Pessoas acima de 30 anos poderão tomar 4ª dose da vacina contra Covid em SP

22 de julho, 2022

Pessoas acima de 30 anos já poderão tomar a quarta dose da vacina contra a Covid-19 a partir da próxima segunda-feira (25) em São Paulo. Segundo a gestão municipal, 514 mil moradores são elegíveis para a nova etapa de vacinação.

Para receber a quarta dose, além da idade, é necessário estar com o primeiro reforço da vacina (terceira dose) em dia há pelo menos quatro meses. Não é necessário agendar. No entanto, é preciso levar um documento de identificação com foto e o comprovante de vacinação. De acordo com o Ministério da Saúde, a imunização deve ser feita com as vacinas da Pfizer, AstraZeneca ou Janssen.

Além disso, neste sábado (23) e domingo (24) a imunização para todos os grupos elegíveis continua. Além da vacina contra a Covid, os postos de vacinação também irão oferecer a multivacinação para o público infantil, como sarampo, caxumba, rubéola, varicela, poliomielite, entre outras.

Leia mais: Sinusite pós-covid: afinal, o que é e quais os sintomas?

Vacina contra a Covid para pessoas acima de 30 anos e outros públicos

De acordo com o cronograma nacional, apenas pessoas acima de 35 anos anos poderiam tomar a quarta dose da vacina. Entretanto, estados e municípios podem alterar a programação dependendo da disponibilidade de vacinas. Por isso, algumas cidades no interior do estado de SP adiantaram o calendário e já iniciaram a imunização para pessoas acima de 30 anos. É o caso de Sorocaba, São Carlos e Carapicuíba, por exemplo. Além disso, estados como o Rio de Janeiro também iniciarão a imunização para esse público.

“As doses de reforço são essenciais para proporcionar o aumento da quantidade de anticorpos no organismo. Isso reduz a chance de um desfecho mais grave em caso de covid-19”, disse o secretário de Saúde de São Paulo, Luiz Carlos Zamarco.

Vale lembrar que outros públicos estão aptos a receber a quarta dose. Dessa forma, podem ser vacinados os profissionais de saúde maiores de 18 anos, pessoas com alto grau de imunossupressão com mais de 18 anos (inclusive gestantes e puérperas) e adolescentes com imunossupressão com 12 a 17 anos de idade (inclusive gestantes e puérperas). Além disso, pessoas com mais de 50 anos, com alto grau de imunossupressão, também estão aptos a receber a terceira dose adicional, ou quinta dose, desde que tenham recebido a segunda dose de reforço há pelo menos quatro meses.

Vacinação de crianças

Recentemente, começou também a vacinação de crianças de 3 e 4 anos contra a covid-19 com a CoronaVac, aprovada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária e pelo Ministério da Saúde.

O MS orienta que, depois de imunizar os pequenos com alguma deficiência imunológica, deve-se vacinar aqueles que têm quatro anos e depois três. “Neste momento, crianças a partir de 5 anos de idade deverão ser vacinadas com a vacina Pfizer, nos esquemas já recomendados”, completa a nota técnica.

Leia mais: CoronaVac em crianças pequenas: vacina é 64% eficaz contra internações

Público acima de 30 anos: Razões para se vacinar contra o Covid-19

Além de ser gratuita, a vacina contra o coronavírus ajuda a minimizar os sintomas e complicações da doença, que continua altamente contagiosa. Outro benefício do imunizante é proteger as pessoas ao nosso redor, afinal, a imunidade conjunta é fundamental para enfraquecer a transmissão do vírus e, dessa forma, reduzir o número de casos.

Um estudo realizado pela King’s College de Londres, no Reino Unido, descobriu que o risco de um adulto ter Covid persistente — quando os sintomas são mais duradouros — cai pela metade com o esquema vacinal completo. Outra descoberta é que aplicação completa das doses reduz em 73% a probabilidade de hospitalização.

Sobre o autor

Fernanda Lima
Jornalista e Subeditora da Vitat. Especialista em saúde