Peeling de fenol: o que é, para que serve e como é feito

4 de agosto, 2022

Se você ainda não conhece a nova tendência nos cuidados com a pele, o peeling de fenol, então nós iremos contar tudo sobre essa novidade. Neste artigo, vamos tirar todas as dúvidas comuns sobre esse tipo de peeling.

Veja também: Dicas profissionais para cuidar da saúde das unhas no inverno

O que é peeling de fenol?

Para nos explicar o que é peeling de fenol, consultamos médico dermatologista Dário Rosa, que possui atuação em dermatologia clínica, cirurgia dermatológica e estética. De acordo com o especialista, o peeling de fenol é um tipo de peeling químico profundo que utiliza o fenol para promover um rejuvenescimento intenso. “Quando aplicado diretamente sobre a pele, esse procedimento por atingir as epidermes e profundamente a derme”, afirma.

Benefícios

O fenol é uma função orgânica caracterizada por uma ou mais hidroxilas ligadas a um anel aromático. Os fenóis são sólidos em condições ambiente, incolores e pouco solúveis ou insolúveis em água, mas são solúveis em bases. 

Na prática, esse tipo de peeling dessa substância ajuda a atingir camadas profundas da pele, que proporciona:

  • Tratamento das rugas profundas e acentuadas.
  • Rejuvenescimento e uniformidade, principalmente nos casos em que há sinais da radiação do sol, cicatrizes e manchas.
  • Clareamento de manchas.
  • Redução da flacidez, pois estimula fibras elásticas e colágenas.
  • Melhoria das cicatrizes de acne.

Como é feito?

Segundo Rosa, o peeling de fenol deve ser feito sob sedação e anestesia local, em ambiente hospitalar, para monitorar a frequência cardíaca e a pressão arterial.

“Aplicamos o produto com gaze e algodão. Antes da aplicação, dividimos as áreas do rosto e, em seguida, aplicamos o produto com gaze e algodão, evitando esfregar excessivamente. Ao finalizar uma das áreas da face, é preciso esperar pelo menos 15 minutos para avançar para uma nova área”, ensina.

Como se preparar para o procedimento?

Por ser profundo, existem alguns cuidados ao realizar o procedimento do peeling de fenol. De acordo com Rosa, é importante:

  • Evitar exposição solar por pelo menos 30 dias antes da realização.
  • Não fazer outros procedimentos estéticos que causem agressão à pele. Por exemplo, microagulhamento, laser ou outros peelings.
  • Não esfoliar a pele na semana anterior.
  • Suspender a depilação com lâmina ou com cera por 7 dias antes do peeling.

Cuidados após o peeling de fenol

Após a aplicação do fenol, é comum que a pele sofra uma grande processo de descamação, vermelhidão intensa, inchaço e sensação de ardor na face. Portanto, a recomendação médica é usar o protetor solar adequado e fazer uma hidratação rigorosa para ter um bom resultado depois da intervenção. “A recuperação do peeling de fenol é muito demorada e lenta, podendo levar até cerca de 3 meses para a completa normalização da pele”, acrescenta Rosa.

Desvantagens

Apesar de entregar muitos benefícios, podem ocorrer algumas complicações durante ou depois do procedimento. Segundo o dermatologista, por ser peeling que atinge as camadas profundas da pele, a recuperação é bastante desconfortável, e pode causar dor intensa no paciente.

Quanto tempo dura o efeito?

O tempo do efeito do peeling de fenol vai depender da concentração do fenol para cada caso. “Por outro lado, com apenas uma aplicação, é possível conseguir um resultado muito expressivo”, ressalta o dermatologista. Geralmente, apenas uma sessão é o suficiente para toda a vida, cujos resultados duram por anos.

Quem tem melasma pode fazer peeling de fenol?

Pessoas com melasma, uma hiperpigmentação da pele que causa o aparecimento de manchas na pele de tom amarronzado, possuem dúvidas em relação ao peeling de fenol. No entanto, o especialista destaca que qualquer processo inflamatório muito intenso pode agravar o melasma. “O fenol pode levar a formação de manchas, mas transitórias na maioria das vezes. Embora possa ocorrer um agravamento do melasma com peeling profundo, não se trata de uma contraindicação absoluta ao procedimento”, avalia.

Riscos e contraindicações

Os riscos do peeling de fenol podem ocorrer durante a aplicação e no pós procedimento. Sendo assim, Dário Rosa reforça que durante a aplicação, os principais riscos comprometem o coração, como arritmias cardíacas e elevação da pressão arterial, além das alterações no fígado e rins.

“Já os riscos associados ao pós-peeling, podemos citar a dor intensa, infecção, surgimento de manchas temporárias, e formação de cicatrizes em pessoas predispostas”, relembra. Por fim, o peeling de fenol é contraindicado para quem tem problemas cardíacos, renais, hepáticos e pessoas com predisposição a cicatrizes queloides. Dessa forma, se você tiver qualquer problema de saúde ou tratamento, deve contar ao médico, que avaliará se o procedimento é adequado para seu caso.

Fonte: Dário Rosa, dermatologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), mestre pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduado em Dermatocosmiatria pela Faculdade de Medicina do ABC. 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.