radiação solar emitida pelo sol.

Os raios UVB, por sua vez, representam somente 5% da radiação. Eles penetram mais superficialmente na pele e causam as vermelhidões e queimaduras solares típicas das estações quentes do ano. 

Protetor solar na pele já!

Um dos maiores erros quando o assunto é cuidados com a pele no verão é não protegê-la adequadamente. A proteção deve ocorrer diariamente, independentemente se estiver sol, ou não. O protetor solar também deve ser reaplicado ao longo do dia. Confira mais dicas abaixo:

Evite os horários de pico de calor

A luz ultravioleta do sol é mais forte entre 10h e 14h. Evite esses horários, pois neles seu corpo estará mais vulnerável a sofrer de desidratação e exaustão. Dê preferência para o início ou o final do dia, quando as temperaturas são mais amenas.

Protetor até de roupa

Mesmo usando chapéu, boné e até roupas com proteção solar, é importante utilizar protetor, pois diminui a possibilidade de câncer de pele e envelhecimento precoce, além de prevenir manchas causadas pelo sol.

Antes de entrar na água: muitas pessoas acreditam que não é necessário utilizar protetor solar ao entrar na água. O ideal é aplicar o produto na pele pelo menos 30 minutos antes de se expor.

Proteção dentro de casa

O protetor solar deve ser aplicado mesmo dentro de casa, pois os raios UV podem penetrar as janelas e vidro, além da luz azul presente em dispositivos como celular, computador ou tablet.

Corpo todo protegido

Além do rosto, o corpo também precisa estar protegido, pois mesmo sendo mais resistente que a face, pode sofrer com queimaduras, processos de envelhecimento, flacidez, manchas e até câncer de pele.

Lábios sem rachaduras

Passar protetor solar nos lábios ajuda a hidratar a pele, evitando rachaduras, além de reduzir o risco de câncer de pele labial. A proteção deve ser reaplicada a cada 2 horas, já que a movimentação labial pela fala, ingestão de líquidos e alimentos contribui para menor permanência do produto no local.  

Hidratação pós-sol

Para recuperar a pele após a exposição solar, o mais indicado é a hidratação, além de evitar banhos quentes.

Por fim, vale destacar que não utilizar protetor solar pode causar queimaduras, dependendo da intensidade da exposição. Os sintomas são vermelhidão e ardor e, nesse caso, deve-se hidratar bastante a pele e fazer compressas. Se não melhorar, é necessário auxílio médico.

Como escolher o melhor protetor solar

O filtro solar é indispensável para quem quer manter a pele bonita. No entanto, são tantas as opções, que muita gente se pergunta qual a mais adequada. A escolha do protetor depende de alguns fatores, como o seu tipo de pele, a região que quer aplicar e até o tom da sua cútis. Por isso, é muito importante ficar de olho em algumas características na hora de comprar o seu:

Fator melanina

Peles mais claras contêm menos melanina, uma substância responsável pela pigmentação da cútis, mas também por sua proteção. Ou seja, quanto mais melanina você tem, mais protegido contra os raios solares você é. Por isso, quem tem a pele mais clara precisa investir em produtos mais potentes — assim como reaplicar o filtro com mais frequência. 

Fator do protetor solar (FPS)

O Fator de Proteção Solar (FPS) é a medida do protetor solar contra os raios UVB, responsáveis pela vermelhidão da pele quando ficamos expostos ao sol. Dessa forma, o número do FPS indica quanto tempo podemos ficar expostos aos raios solares sem que isso aconteça.

Um exemplo disso é uma pessoa que toma sol e a pele fica vermelha em 5 minutos. Ao usar um protetor solar com FPS 30, é possível ficar exposto sem apresentar vermelhidão 30 vezes mais do que esse período, ou seja, durante 150 minutos.

Pessoas com peles mais claras precisam de um FPS a partir de 60. Para peles mais escuras e negras, o FPS 30 pode ser suficiente (dependendo do tom da cútis). É recomendado passar o protetor solar pelo menos 30 minutos antes de se expor ao sol e reaplicar a cada 2 horas, após realizar mergulhos ou em casos de transpiração excessiva.

Tipo de pele

Na hora de escolher o melhor protetor solar, vale levar em consideração o tipo da sua pele. Peles oleosas e acneicas, por exemplo, geralmente possuem mais glândulas sebáceas. Dessa forma, acabam produzindo sebo em excesso e se adequam melhor à protetores de toque seco. Peles secas, por sua vez, costumam ter mais propensão a irritações e rachaduras, visto que o local é mais sensível. Nesses casos, o ideal é um produto um pouco mais oleoso.

Dica extra: Como aplicar protetor solar nas crianças?

Se o seu bebê tiver menos de seis meses, mantenha-o longe da luz direta do sol o máximo possível. Você pode protegê-lo da exposição aos raios solares vestindo-o com peças com FPS, assim como fazendo o uso de chapéus ou outros acessórios que protejam a cabeça,  por exemplo. Em crianças maiores, aplique um protetor solar próprio para a idade e resistente à água (o FPS precisa ser, no mínimo, 30).