CoronaVac em crianças pequenas: vacina é 64% eficaz contra internações

Saúde
26 de Maio, 2022
CoronaVac em crianças pequenas: vacina é 64% eficaz contra internações

Mais um estudo sobre a CoronaVac foi publicado na revista Nature Medicine e trouxe resultados promissores sobre o uso da vacina em crianças de três a cinco anos no Chile, entre 6 de dezembro de 2021 a 26 de fevereiro de 2022. Foi neste período que houve o pico de transmissão da variante Ômicron no país.

O levantamento contou com a participação de mais de 490 mil integrantes do público infantil. Destes, 194 mil receberem as duas doses do imunizante dentro do intervalo indicado de 28 dias. Depois, eles foram comparados com as 189 mil crianças que não receberam nenhuma aplicação da vacina.

Leia mais: Adenovírus 41: conheça o ‘suspeito’ por surto de hepatite desconhecida

Resultados do estudo sobre o imunizante em crianças

As conclusões da análise trazem boas notícias aos pais que vacinaram os filhos e para aqueles que ainda esperam que eles se tornem elegíveis para o imunizante, de acordo com a faixa etária.

O estudo constatou que o esquema vacinal completo é 64,6% eficaz na proteção do público infantil contra hospitalizações em decorrência do contágio pela doença. Além disso, as duas doses do imunizante são capazes de evitar em 69% a admissão deste mesmo grupo etário em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs).

O número mais baixo foi diante da prevenção de casos sintomáticos por meio da vacina. De acordo com a publicação, a imunização é capaz de evitar 38% da forma da doença em que se apresenta sintomas após o contágio.

De acordo com o estudo, conforme o tempo for passando, é fundamental que se conduza mais pesquisas para descobrir por quanto tempo a imunidade infantil induzida pela vacina perdura no organismo infantil.

Leia mais: Covid: Afinal, como proteger a saúde de crianças menores de 5 anos que não podem tomar vacina?

CoronaVac em crianças a partir de 3 anos no Brasil

Por ora, a vacina do Instituto Butantan só está liberada para crianças a partir dos seis anos em território brasileiro. No entanto, os encontros para discutir sobre a aprovação do imunizante para o público de três a cinco anos continuam.

Na segunda semana de maio, o Butantan enviou os documentos requeridos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para avaliação dos dados e possível aprovação do imunizante para a faixa etária. Já no dia 13, representantes das duas instituições se reuniram para dialogar sobre os arquivos, mas não anunciaram nenhuma conclusão ainda.

Até o momento, o público infantil a partir dos cinco anos pode ser imunizado com a Pfizer/BioNTech. Já os que têm seis, podem seguir com o esquema vacinal com a CoronaVac/Butantan.

Fontes: Revista Nature Medicine e Instituto Butantan

Leia também:

montagem com as fotos de Wagner
Saúde

Ele já fez mais de 100 doações de sangue e plaquetas: “dar um pouco da minha saúde para quem precisa”

Conheça a história de Wagner Hirata, que tem as doações de sangue e plaquetas como um de seus propósitos de vida

neuralgia do trigêmeo
Saúde

Neuralgia do trigêmeo: doença que provoca uma das piores dores do mundo

Sintomas de doença são dores muito fortes e rápidas em apenas um lado do rosto, causando sensação de choque ou de um golpe muito forte

Reynaldo Gianecchini
Saúde

Reynaldo Gianecchini revela diagnóstico de doença autoimune

A síndrome de Guillain Barré causa fraqueza e dificuldades para mover os braços e as pernas