Peeling de fenol: método “derrete a pele” mesmo? Funciona?

Beleza Bem-estar
04 de Janeiro, 2024
Peeling de fenol: método “derrete a pele” mesmo? Funciona?

Um vídeo do TikTok de uma clínica gaúcha viralizou ao mostrar o processo de recuperação do peeling de fenol. O conteúdo contém imagens da paciente antes de realizar o procedimento, com a pele envelhecida; depois com o rosto completamente escuro e descamado. Na sequência, aparece com a face bastante avermelhada e, por fim, com a pele extremamente jovem, sem rugas e regenerada. 

Embora o “durante” cause aflição aos espectadores, a mulher comenta no vídeo que não sentiu dor em nenhum momento. Afinal, como funciona o peeling de fenol? E o mais importante, a técnica é realmente segura?

Veja também: Dicas profissionais para cuidar da saúde das unhas no inverno

O que é peeling de fenol?

Para explicar o que é peeling de fenol, consultamos o médico dermatologista Dário Rosa, que possui atuação em dermatologia clínica, cirurgia dermatológica e estética. De acordo com o especialista, o peeling de fenol é um tipo de peeling químico profundo que utiliza o fenol para promover um rejuvenescimento intenso. “Quando aplicado diretamente sobre a pele, esse procedimento atinge as epidermes e a derme profundamente”, afirma.

Benefícios do peeling de fenol

Na prática, esse tipo de peeling dessa substância ajuda a atingir camadas profundas da pele, que proporciona:

  • Tratamento das rugas profundas e acentuadas.
  • Rejuvenescimento e uniformidade, principalmente nos casos em que há sinais da radiação do sol, cicatrizes e manchas. A ação profunda do fenol promove um rejuvenescimento duradouro, atenuando rugas, linhas de expressão, manchas e flacidez.
  • Clareamento de manchas.
  • Redução da flacidez, pois estimula fibras elásticas e colágenas.
  • Melhoria das cicatrizes de acne.
  • Estímulo do Colágeno: Aumenta a produção de colágeno, contribuindo para uma pele mais firme e tonificada.
  • Melhora da textura e tonalidade: Reduz a aparência de poros dilatados, cicatrizes e irregularidades na pele.

Desvantagens

Apesar de entregar muitos benefícios, podem ocorrer algumas complicações durante ou depois do procedimento. Segundo o dermatologista, por ser peeling que atinge as camadas profundas da pele, a recuperação é bastante desconfortável, e pode causar dor intensa no paciente.

Como o peeling de fenol é feito?

De acordo com Rosa, para fazer o peeling de fenol, é necessária sedação e anestesia local, em ambiente hospitalar, para monitorar a frequência cardíaca e a pressão arterial.

“Antes da aplicação, dividimos as áreas do rosto e, em seguida, aplicamos o produto com gaze e algodão, evitando esfregar excessivamente. Ao finalizar uma das áreas da face, é preciso esperar pelo menos 15 minutos para avançar para uma nova área”, ensina.

E, sim: o peeling combina diversos tipos de ácido. Dessa forma, a substância agride as camadas da pele como se estivesse derretendo. Por isso, é essencial realizar o peeling de fenol com um profissional confiável para evitar problemas.

Como se preparar para o procedimento?

Por ser agressivo, existem alguns cuidados importantes. Por exemplo:

  • Evitar exposição solar por pelo menos 30 dias antes da realização.
  • Não fazer outros procedimentos estéticos que causem agressão à pele. Por exemplo, microagulhamento, laser ou outros peelings.
  • Não esfoliar a pele na semana anterior.
  • Suspender a depilação com lâmina ou com cera por 7 dias antes do peeling.

Principais dúvidas sobre o peeling de fenol

Cuidados após o procedimento

Após a aplicação do fenol, é comum que a pele sofra um grande processo de descamação, vermelhidão intensa, inchaço e sensação de ardor na face.

Portanto, a recomendação médica é usar o protetor solar adequado e fazer uma hidratação rigorosa para ter um bom resultado depois da intervenção. “A recuperação do peeling de fenol é muito demorada e lenta, podendo levar até cerca de 3 meses para a completa normalização da pele”, acrescenta Rosa.

Contudo, algumas pessoas não sentem nenhum desconforto, como foi o caso da paciente do vídeo. 

Pode fazer o peeling de fenol no verão?

Realizar o peeling de fenol durante o verão pode ser desafiador devido à exposição solar intensa nessa estação. Isso porque o procedimento torna a pele mais sensível e vulnerável aos danos causados pelos raios solares. No entanto, se for necessário ou desejado, é possível realizaá-lo durante essa época, desde que sejam tomados cuidados rigorosos para proteger a pele pós-peeling. Por exemplo: 

  • Evitar exposição solar direta e indireta;
  • Usar protetor solar rigorosamente. O produto deve ter alto fator de proteção solar (FPS). Aplique-o generosamente a cada 2 horas, ou conforme as recomendações do profissional;
  • Utilizar roupas de proteção que cobrem parcialmente a área tratada são essenciais para proteger a pele do sol. Chapéus de abas largas e óculos escuros também ajudam a proteger o rosto;
  • Evitar atividades ao ar livre, como caminhadas prolongadas ou esportes ao ar livre;
  • Hidratar a pele intensivamente, pois ajuda na recuperação da pele e minimiza o risco de complicações.

Quanto tempo dura o efeito?

O tempo do efeito do peeling de fenol vai depender da concentração do fenol para cada caso. “Por outro lado, com apenas uma aplicação, é possível conseguir um resultado muito expressivo”, ressalta o dermatologista. Geralmente, apenas uma sessão é o suficiente para toda a vida, cujos resultados duram por anos.

Quem tem melasma pode fazer peeling de fenol?

Pessoas com melasma, uma hiperpigmentação da pele que causa o aparecimento de manchas na pele de tom amarronzado, possuem dúvidas em relação ao peeling de fenol. No entanto, o especialista destaca que qualquer processo inflamatório muito intenso pode agravar o melasma.

“O fenol pode levar a formação de manchas, mas transitórias na maioria das vezes. Embora possa ocorrer um agravamento do melasma com peeling profundo, não se trata de uma contraindicação absoluta ao procedimento”, avalia.

O peeling de fenol é agressivo e doloroso

Na verdade, embora seja um procedimento profundo, os avanços na tecnologia de sua formulação e nas técnicas de aplicação minimizaram o desconforto associado ao peeling de fenol. Hoje, é possível realizar o procedimento de forma mais suave, proporcionando resultados impressionantes com recuperação otimizada.

Os resultados imediatos são ilusórios

Na verdade, os resultados do peeling de fenol como uma plástica e, visíveis imediatamente após 15 dias. A estimulação do colágeno e a renovação celular profunda promovem uma transformação evidente na textura, firmeza e luminosidade da pele.

Riscos e contraindicações

Os riscos do peeling de fenol podem ocorrer durante a aplicação e no pós-procedimento. Sendo assim, Dário Rosa reforça que durante a aplicação, há o risco de comprometer o coração, como arritmias cardíacas e elevação da pressão arterial, além das alterações no fígado e nos rins.

“Além disso, ele não é indicado para quem tem problemas cardíacos, renais, hepáticos e pessoas com predisposição a cicatrizes queloides.”

Dessa forma, se você tiver qualquer problema de saúde ou tratamento, deve contar ao médico, que avaliará se o procedimento é adequado para seu caso.

Fonte: Dário Rosa, dermatologista, membro titular da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), mestre pela Universidade de São Paulo (USP) e pós-graduado em Dermatocosmiatria pela Faculdade de Medicina do ABC. 

Sobre o autor

Redação
Todos os textos assinados pela nossa equipe editorial, nutricional e educadores físicos.

Leia também:

chá de canela
Alimentação Bem-estar

Chá de canela: para que serve, benefícios e como preparar

A bebida é uma ótima opção para esquentar o corpo — muitos afirmam, ainda, que ela emagrece. Saiba tudo sobre o chá de canela

Farinha de chia
Alimentação Bem-estar

Farinha de chia: benefícios e opções de receitas

A farinha de chia é obtida a partir da moagem das sementes de chia, trazendo praticamente os mesmos benefícios dessas sementes

mulher fazendo o exercício stiff na academia
Bem-estar Movimento

Stiff fortalece pernas e glúteos: conheça os benefícios, dicas e como fazer

O stiff é uma ótima opção de exercício para quem quer trabalhar glúteos e posteriores de coxa